METRÔ-LINGUIÇA – PARA LEMBRAR: LINHA 1 NÃO É A LINHA 4

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

TRAÇADO ORIGINAL da Linha 4, licitado em 1998: a Barra da Tijuca seria conectada à Botafogo, via Jardim Botânico. Uma outra alternativa seria ligar a Barra diretamente à estação Carioca, via Laranjeiras.
Blog As Ruas do Rio, em 2010 – O mapa também indica o trecho não construído da Linha 2.
Final de ano, espírito natalino, pratos deliciosos, reuniões agradáveis, trocas de presentes, reencontros, tempo de esperanças e desejo de renovação. Também há os desentendimentos, as chuvas brasileiras de sempre, os desabrigados, as tragédias, os acidentes…

Quem dera conseguíssemos eliminar os últimos.

Entre Natal e Ano Novo o Blog deveria estar de recesso. Porém, a notícia de ontem no jornal O Globo sobre o início das escavações com o “Tatuzão” em Ipanema, para a obra do Metrô, nos move a fazer um curto comentário. Nada sobre a gigantesca máquina importada, o questionável prosseguimento das obras sem que o governo do Estado abrisse nova licitação, ou as prioridades equivocadas dos gestores conforme já analisado em diversos posts: apenas um detalhe de nomenclatura, também explicado um sem número de vezes: a Linha 1 prolongada – o apelidado METRÔ-LINGUIÇA ou METRÔ DE UMA LINHA SÓ – não é a Linha 4 anunciada.

Difícil contestar quanto até aquele jornal que tem alcance e prestígio reconhecidos, insiste em repetir o discurso do governador.

De todos os textos que escrevemos demonstrando que a nomenclatura usada pelo Estado é errada e enganosa, escolhemos deixar aqui o link para Mais Metrô 8 – Linha 1 + Linha 4 + Praça + Árvores = Mistura Confusa. A visão geral do assunto está explicitada no artigo de Miguel Gonzalez, responsável pelo Blog Metrô do Rio. UM PROJETO REAL E VIÁVEL PARA O METRÔ DO RIOainda é um dos textos mais lidos desde a publicação em 27/06/2012.

Em 16/11/2012 explicamos novamente a diferença entre a Linha 1 e a Linha 4 através do diálogo bem e mal-humorado entre ‘Elogilda’ e ‘Reclamilda’, as amigas que volta e meia se encontram espremidas nos vagões do Metrô. ELOGILDA, RECLAMILDA, E O METRÔ DO RIO fez sucesso!

Ao tempo em que 2013 termina, pontes espetaculares são inauguradas, o modelo rodoviarista continua a predominar, a Zona Portuária recebe investimentos pesados e descarta as linhas de Metrô (embora construa túneis), a conclusão da Linha 2, abandonada, é substituída por um propagandeado BRS (!), a Linha 4 – ligação Botafogo-Barra via Humaitá e Jardim Botânico – é desconsiderada, a população do Rio acorda cada vez mais cedo para enfrentar ônibus lotados, ineficientes, outros milhares sofrem em vagões de trens e metrô desumanos,  e o ‘Tatuzão’ inicia suas funções em prol demais uma gambiarra do Sistema Único de Metrô do Rio de Janeiro – por constituir-se praticamente de uma linha só, é oportuno lembrar mais uma vez:


A LINHA 1 NÃO É A LINHA 4.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *