O PACOTE E O BODE

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
AS EMENDAS AO PACOTE = ‘O BODE NA SALA’
Imagem: Blog Luis Torres

Sobre as emendas dos vereadores ao PLC 113 (será que eles mesmos as elaboraram?), ontem o Blog escreveu e repetiu:

“As emendas são ‘o bode na sala’. Não se duvida ter sido manobra para, com o veto, o Executivo alardear que o mal foi evitado. Mentira: o PLC 113 já é o Mal”.

Não era preciso ter bola de cristal. A manchete no jornal de hoje muda o foco do problema e comprova a tese:


“Manobra de vereadores põe projeto

 olímpico em risco – Paes vetará emendas 

que autorizam mais construções em

 Marapendi e no Autódromo”.



Foram várias matérias que começaram somente no dia da votação – Paes decide vetar integralmente…(Sem espanto! É ‘o bode’); Paes joga duro com a Câmara (Espantoso! Alguém acredita?); Emendas foram aprovadas sem estudo prévio (Estudar prá que?). E esse vexame, mais um?

CQD.


Somente agora surgem muitos números, cifrões e metragem quadrada. O mesmo deveria ter sido feito em relação ao projeto original, há três meses. Mas, nem um pio. Imprensa, órgãos de classe, ninguém, salvo a PUC, alguns artigos esparsos, e este Blog.


School of the Vestal Virgins in Ancient Rome
Internet

Assim parecerá que o texto enviado originalmente pelo Poder Executivo é benéfico e foi elaborado por vestais. É o que desejam. É o que pretendem.

Manobra foi a palavra usada pelo Blog e na manchete do OG. Resta saber quantos mais estão ‘manobrando’ em prejuízo do Rio.


Manobra, curiosamente, também é sinônimo de Ardil.




Internet

O Blog reproduz as palavras do Advogado e Professor Fernando Walcacer que traduzem, com maestria, a situação legislativo-urbano-carioca que vivemos, neste caso, exatamente igual ao conto do Bode na Sala, que a linguagem do povo explica, também com maestria, apenas em outro formato.


Política pode ser uma atividade tão sórdida… O Prefeito manda para a Câmara um projeto que representa um desastre ambiental sem precedentes, e um ganho imenso para a especulação imobiliária. A Câmara, onde o Prefeito tem maioria folgada, aprova o projeto com emendas que elevam ao paroxismo as benesses propostas. O Prefeito vai para a mídia e ganha a manchete da primeira página denunciando as emendas, promete vetá-las, e sai da história como o grande campeão do desenvolvimento sustentável da cidade do Rio de Janeiro.

Fernando Walcacer



Foto: Adrianne Moniz


***
NOTA

sórdido – Dicionário Houaiss

n adjetivo
1     que é ou está sujo, que tem sujeira no corpo e na roupa
2     Derivação: por extensão de sentido.
que provoca asco; repugnante, nojento, asqueroso
3     Derivação: por metáfora.
que fere a decência, os bons princípios; indecente, indigno, vergonhoso
Ex.: a prostituição infantil é uma coisa s.
4     Derivação: por metáfora.
corrompido pelo vício ou pelo mal; infame, corrupto
Exs.: rufião s.
 ambiente s.
5     Derivação: por metáfora.
que emprega meios degradantes para atingir um fim; torpe, vil, ignóbil
Exs.: comportamento s.
 indivíduo s.
6     Derivação: por metáfora.
que é ávido por dinheiro; avaro, mesquinho, miserável

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *