PAINEIRAS: NOTÍCIA DO ÚLTIMO DIA 13 DE NOVEMBRO

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

UtilitáRio


Sobre o caso do COMPLEXO DAS PAINEIRAS – construção que começou a ser executada na Floresta da Tijuca onde existiu um hotel com o mesmo nome – publicamos:



Imagem: www.niciamafra.com


29/08/2013 – COMPLEXO PAINEIRAS, O ELEFANTE SUBIU O MORRO;


11/09/2013 – NOTÍCIAS – 11/09/2013: Jardim Botânico, Paineiras, Guaratiba, e Jogos Olímpicos (com link para o primeiro artigo de Leonel Kaz)



No último consta o link para outro artigo de Leonel Kaz a respeito – EXTRA! EXTRA! DECISÃO LEGAL SUSPENDE OBRA NO CORCOVADO – publicado também na Revista Veja após notícia veiculada no jornal O Globo em 31/10 dando conta de que o Tribunal de Contas da União – TCU havia suspendido a construção do Complexo Turístico.

Em 13/11 Ernesto Neves escreveu, na mesma Revista Veja, texto que contém os antecedentes do caso e uma interessante tabela comparativa que mostra os itens do programa previsto em 2008 e os atuais, com a inclusão inexplicável de um Centro de Convenções entre outros que ampliam o porte da construção significativamente.



Tabela publicada na matéria A GARAGEM DA DISCÓRDIA



Embora o título seja A GARAGEM DA DISCÓRDIA, há muitíssimo mais do que discordar neste estranho projeto. Por exemplo, o desrespeito às normas urbanísticas vigentes e a ausência de notícias sobre o licenciamento feito pela Prefeitura do Rio de Janeiro, ou sobre o devido embargo das obras pela fiscalização municipal, pois as mesmas não podem ter sido autorizadas, considerando que o proposto não é permitido no local.

Segundo outra informação sobre a paralisação das obras, de 04/11/2013 (www.noticias.band.uol.com.br), hoje terminou o prazo para que O Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (ICMBio), o Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan), a administração do Parque Nacional da Tijuca e o consórcio Paineiras Corcovado apresentem “explicações sobre as possíveis falhas”.


Melhor teria sido “pela impossível obra”.
 

O Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *