DIVERSOS, 18/06/2013 – Leme, Hotel Glória, Metrô, Transportes e a Revolta do Vintém

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Em tópicos, notas e comentários sobre: o bairro do Leme, a participação da sociedade nos assuntos da cidade, a venda do Hotel Glória, as estranhas entrevistas do Prefeito onde o discurso difere da prática, e o artigo de Sonia Rabello sobre transportes no Rio. Por óbvio, não se trata de apenas vinte centavos. No final, trecho da mini-série Chiquinha Gonzaga que trata da Revolta do Vintém ocorrida no Rio de Janeiro na virada de 1879/1880: “a gota d’água”.

Boa leitura.

URBE CARIOCA


Imagem que circulou na internet nos últimos dias
1.    O Decreto nº 37.231 de 05/06/2013 criou o Parque Natural Municipal Paisagem Carioca. Abrange partes dos Morros da Babilônia, São João, Urubus, do Leme, e a Ilha de Cotunduba. Parece que evitará a construção de um teleférico complementar ao Caminho Pão de Açúcar, para desagrado da empresa que o administra há 100 anos, e agrado dos moradores da região e defensores do Meio Ambiente. Ponto para a Prefeitura! Pena não ter agido assim para proteger a APA Marapendi, diminuída para a construção do famigerado Campo de Golfe, o da incrível licença e do decreto discreto. Prefeitura perde pontos…


2.    Em Istambul o governo cumpriu ordem judicial e suspendeu a reforma do Parque Gezi até a decisão definitiva da Justiça. Lá, como cá, ordem de juiz é para ser cumprida! Mas, retirou os manifestantes da praça à força… No Rio não conseguimos salvar a Praça N. S. da Paz, destruída pelos governos estadual e municipal para construção de linha do Metrô não prioritária. Outros movimentos e debates surtiram efeito, caso do projeto impossível para o Parque do Flamengo/Marina daGlória cuja análise foi suspensa em Brasília após manifestações contrárias e ações judiciais, mesmo sob pressão da Prefeitura, Vereadores, EBX e IPHAN, do Píer na Praça Mauá e, recentemente, dos projetos para o Centro que poderão ser revistos, embora propaganda do VLT (!) no jornal de ontem retrate a Avenida Rio Branco…



Internet

3.     O Hotel Glória, também do Grupo EBX, está à venda. Assim, o caso escandaloso da Marina da Glória era apenas a intenção de aumentar os ativos do Glória, cujo teatro, infelizmente, foi demolido pelo empresário. Atenção, compradores! Sem o anexo – Centro de Convenções e o Shopping na área pública – deve ser mais barato. Aguardemos para saber o que será feito em relação ao prédio da Av. Rui Barbosa, alvo de benesses urbanísticas e fiscais do Prefeito e de seus Vereadores que mudaram o paradigma de valorização do imóvel ao autorizar a transformação para hotel parte do ‘triângulo EBX-REX’.



4.    A quem se interessa pelos assuntos urbano-cariocas vale conhecer três entrevistas do Prefeito: (a) os dois últimos programas Cidades e Soluções do canal de televisão GloboNews – link: dias 05 e 12/06/2013; (b) entrevista publicada na edição especial do ‘O Globo a Mais’ para Ipaddistribuída no último dia 08. Infelizmente não temos o link. Obs.:

a.       Causa espanto a naturalidade em defender o adensamento da cidade em vez da expansão territorial – o modelo urbanístico da atualidade – que não corresponde à prática adotada com a aprovação do Projeto de Estruturação Urbana da região das Vargens, o incentivo às construções na Barrada Tijuca e Recreio dos Bandeirantes, o Parque Olímpico com suas benesses nas alturas, e a abertura da região de Guaratiba ao mercado imobiliário;


b.      Entre outras afirmações estranhas, a concordância de que o BRT para a Zona Oeste não é melhor solução, mas que foi adotada porque o Metrô levaria 50 anos para chegar à região (!)… Para construir a falsa Linha 4 o Estado obteve dinheiro e a Prefeitura nada fez para estabelecer prioridades que dizem respeito só à cidade: o que esperar em relação a outras demandas pelo transporte sobre trilhos? A considerar os gestores atuais teremos meio século pela frente.



Internet



5.      A cada dia a mobilidade urbana no Rio de Janeiro transforma-se mais um pouco em imobilidade. O caso das escolhas equivocadas em relação ao traçado do Metrô foi exaustivamente tratado neste blog, inclusive com a análise correta de Miguel Gonzalez. Os vagões superlotados – e, do mesmo modo, as linhas ferroviárias insuficientes – faz da vida dos trabalhadores cariocas e da Região Metropolitana um calvário diário. O artigo Transporte Público no Rio: para além dos R$0,20, de Sonia Rabello, propõe discussões sobre vários aspectos que concernem aos serviços públicos dessa natureza.




Chiquinha Gonzaga, a Revolta do Vintém, a Abolição, a República
Mini-série da TV Globo – Trecho
Youtube



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *