COMO VIVÍAMOS? UMA CrôniCaRIOca ABERTA

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

CrôniCaRioca

por Andréa Albuquerque G. Redondo, com a colaboração
de J. Armando, Camila e Marília.
 

COMO VIVÍAMOS SEM?



PARQUE DO FLAMENGO
Foto Pedro Kirilos. Pesquisa internet
·      Telefone – fixo e celular

·      Internet

·      Google

·      Ônibus e carros sem ar-condicionado

·      Parque do Flamengo

·      Lazer na orla marítima e na Lagoa Rodrigo de Freitas

·      Metrô – funcionando bem e confortável
  
COMO VIVEMOS E CONVIVEMOS COM? TEMPO PASSADO.
OBRAS DO METRÔ – Rua do Catete e Praça José de Alencar
Blog Foi um Rio que Passou
 
·      Inflação altíssima

·      Juros altíssimos

·      Censura

·      Racionamento de luz

·      Mortandade de peixes na Lagoa

·      Camelôs, camelôs e camelôs

·      Metrô – a obra
 
COMO VIVEMOS E CONVIVEMOS COM? TEMPO PRESENTE.
AVENIDA BRASIL, BONSUCESSO
Foto: Letícia Pontual, Agência Globo
 
·      Engarrafamentos

·      Ônibus barulhentos com motor e chassis de caminhão

·      Ônibus e trens lotados

·      Baía de Guanabara poluída

·      Fedor na Avenida Atlântica – Elevatória no Posto 6

·      Corrupção

·      Metrô – de uma linha só e lotado
 
COMO VIVEMOS SEM? TEMPO PRESENTE.
TOM E VINICIUS
www.letras.com.br
·      Tom Jobim e Vinícius de Moraes

·      Avenida Central e Palácio Monroe

·      Pedras portuguesas da Avenida N.S. Copacabana

·      Frappé de coco do Bar Simpatia

·      Garcia & Rodrigues e Letras & Expressões

·      Trens de passageiros – muitos e confortáveis

·      Metrô – confortável e em rede, por toda a cidade
COMO VIVERÍAMOS SEM?

TOM E VINICIUS
abril.com

 TOM E VINICIUS – Brasil Especial, TV Globo, 1977 – Chega de Saudade
·      A Bossa Nova

·      Hot Spots

·      Metrô – desconfortável e lotado, sem rede… pior sem ele…

·      As águas, os morros e o céu do Rio de Janeiro

·      A luz do Rio de Janeiro

·      O alto-astral do Rio de Janeiro

·      O Rio de Janeiro

 TOM E VINICIUS – Milão, 1978 – Água de Beber

Nota: Esta é uma crônica aberta. Sugestões de novos itens serão benvindas e poderão compor novas CrôniCaRiocas! O que temos? Do que precisamos? O que não pode acabar? O que não deve voltar? Animem-se, leitores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *