2014 SEM CASTIGOS, UM DESEJO URBANO-CARIOCA

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Wikimedia
A ideia era fazer uma retrospectiva de 2013, no blog e, naturalmente, agradecer aos queridos leitores que têm prestigiado este espaço que se auto intitula “urbano-carioca” e desejar a todos que 2014 seja um Bom Ano, repleto de boas notícias, saúde, e esperanças renovadas!

Mas, o curioso artigo A Escolha do Castigo, de Aydano A. Motta na coluna Panorama Carioca, jornal O Globo de alguns dias atrás, mudou os planos. Instigada pelo título, qual não foi a surpresa ao encontrar um texto que se fazia bem humorado e engraçado, mas, como tantos diálogos entre ELOGILDA E RECLAMILDA e entre URBANILDO BARBOSA E CREMILDO DE ALMEIDA, carregado de seriedade.

O autor, certamente indignado com mais um ataque à estátua de Carlos Drummond de Andrade, em Copacabana, em “temporada de presentes e desejos” propôs uma série de castigos especiais ao casal desrespeitoso com o patrimônio público, já identificado, “Tudo bem carioca”, infelizmente relacionado ao dia-a-dia da população.

Da nossa parte, para o casal – e para qualquer pessoa que aja da mesma forma -, nosso desejo é que ficassem à disposição da Prefeitura durante algumas horas por dia – fora do seu horário de trabalho, caso trabalhem – limpando pichações semelhantes, por um ano.

Quanto aos ‘presentes’ idealizados pelo colunista, nosso desejo é que jamais pudessem ser realizados no Rio de Janeiro. Como diria um padre amigo, algumas situações só acontecem “em outras Paróquias”. Assim, sonhamos que o casal não poderia receber as tais punições porque, de oito dos dez castigos urbano-cariocas imaginados, quem sabe, muito em breve tudo ficará melhor e deixará de ser torturante!

A seguir, a lista de Aydano Motta e as soluções em futuro próximo, tomara!



Mapas Linha 5: Blog Metrô do Rio
·       Sair de Niterói (ou da Barra, ou da Ilha do Governador) na hora do rush, de ônibus — sem ar-condicionado, claro. E em pé. Todo dia, durante um ano.
o   A Linha 3 do Metrô que liga o Rio a Niterói, anunciada em 1987, estará pronta. A Linha 4 verdadeira Botafogo-Jardim Botânico-Gávea-Barra, o Metrô até o Aeroporto Internacional, concluídos. Haverá menos ônibus circulando, todos com ar-condicionado, tarifa barata, menos automóveis nas ruas. Engarrafamento será passado.
·       Pegar o trem da SuperVia cedinho, lá na Baixada, com direito a cassetete dos seguranças cantando no lombo. Todo dia, por mais um ano.
o   Os seguranças já estarão educadíssimos, categoria Amy Vanderbilt. Os trens, reformados e transformados em Metrô, passarão a intervalos curtos, viagens confortáveis, sem castigo.
·       Assistir à entrega de todas as medalhas Pedro Ernesto, na Câmara de Vereadores, ao longo de toda uma legislatura. Aplaudindo. Em pé também.
o   As medalhas serão poucas, entregues apenas àqueles que realmente se dedicaram à cidade e às causas públicas. Os discursos serão curtos, precisos e os textos pertinentes. Seria um prazer.
·       Ficar na Via Binário durante uma chuva de verão.
o   A via Binário funcionará bem, a rede de drenagem e os túneis que o Prefeito esqueceu-se de fazer antes de demolir a Perimetral estarão prontos. Ouve-se dizer que em vez do VLT salvador o prefeito juntou-se ao governador para construírem a Linha 5 do Metrô.
·       Ficar na Avenida Brasil durante outra chuva de verão.
o   A drenagem na Avenida Brasil funcionará. Com o transporte de massa suficiente, o trânsito fluirá. Não seria um castigo pra valer…
·       Praticar mergulho na Lagoa na próxima mortandade de peixes.
o   A CEDAE cumprirá suas funções; ligações clandestinas serão eliminadas, infratores serão multados. Com a ampliação do canal do Jardim de Alah haverá oxigenação, menos mortandade, e a água da Lagoa Rodrigo de Freitas ficará limpinha!
·       Varrer a Rio Branco depois da passagem do Bola Preta. Sem gari da Comlurb para ajudar.
o   O povo também terá recebido orientação nos moldes de Amy Vanderbilt. Haverá civilidade. Lixo na rua será passado. Para varrer, só as folhas das árvores.
·       Fazer faxina nos banheiros químicos no fim do réveillon de Copacabana.
o   A Prefeitura instalará mais banheiros. Graças à educação primorosa, saída de casa e de boas escolas públicas e privadas, cariocas e visitantes usarão os banheiros civilizadamente e mediante pagamento de R$0,50 para custear a manutenção da limpeza.



Pena o articulista ter razão, a Paróquia que castiga dia-a-dia de quem nada ‘pixou’ é mesmo a urbe carioca…

Mas, vamos sonhar neste último dia de 2013!



Feliz 2014!


freepick

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *