CAMPO DE GOLFE NA RESERVA AMBIENTAL – EPITÁFIO

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page


CINCO imagens e poucas palavras. Como convém a um epitáfio. Última homenagem à APA Marapendi e a todos os que defenderam sua preservação.
O mundo esperava o respeito ao verde natural, ao Meio Ambiente, às leis de proteção ambiental e à APA Marapendi, reserva protegida há mais de meio século.

O mundo esperava que este pôr-do-sol pudesse ser apreciado de todos os lugares da Reserva Ambiental e do Parque Marapendi.

Este azul já é do mundo e de todos. No Brasil a praia é o espaço mais democrático que existe. Os privilegiados que puderem morar nos edifícios construídos com incentivos ao mercado imobiliário e gabaritos mais altos, fruto – entre outras coisas – do sacrifício da reserva, verão este azul de cima e de longe. Lindo.

Este cenário será interrompido pelo campo de golfe construído  em área de proteção ambiental. A parte da APA Marapendi eliminada – junto com fauna, flora, e uma via importante para o sistema viário da Barra da Tijuca, não aparece na imagem. O mundo não sabe disso. Nem o C40.

O mundo também não sabe que para realização do empreendimento imobiliário os gestores públicos privilegiaram o interesse privado sobre o interesse coletivo -, desprezaram o Meio Ambiente, eliminaram uma rua – espaço tão democrático quanto a praia, incorporado à área particular – e retiraram a proteção legal da área situada nas margens da Lagoa de Marapendi, mediante a aprovação de lei-relâmpago e questionável, ao cair do pôr-do-sol, na calada da noite.

Última homenagem à APA Marapendi – não mais íntegra – ao Parque Ecológico, à Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso, às áreas públicas e às áreas antes protegidas por lei situadas em volta da Lagoa de Marapendi, ceifadas antes mesmo de serem oferecidas aos cariocas, como era previsto e direito da população.


Imagem: Internet

_______________________________
NOTA:

Não obstante o lançamento imobiliário, o movimento GOLFE PARA QUEM? continua ativo e convida para manifestação/protesto contra a construção do Campo. Vale lembrar que o primeiro conjunto de edifícios foi construído e vendido com a chamada para a existência do Campo de Golfe, que não chegou a ser implantado. 


Sábado, 5 de abril às 10:00

Estação BRT Golfe Olímpico 

Comentários:

  1. Infelizmente, outros casos semelhantes se espalham pela cidade, sob os olhares nem tão atentos da população que segue iludida com as propagandas "tendenciosas".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *