MARINA DA GLÓRIA – OS MISTÉRIOS NÃO INTERESSAM

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page


O assunto da Marina Pública do Rio, situada no Parque do Flamengo, tem sido tratado por este Blog. Segue em evidência.



GOVERNADOR CARLOS LACERDA ESPANTADO COM O ELEFANTE QUE ATERRISSA NA MARINA DA GLÓRIA
Arte livre sobre imagem do Jornal O Globo publicada no caderno especial do dia 01/03/2013, aniversário de fundação do Rio.


O post MARINA DA GLÓRIA, O PROJETO IMPOSSÍVEL, publicado na última sexta-feira, dia do aniversário da Mui Leal e Heroica Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro repercutiu nas redes sociais. Foi o quarto da série iniciada com AI! QUE A MARINA VOLTOU, prosseguiu com MARINA DA GLÓRIA, 2 -ENTREVISTA AO BLOG ELIOMAR, seguido de EXTRA, EXTRA! – AI! QUE A MARINA DA GLÓRIAFOI APROVADA! SERÁ MESMO?

O PROJETO IMPOSSÍVEL resumiu as análises anteriores e apontou a essência do caso: o uso pretendido de Centro de Convenções e Shopping é vedado pelas normas urbanísticas e pelos critérios que nortearam tombamento do bem cultural ímpar que é o Parque do Flamengo.


A afirmação da empresa que apresentaria o projeto tão logo aprovado confirmou-se. Após a espantosa aprovação dada pelo órgão federal de tutela do patrimônio histórico e cultural, notícia publicada no último sábado pela imprensa (Desvendados os Mistérios…) informou-nos, finalmente, algumas características do projeto.


A revelação do misterioso projeto tem por objetivo provocar a discussão sobre sua qualidade, se feio ou bonito, arrojado ou conservador, adequado ou inadequado. No caso, não interessa. O que deve ser levado em conta é a sua natureza. Sendo proibidos os usos de shopping e Centro de Convenções não há o que discutir ou apreciar. Mesmo com o apoio do Prefeito, do IPHAN e da imprensa. É perda de tempo.


Mas, os interessados na construção – Prefeitura e empresa concessionária, conforme consta no parecer do órgão federal -, têm tempo.


Após o sinal verde do IPHAN, o concessionário da Marina deu início ao processo de “road show” da sedução através da propaganda: liberou o projeto para a imprensa que se encarregou de divulgá-lo para o público leitor e a audiência da televisão; convidou a população para conhecer a maquete do projeto na manhã do último domingo, no parque; e, convidou representantes de instituições, profissionais diversos e políticos – os ditos ‘formadores de opinião’ – para expor-lhes a proposta.


Que não se enganem. É doutrinação para que os olhares se dirijam às Formigas enquanto o Elefante caminha devagar e discretamente. É fazer aflorar a vaidade dos que detém o poder no momento, chamados a opinar, por conveniência. E cultivar essa vaidade até obter a aprovação final.

Vale repetir que o Parque do Flamengo é área pública non-aedificandi, bem de uso comum do povo. Portanto, não incidem parâmetros urbanísticos além do plano de massa original que define o que pode ser construído e o uso respectivo.


Os mistérios relativos ao projeto não interessam, a menos que não se fale sobre medidas, cores, implantação, harmonia, tráfego, paisagem… Não interessam porque aceitar analisá-los será o primeiro passo para o desvio da finalidade estabelecida em lei.


Mistérios de natureza diversa são assunto estranho a um blog urbano-carioca. Caberá a outros desvendá-los, se existirem.



AS FORMIGAS: CONFETE PARA A MÍDIA E PARA A POPULAÇÃO
Imagem: Blog Diário Urbano

  1. Prezado Elmo,
    Não vejo problema em defender seus interesses de velejador. O problema é que os interesses do empresário e da prefeitura desrespeitam a lei e desprezam o interesse coletivo – ou seja, o interesse público. Quanto a fazer uma parada na Marina, faço votos para que esse absurdo (o projeto e não o seu passeio) seja logo descartado, e que você e muitos outros possam continuar a usufruir do belo equipamento urbano público que é a Marina da Glória.
    Ab.
    Andréa

  2. Não sou arquiteto, mas gosto de coisas bonitas, o projeto é bonito, arrojado, mas é só isso… fico pensando se tanto dinheiro não resolveria pelo menos um pedaço da tristeza daqueles que perderam suas casas na região serrana fazendo lá um projeto paisagístico pra conter a encosta e aproveitando a vocação turística da cidade… tolice, afinal vivemos um tempo onde humanidade e lucro são vias antagônicas, quase uma dicotomia…
    Se assim é defendo primeiro os meus interesses, e assim sendo, defendo o meu interesse de Velejador; eu disse VELEJADOR!!! tenho um pequeno barco movido a vento e não um yatch, sendo assim do meu interesse particular só me cabe uma pergunta:
    – Poderei pegar minha filha no Rio fazendo uma parada na Marina que até então é Pública????
    Saudações com descontentamento… infelizmente
    Elmo Romão

  3. Bom dia ! Acho que deveríamos soltar a voz de imediato, depois de aprovado, eles aplicam tática de guerra, quando menos percebermos estará tudo derrubado e eles já terão ocupado a área.

    Franklin – RJ

  4. Dizem que este Senhor "doou" fábulas de dinheiro para implantação das UPPs. Como não há almoço de graça, esta é a contrapartida para reaver o aplicado.
    E o Iphan hein? aplicando a famigerada "consulta prévia" tão em voga em tempos idos na Prefeitura…
    Esta na hora de começar um movimento non passaram

  5. Estás coberta de razão, Andréa, se esse projeto passar, o Parque já era. Devem todas as pessoas de bem soltar a voz para assim impedir o atentado que a EBX pretende fazer contra a Marina e o Parque, e por extensão à Baía.

  6. Eike não diz que vai transformar a área do parque que foi cercada no PAN e retomada as duras penas pela população depois de 5 anos, em estacionamento do shopping. Ele aproveita o desconhecimento da maioria das pessoas sobre o parque para incluir esta área como área da marina, deslavada mentira.
    Mente quando diz que a marina tem 18 metros de altura, quando na verdade são as tendas colocadas lá, que não fazem parte do projeto original, que tem esta altura. Mente quando diz que o IPHAN aprovou o projeto, foi apenas uma pré-aprovação, lançou então na mídia com intuito de sondar como está a mobilização da população. Se a resposta fosse nula, as máquinas já estariam cavando o parque. No fundo o que ele quer é a marina mais a área que será cercada para as olimpíadas em 2016. Todo esse jogo tem mais um objetivo: sem a reforma da marina aprovada ele não conseguirá vender uma parte da empresa que administra a marina, pois está descapítalizado. Se esse projeto passar, o parque ja era. Vão construir o teatro do porcão, o espigão do MAM e não duvido nada da área de aeromodelismo também ser loteada para construção. Se isso acontecer, e eu não duvido que possa, devido ao retrospecto quando se trata de dilapidar o bem público, mudarei de cidade.
    Preocupante também é a falta de coordenação nos esforços para barrar essas loucuras. Nem o abaixo-assinado digital está funcionando, tem dois!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *