GUARATIBA: O RELATÓRIO DO INSTITUTO DOS ARQUITETOS DO BRASIL – IAB

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Em 25/09/2012, muito antes das chuvas torrenciais que alagaram terreno situado na Zona Oeste da cidade chamado de Campus Fidei – onde aconteceria a missa campal de encerramento da Jornada Mundial da Juventude -, escrevemos A CIDADE CRESCE PARA GUARATIBA.

Em abril daquele ano o então Secretário de Urbanismo havia anunciado o Projeto de Estruturação Urbana – PEU para a XXVI Região Administrativa que abrange os bairros de Guaratiba, Barra de Guaratiba e Pedra de Guaratiba: conforme entrevista concedida à imprensa, haveria diminuição do tamanho dos lotes, aumento de taxa de ocupação e gabarito de altura, este de 4 andares-tipo alcançados com o pagamento da outorga onerosa (não incluídos andares de uso comum, portanto).

A região, cuja população cresceu significativamente na última década,  estava em vias de ter acesso direto através do Túnel da Grota Funda, inaugurado a seguir, no mês de junho/2012, evitando-se a subida da Serra da Grota Funda, onde ficava a Serrinha em Zigue-Zague.


Parecia estar tudo encaminhado, mas, provavelmente, devido às eleições municipais de 2012 e à troca do titular da Secretaria Municipal de Urbanismo, o projeto de lei não foi enviado à Câmara no final do mandato, tal como foi feito em novembro do mesmo anocom as propostas para instalar um Campo de Golfe na APA Marapendi e para transferir o potencial construtivo de terrenos situados na orla da Barra da Tijuca, também na APA, para outras áreas da região. Os dois projetos foram aprovados. O primeiro está em vigor. Para o segundo viger, falta apenas a sanção.



Devido ao alagamento do terreno escolhido para a missa campalque encerraria a Jornada Mundial da Juventude, todos os olhares se voltaram para Guaratiba. Através do Núncio D. Orani Tempesta e em frente ao carismático Papa Francisco o Prefeito (re) lançou a ideia de construir um conjunto habitacional no lugar, “tipo Minha Casa Minha Vida”, a partir de um concurso de projeto organizado pelo Instituto de Arquitetos do Brasil – IAB: tentava fazer ‘do limão’ – a escolha errada de um local sabidamente frágil do ponto de vista ambiental – ‘uma limonada’: prover habitação para os menos favorecidos.



A decisão foi romanceada pelo blog em O “BRAINSTORM” DO ALCAIDE, post que teve grande repercussão.


Como foi amplamente divulgado, o prefeito pediu que o IAB realizasse estudos técnicos sobre a região. O resultado foi entregue ao Executivo em meados de novembro passado. Trata-se de um relatório que desaconselha a construção no local, sugere a criação de uma Área de Proteção Ambiental e, ainda, a elaboração de um plano de desenvolvimento para toda a região de Guaratiba.

Para conhecer o relatório o link está aqui.

Resta aguardar os desdobramentos e a decisão da Prefeitura sobre aquela área da cidade sabidamente frágil, sujeita a alagamentos,  e habitada em locais sem infraestrutura ou inadequados à moradia.



Textos sobre Guaratiba publicados no blog Urbe CaRioca





29/10/2013 – Artigo: A CAMINHO DE GUARATIBA, de Luiz Fernando Janot

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *