CINEMA LEBLON, TOMARA QUE RESISTA

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

CINEMA LEBLON
Internet
A nota reproduzida a seguir foi publicada na coluna Ancelmo Gois, Jornal O Globo de hoje. Embora atribuída à “Rádio Corredor”, a possibilidade de que um dos últimos cinemas de rua do Rio de Janeiro também feche as portas é preocupante.

Aluguel no Leblon

Não é só a Igreja Universal que desaloja cinema. A Magazine Luiza também.
A Rádio Corredor diz que o grupo Severiano Ribeiro está negociando com a rede de lojas o aluguel do prédio do Cinema Leblon. A conferir.

Cinemas com acesso direto pela rua são muito mais do que salas de projeção de filmes. São pontos de atração, movimento, vida. O entra e sai nos horários das sessões cria animação, encontros, atrai o pipoqueiro, o baleiro, traz a algazarra das crianças quando o filme é infantil…

A atividade alimenta outras ao seu redor.

Quando um cinema de rua morre não morre sozinho.

Tomara que seja só um boato e que o Cinema Leblon – de arquitetura singela art-decò, construído em 1951, e tombado pelo município quando da criação da Área de Proteção do Ambiente Cultural – APAC Leblon -, resista.

Se a notícia for verdadeira, quem sabe a Prefeitura decretará mais uma futura desapropriação fictícia e questionável que paralise as negociações entre o Grupo Severiano Ribeiro e o Magazine Luiza, do mesmo modo que agiu para impedir que o Grupo Opportunity dê outro destino aos sobrados da Rua da Carioca, dando sobrevida ao Bar Luiz e à A Guitarra de Prata, entre outros?

Ou, como no caso do prédio no bairro Santo Cristo, também declarado de utilidade pública para fins de desapropriação, impedindo que os novos proprietários da Antiga Fábrica de Chocolates Bhering usufruam o seu imóvel?

Aguardemos os desdobramentos.


O Globo



__________________

OUTRAS PRECIOSIDADES PERDIDAS: OS PRÉDIOS, O PATRIMÔNIO CULTURAL  E A ANIMAÇÃO NAS RUAS
Imagens obtidas na Internet


CINEMA SÃO LUIZ, CATETE



CINEMA SÃO LUIZ, CATETE
Antesala
CINEMA SÃO LUIZ, CATETE
Sala de Projeção
CINEMA AZTECA, CATETE
CINEMA IMPERATOR, MÉIER
CINEMA COPACABANA, COPACABANA
CINEMA RIAN, COPACABANA
CINEMA METRO-TIJUCA, TIJUCA

  1. Prezado Anônimo.
    Indiretamente, o tombamento do Cinema Leblon permitiu que ele continuasse ali por mais 13 anos. Concordo com a opinião do jornal O Globo – procurar uma solução adequada. Não será simples. A proposta pelo Grupo LSR não o é. Obrigada pelo comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *