VENDO O RIO – Poeminha da Especulação Imobiliária

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Em tempos de GABARITOS, SEMPRE ELES – A VEZ DO BANCO CENTRAL, a possível venda de terreno e prédio histórico do Batalhão da PM situados na Rua Evaristo da Veiga, Centro da Cidade (VENDO O RIO – QUARTEL DA PM E BIGORRILHOS; QUARTEL DA PM, A ENORME PEQUENEZ e QUARTEL DA PM, UM BOM COMBATE), aumento de gabarito para empresa cinematográfica que instalada em Botafogo que mudará o conceito de ocupação do solo vigente para sedes de empresas, clínicas e escolas dos bairros de Botafogo e Humaitá (BENESSE URBANÍSTICA), e o recente anúncio de outras vendas de ativos imobiliários pelo Governo Estadual, os versos de VENDO O RIO estão cada vez mais de acordo com o momento presente.
DELEGACIA DO LEBLON – O Globo On Line

2º BATALHÃO DA POLÍCIA MILITAR,
BOTAFOGO, RIO
www.destakjornal.com.br

O “poeminha” foi o primeiro de uma série de três, divulgados na Web a partir de 2010, criada com base na observação de mudanças expressivas na forma e conteúdo das leis urbanísticas da cidade iniciadas  no ano de 2009, 445º Ano de Fundação da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.

A série continua atualíssima, por isso a nova divulgação, agora no Urbe CaRioca.

Nas próximas semanas a sequência será publicada .

Nota: Um aspecto positivo da Rio + 20, despercebido: ontem entrariam na pauta da Câmara de Vereadores, para votação, a citada Benesse Urbanística para empresa cinematográfica de Botafogo, e o aumento de gabarito para construção de um anexo ao prédio do BNDES. Não aconteceu. Há tempo para cancelar o prosseguimento e evitar novos equívocos prejudiciais ao Rio de Janeiro.

 VENDO O RIO



Vendo o Rio, Especulo,
Preservar ficou lá atrás.
Só aumento o gabarito,
Leva aquele que der mais!

É lei torta, não importa
Nem importa o lugar.
Vargem Grande e Pequena
O que vale é arrecadar!
Enchente de Vargem Grande, abril 2010
www.enchentedavargemrande.fotosblogue.com

Construção é bom negócio,
Centro, Barra e Camorim.
É a vez do Catumbi,
Vendo o Rio até o fim!
Morro de Santo Antônio
Talude remanescente
do desmonte
Reportagem Jornal O Globo
Torre para Eletrobrás, LAPA, Rio de Janeiro
www.blogdogaviao.blogspot.com.br

Torre para BNDES
Reportagem Jornal O Globo
Penso, escrevo, assino já,
Todo dia tem benesse. 
Charco, morro, alagado,
Eletrobrás, BNDES.
Deixo logo publicado,
Não importa o MP.
Protegido ou tombado,
Vale a pena oferecer!
Dou a praça e acho graça,
Não importa a Lei Maior.
Fiz de morto, dei o Porto,
Dei a Lapa sem ter dó.

LAPA
Imagem – www.defender.org.br
Afinal, nada aparece,
O mal surge devagar.
Adiante já vou longe,
Não dá mais prá consertar.

  1. Obrigada pelo comentário, Bernardo. É o que o Blog deseja: uma cidade boa para todos, agradável, com serviços públicos de boa qualidade, e que respeite seu patrimônio histórico, cultural, e urbanístico. Que olhe para o futuro dando valor ao seu próprio passado.

  2. Creio que o fenômeno que o Rio de Janeiro está sofrendo uma crise de identidade. Virou sede das Olímpiadas em 2016 e sediará em 2014 também uma final de Copa do Mundo. Além disso, em 2013, ocorrerá o Encontro Mundial da Juventude. Felizmente, teremos um ano folgado em 2015 que não precisaremos trabalhar.

    Piadas a parte, voltando à crise de identidade de nossa cidade, não sabemos o que queremos apresentar ao resto do mundo. É inviável construir uma cidade com prédios estratosféricos e ruas apertadas. Podemos ser uma cidade populosa, mas agradável de se passear com prédios de uma arquitetura agradável, como em quase toda Europa. Só assim, o Rio deixará de oferecer aos turistas apenas a sua beleza natural e poderemos oferecer o que qualquer cidade planejada oferece. Chega de falta de planejamento urbanístico para fins individuais ou populistas. Queremos uma cidade do Rio de Janeiro organizada, agradável para todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *