SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE DA CIDADE – SMAC: A DEVASSA CONTINUA

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

No início do ano aconteceu a substituição de três profissionais titulares de cargos de chefia e de assessoramento na Secretaria de Meio Ambiente do Município, após várias polêmicas que ocorreram nas reuniões do Conselho Municipal de Meio Ambiente – CONSEMAC. O assunto foi comentado neste blog em EXTRA! MUDANÇA NA SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE – SMAC. Outros posts relataram debates durantes as referidas reuniões do CONSEMAC.

Agora, mais um técnico de excelência foi exonerado da SMAC. Quadro muito qualificado com vinte anos de experiência, atuava na análise urbanística de projetos.





Blog Canetada


Escolher e nomear profissionais para cargos de chefia é, naturalmente, competência regimental dos responsáveis hierarquicamente superiores. Ocorrem sistematicamente dentro da dinâmica que rege o serviço público.

Seria, portanto, apenas um ato corriqueiro da administração municipal, não fosse a continuação do desmonte de experiente corpo técnico que trabalhava na conservação e preservação de áreas verdes, muitas vezes na contramão de pretensões de outros interesses que não o público, em oposição ao status quo que hoje rege a política de Meio Ambiente na cidade.

Corrobora esta afirmação o caso do Campo de Golfe na Barra da Tijuca, exaustivamente analisado neste espaço.

Após a publicação da dispensa no Diário Oficial do Município, a profissional – arquiteta altamente qualificada da área de urbanização com foco na conservação de áreas verdes -, foi reconhecida e aplaudida de pé pelos seus colegas devido à coerência, competência e seriedade na lida da coisa pública. Segundo membros da antiga equipe “todos reconheceram a importância de quem exercia com excelência um mandato de confiança porque era confiável quanto à sua atuação em consonância com as demandas legítimas da população”.




A arquiteta recebeu flores de todos aqueles que reconhecem o mérito dos que trabalham com honra e dignidade no serviço público, diferente dos que agem de acordo apenas com seus próprios interesses.

Mais uma vez desejamos boa sorte aos profissionais substitutos.

E duvidamos que os responsáveis pelos equívocos e desmandos no trato para com a coisa pública, os interesses da cidade e do cidadão carioca um dia, quando forem afastados do poder, recebam flores e aplausos sinceros.






Comentários:

  1. É a velha ideologia comandando a banda :
    “Manda quem pode obedece quem tem juizo” : apego ao cargo e falta de compromisso com a responsabilidade social da profissão.
    Na política sindical isto é conhecido como “pelegagem”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *