RECLAMILDA EM TRANSE

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

CrôniCaRioca

Charge: EDRA




Pego o jornal, que susto! A cidade está ‘em transe’! Uma tal de ‘gentrificação’ acontece por todo lado. Transe, gentrificação… O que estão fazendo com o Rio? O que houve?


UFA! É só uma série de reportagens. Interessante, por sinal. Que bom, pensei que o Rio estivesse fora de si, saindo de órbita de vez, ou que tudo fosse abaixo para ser reconstruído, e até que o próprio São Sebastião do Rio de Janeiro tivesse aparecido para reclamar com algum governante. Porque, cá pra nós, eles andam aprontando muitas barbaridades com a cidade, tudo “pra Olimpíada”.


Sobre o “transe”, fui ao dicionário, e titio Houaiss disse,
Dicionário Houaiss
transe
nsubstantivo masculino

1      estado de aflição, angústia
Ex.: a penúria levou-a a um terrível t.
2      Rubrica: antropologia.
fenômeno religioso e social de representação coletiva, no qual o médium experimenta um sentimento de identificação com comportamentos correspondentes a determinada divindade ou entidade
3      Rubrica: psicologia.
estado afim do sono ou de alteração da consciência, marcado por reduzida sensibilidade a estímulos, perda ou alteração do conhecimento do que sucede à volta e substituição da atividade voluntária pela automática
Ex.: t. histérico
4      Derivação: por extensão de sentido.
estado de abstração ou de exaltação de alguém que se sente transportado para fora de si e do mundo sensível, e em sintonia com algo transcendente

locução
t. hipnótico
           transe (acp. 3) induzido por hipnose

Quer dizer que a cidade está aflita, histérica, ou hipnotizada! Hummm… Já sei. Queriam explicar que o Rio está em transição. Só que no jornal tem que economizar caracteres – as letrinhas e os espaços – e transição virou transe, só pode!

Imagem: Um Ombro Amigo




Essa gentrificação, que coisa complicada. Em miúdos seria expulsar ‘os pobres’ para entrarem ‘os ricos’ no lugar. Era ruim, ficou bom, dizem, e agora parece que é negativo de novo. Está explicado lá na reportagem. Pelo que consegui entender, o lado positivo é levar a modernidade ao lugar ‘gentrificado’. Se o poema está certo,






En este mundo traidor
nada es verdad ni mentira;

todo es según el color

del cristal con que se mira.




Em Botafogo, por exemplo, seriam prédios novinhos brilhando, mais atividades econômicas – lojas, escritórios -, Va Bene! Metrô, que é bom… Nada. Praça que é bom… Nada. Ainda bem que teve a APAC e o tombamento das mansões, não ia sobrar… Nada! Os gentrificados continuarão engarrafados, sem transporte público eficiente, sem praças e verde. E olha que Botafogo tem espaço para isso, tem até Linha de Metrô projetada!


Cidade em transe? Que me perdoe o jornal, mas em transe estou eu aqui no Metrô lotado, dando a volta ao mundo para chegar ao Centro, sou baixinha, mal respiro. Dinheiro para BRT, BRS e o VLT salvador de tudo ? Ah! Pra isso tem! Furar a Zona Portuária pra fazer túnel, demolir a PerimetralPra isso tem!


Charge: FRANK – Internet em: 

Brazil: The challenge of hosting a worthwhile Olympic Games



Sabem o que vi ontem, aqui mesmo neste vagão que a ferrugem há de comer? Uma “desgentrificação”, juro!


Bem perto da porta um camarada começou a passar mal revirando os olhos, pernas cambaleando, quase desmaiando. Um passageiro, boa alma, foi ajudar. Levanta, abana, pergunta se alguém tem água… Estação chegando, o adoentado vai melhorando, portas se abrem, ele nem agradece e sai andando. O homem gentil nota que o bolso da calça está magrinho, fecho-éclair aberto! Pronto, o tutu que havia apanhado no banco para fazer um pagamento, foi-se! Anotem essa, amigos! Vi com meus olhos que a terra há de comer! Enquanto o cara passava mal de mentira, um comparsa se deu bem, é claro! E deixou o bondoso gentry “desgentrificado”, sem a grana!



O Globo


Parece que a Gentrificação chegou para ficar. Nas lagoas da Barra da Tijuca, a expulsão é dos peixes, da água limpa, do prazer de um mergulho… Expulsos pelo esgoto fétido fora de lugar. Na Área de Proteção Ambiental APA Marapendi, saíram fauna, flora, e um conceito construído durante mais de 50 anos! Expulsos, sim, eles e um pedaço da Reserva, por edifícios, mais andares, um Campo de Golfe,tacos e bolinhas!


Ah! Tem Guaratiba!


Mora muita gente lá, povo bom, trabalhador. Disse o alcaide que quer fazer um bairro popular, ideia saída de um Brainstorm fabuloso! Só que tem PEU* à vista, onde tem lei nova tem mais gabarito, mais construtoras… Pronto, olha ela aí de novo a “gentrification”. Positiva? Negativa? Os dois, quem sabe? Tem promessa de pacote de urbanização. Essa é uma boa, tomara! O pessoal de lá sofre!


Pensando bem… Aflita, histérica, hipnotizada… O jornal acertou. Esse é o Rio de Janeiro. Cidade Maravilhosa e em transe mesmo! Igual a mim!


Nossa! Em devaneios, quase perco a parada! Licença, moço, minha Estação chegou.


Repara, não, tô azeda. Preciso bater um papo com a Elogilda… *



Internet


________________

*Nota: Depois de sair do transe, Reclamilda de Almeida encontrou alívio e emoção com este vídeo. E foi ao cafezinho de sempre com a amiga Elogilda.

“DA PRIMEIRA VEZ ERA A CIDADE. DA SEGUNDA O CAIS E A ETERNIDADE”


Obrigada, Jobim!

Sua fã,
RECLAMILDA


WAVE
Antonio Carlos Jobim
PERPETUUMJAZZILE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *