METRÔ: O VAI E VEM DA ESTAÇÃO GÁVEA E A LINHA 4

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Sabe-se que a propagandeada Linha 4 do Metrô que o governo do Estado diz executar não é a verdadeira.

A Linha 4 está no papel.  Projetada, ligará Botafogo à Barra da Tijuca através dos bairros do Humaitá e Jardim Botânico até encontrar a Estação Gávea para daí seguir em direção à Barra/Zona Oeste. O trecho Ipanema (Estação General Osório)-Leblon-Gávea pertence à Linha 1, prevista para ser circular unida à Tijuca (Estação Uruguai) pela ligação deste bairro também à Gávea, em túnel por baixo do Maciço da Tijuca.

Portanto o que está sendo feito no momento da Linha 4 é apenas o trecho Gávea-Barra (Estação Jardim Oceânico).

Quando a polêmica foi instalada, associações de bairros, especialistas em transportes e algumas poucas instituições – o CREA, por exemplo – defenderam o traçado original do metrô para a Barra da Tijuca. De nada adiantaram os apelos e audiências públicas, realizadas apenas para cumprir formalidades. O Governo Estadual nada mudou, mesmo com questionamentos quanto à ausência de licitações e à ampliação de contratos de concessão.

As justas preocupações dos moradores de Ipanema em relação à destruição da Praça Nossa Senhora da Paz contribuíram para desviar o foco do trajeto abandonado.

Os interessados em construir o prolongamento da Linha 1 souberam carimbar as reivindicações sobre salvar árvores e manter a integridade da Praça de discurso elitista, transformando o que poderia salvar a Linha 4 verdadeira elegendo-a prioritária, em luta para manter os bairros ditos mais nobres livres da obra que, em verdade, conduz todos os caminhos aos desejados Ipanema e Leblon, na Zona Sul, ao criar a linha única ampliada de fato com a ligação da Linha 2 à Estação Central e Estação Botafogo (Linha 1), em vez de concluí-la no trecho Estação Estácio-Estação Carioca.

O tiro, infelizmente, saiu pela culatra.

Praça Nossa Senhora da Paz, Ipanema – 2012
Foto: Urbe CaRioca
Para acalmar os ânimos dos inconformados o governador prometeu que a Estação Gávea seria construída em dois níveis, o que, segundo especialistas e os próprios governantes, permitiria a posterior execução da Linha 4 em direção a Botafogo.
Mais uma etapa das obras da Linha 4 do Metrô (Ipanema – Barra da Tijuca) teve início na Zona Sul do Rio. Um canteiro de obras começou a ser instalado no campo de futebol da Pontifícia Universidade Católica (PUC), de onde serão escavados túneis do metrô. Já a Estação Gávea – que será em dois níveis e ficará sob um terreno do Governo do Estado onde funciona parte do estacionamento da PUC – começará a ser construída no segundo semestre de 2013.

Metrô Gávea – Centro
A Estação Gávea é estratégica para a futura ampliação do sistema metroviário do Rio de Janeiro. Em setembro de 2012, o secretário da Casa Civil, Regis Fichtner, anunciou que o Governo do Estado iniciou os estudos para a contratação de projeto de expansão do metrô que ligará a Gávea ao Centro, passando pelos bairros de Jardim Botânico, Humaitá e Laranjeiras.
– Queremos deixar esse projeto pronto e licitado para que, no futuro, quando terminar a obra da Linha 4, seja possível ao Governo do Estado utilizar o ‘Tatuzão’ (equipamento que vai construir os túneis do metrô na Zona Sul) nessa nova linha – disse Regis Fichtner.


Agora, um novo recuo. Ao contrário das des-demolições do Parque Aquático Júlio Delamare, do Estádio de Atletismo Célio de Barros e do Antigo Museu do Índio, todos vizinhos ao Maracanã, desta vez o governador recua para o mal.

A Estação Gávea Não mais será construída em dois níveis. O anúncio anterior era, portanto, confete para a mídia e para a população.




Esta e tantas outras são decisões incompreensíveis, mais ainda diante do caso da Estação General Osório que não seria feita em dois níveis, cujo projeto foi alterado para construção da segunda plataforma destinada a resolver o “puxadinho” da Linha 1 que passará sob o canal do Jardim de Alah e obrigará os passageiros a fazer baldeação na mesma linha, para seguir em frente!




São decisões prejudiciais à população que mais precisa do transporte público e afasta deste meio de transporte os que conseguem comprar um carro a perder de vista, sobrecarregando cada vez mais as nossas congestionadas vias públicas com mais automóveis e mais linhas de ônibus.

Perdemos tudo: árvores na Praça Nossa Senhora da Paz, a Praça e a Linha 4.

Ficou o trajeto do Metrô escolhido “Prá Olimpíada”: o mais caro, o mais vultoso, o que não cria a rede metroviária, e que menos atenderá à população da Zona Norte.


Internet


É difícil saber o que causa mais espanto: os desmandos do governador ou o silêncio e a submissão àquele do prefeito. Ele, o gestor da cidade, nada fez para que a Linha 4 verdadeira saísse do papel, assunto de interesse do município que, em tese, comanda.


O governo do Estado que decide sobre o Município afirma que a decisão não impedirá a execução da Linha 4 até Botafogo.

Aguardemos a opinião de técnicos sobre a nova mudança e a veracidade dessa afirmação.


  1. São dois governos. Há suspeitas de ambos quererem ganhar com as obras dos Jogos Olímpicos. Por isso, um faz BRT e outro faz metrô. Espero que isso seja investigado pelo MP.

    Quanto à Estação Gávea, não vejo problema algum ela não ser feita em dois níveis, desde que receba plataformas para duas linhas. A terminologia foi utilizada de modo equivocado pelas associações de moradores. A Estação Times Square, em NY, por exemplo, recebe 13 linhas de metrô e muitas delas estão em paralelo.

  2. O fato da estação Gávea não ser em dois níveis pode não ser totalmente um desastre, apesar do projeto original ser o ideal. O consórcio afirmou que serão construídas duas estações independentes, teoricamente, cada uma delas para as Linhas 1 e 4.

    A grande questão será onde os trilhos de cada linha, um vindo da Barra, e outro do Leblon, se cruzarão. O desnível, que seria nas plataformas, pode ser transferido aos trilhos. Só não pode é haver cruzamento em nível. Seria uma operação complicada.

    Quando à baldeação na General Osório, é verdade? Teremos mesmo que saltar para mudar da Linha 1 para a "falsa 4"?

    Outra questão polêmica é a ligação BRT entre Alvorada e Jardim Oceânico. Às vezes, acho que o governo é uma grande piada. Triste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *