CENTRO DA CIDADE: O TRÂNSITO, A AVENIDA RIO BRANCO, E O CAOS

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Avenida Rio Branco
Manchete on Line



Na semana passada a Prefeitura anunciou novo esquema detrânsito para o Centro do Rio de Janeiro a ser implantado no próximo dia 25. A notícia divulgada no Jornal O Globo detalha a inversão de ‘mão’ de algumas ruas, novos trajetos para os transportes públicos e a localização dos pontos terminais de ônibus.

O mapa que a acompanha ajuda a entender as novidades. A Avenida Rio Branco terá mão dupla.

As medidas serão tomadas para “reduzir o impacto no trânsito da região devido à interdição total do Elevado da Perimetral…”.






Causa dúvidas a proibição de que automóveis passem pela Avenida Rio Branco, que será exclusiva para ônibus e táxis.






Avenida Rio Branco
Malta
Por óbvio o transporte público é prioritário e deveria merecer toda a atenção dos gestores. Não haveria problema caso os proprietários de carros particulares – não usuários de ônibus por escolha ou impedimento (dificuldade de locomoção, por exemplo) – quisessem ou precisassem ir à antiga Avenida Central: certamente teriam condição de usar táxis. Não se trataria de elitismo, mas, de necessidade, ou desejo de maior conforto, também legítimo.




Mas, não. Os táxis que trafegarem pela Avenida Rio Branco serão proibidos de parar para embarque e desembarque de passageiros. A eles destina-se uma faixa central entre a Avenida Presidente Vargas e a Avenida Beira-Mar que, fora sinais de trânsito, será similar a uma via expressa.

É de estranhar-se que em uma avenida importante com milhares de lojas, escritórios, consultórios médicos, museus, o Teatro Municipal, e diversos órgãos públicos e instituições, o acesso direto seja possível apenas através do combalido e ineficiente sistema de ônibus do Rio de Janeiro.

A notícia não menciona prazos. Nem se haverá horários para a restrição. Ou exceções. Nem a instalação do VLT que fará diminuir a necessidade de hospitais públicos… Afirma apenas que em 2016 tudo ficará muito melhor.






Tomara que essas dúvidas sejam infundadas, que tudo tenha sido estudado pelo corpo técnico da prefeitura previamente à demolição do Elevado da Perimetral, e funcionará a contento. Assim esperamos.

A esperança, entretanto, diminui enquanto o alcaide pede à população “uma importante dose de sacrifício” (mais, pergunta-se?) “ou ajuste de sua rotina” (quais as opções?), quando tivemos ontem mais um dia de caos nos transportes públicos – com pedido para os moradores da Zona Norte não irem ao Centro!

Uma passageira afirma: “Eles tratam a gente igual a gado” e um repórter do mesmo jornal relata “cenas de horror sobre os trilhos“.

Por isso vale repetir a pergunta. Mais sacrifício dos cidadãos cariocas?


Passageiro ajuda mulher a subir em plataforma da SuperViaGabriel de Paiva / Agência O Globo

____________________


NOTA: Em 20/01/2014 a Newsletter Ex-Blog  fez uma critica contundente à proposta para a Avenida Rio Branco que, acredita, será mais uma não implantada.


  1. Andar de helicóptero e se locomover com batedores, ficar sentado num escritório e fazer regras para os outros e pedir que os outros façam sacrifício. Assim é mole né!
    Proibir os táxis de embarque e desembarque na Av. Rio Branco, um local de intenso movimento de pessoas necessitados de transporte. Impor que só os ônibus possam realizar esse serviço não causa estranheza. Se repararem os táxis do RJ estão sendo excluídos a muito tempo de todos os eventos realizados na cidade, principalmente no governo Eduardo Paes. Vide Copa das Confederações e Rock' in Rio, só os ônibus chegavam aos eventos.
    E ainda querem dar 50% de desconto no IPVA dos ônibus
    Tá Cheirando Mal!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *