METRÔ: QUEM DIRIA, A LINHA 4 VIROU LINHA 5!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Uma CrôniCaRioca Metroviária em mal alinhavadas linhas.




Foram inúmeras as postagens neste blog Urbe CaRioca relatando que a anunciada e alardeada Linha 4 do Metrô não era a Linha 4, mas, um prolongamento da Linha 1, esticada da Praça Antero de Quental, no Leblon, até a Gávea, para dali continuar em direção à Barra da Tijuca (Note-se que o projeto original da Linha 1 terminava no Jardim de Alah). Palavras ao vento…

Até o jornal O Globo, que em editorial recente havia retratado a realidade dando o nome certo ao boi, digo, à tripa, digo, à linha 1 do Metrô, acabou se rendendo à nomenclatura repetida à exaustão pelo governo estadual atribuída à construção que prossegue a passos de cágado, digo, de tatu, um enorme tatu, um tatuzão saindo da Praça General Osório (que recebeu mais uma plataforma não existente no projeto original e por isso ficou fechada durante meses!) em direção ao Leblon, que passou por baixo do Jardim de Alah, e no caminho arrancou árvores centenárias na Praça Nossa Senhora da Paz.


Em todas as placas, macacões, coletes, bonés, faixas, folders, notícias nos periódicos e televisão, loas à falsa Linha 4.

Finalmente o governo do Estado sinalizou que construirá o trecho do Metrô entre a estação Largo da Carioca, aquela que quase virou Pão Fresco, e o bairro da Gávea.




TRAÇADO ORIGINAL da Linha 4, licitado em 1998:
a Barra da Tijuca seria conectada à Botafogo, via Jardim Botânico.
Uma outra alternativa seria ligar a Barra diretamente à estação Carioca, via Laranjeiras.
Blog As Ruas do Rio, em 2010 – O mapa também indica o trecho não construído da Linha 2.

Os gestores tiveram dois probleminhas para resolver.

Primeiro, como chamar o trecho novo a ser licitado de Linha de 4 depois de repetir milhões de vezes que já a estavam construindo, a partir da Estação General Osório em direção à Praça Nossa Senhora da Paz, Jardim de Alah, Praça Antero de Quental, e dali fazendo uma enorme curva para encontrar a Estação Gávea, esta, sim, parte da Linha 4 Original até a Barra da Tijuca?

Fácil: rebatizaram o trecho entre o Centro e a Gávea, via Botafogo, de Linha 5. Mas a Linha 5 prevista era a  Galeão – Carioca, via Fundão, Leopoldina, Rodoviária e Santos Dumont, trecho espetacular e muito necessário, esquecido pelo Porto Maravilha, inexplicavelmente: região cavada, esburacada, renovada, sem a Perimetral, com túneis, sem habitação e… SEM METRÔ! Não é um problemão. Daqui a meio século, se ainda existir Metrô e essa Linha 5 for feita por certo encontrarão outro número para mais um rebatismo.

Segundo probleminha, o nome do trecho. Geralmente as Linhas são nomeadas do Centro para o destino final, por isso a Linha 4 original era Largo da Carioca – Barra da Tijuca. Agora, reduzida a um pedaço rebatizado de Linha 5, começando na Carioca, criou-se um cacófato impublicável. Como resolver? Fácil também, ora, bastava inverter o sentido e a leitura das estações. Ficou assim: Gávea – Carioca. Portanto:


Linha 4 Original: Carioca – Barra da Tijuca via Botafogo, Humaitá, Jardim Botânico e Gávea.

Linha 4 Falsa: General Osório – Barra da Tijuca via Ipanema, Leblon e Gávea

Linha 5 Original: Galeão – Carioca (mas nosso aeroporto ganhou um BRT e uma linda ponte estaiada só para ele…)

Linha 5 Falsa: Carioca – … Opa! não dá! – Gávea – Carioca, pronto, resolvido!


Será que em algum lugar do mundo a mesma linha de metrô muda de nome várias vezes? 

Vale recordar que misturaram a Linha 2 com a Linha 1, abandonado o trecho que faltava para a conclusão da Linha 2 e a Estação Morro de São João, na Linha 1.


Pergunta-se: moradores de onde, se o Metrô interessa a todo o Município do Rio de Janeiro e sua Região Metropolitana?


Com a palavra, o carioca.

Urbe CaRioca



Moradores do Leblon debatem problemas do Metrô

Em reunião realizada no Colégio Santo Agostinho engenheiros especialistas explicaram o motivo dos problemas do Tatuzão: a opção por escavar na terra, em profundidade menor, em vez de na rocha como constava nos estudos técnicos da década de 1970/1980.

NOTA – Por ser um filme longo contendo explicações técnicas melhor direcionadas a especialistas, sugerimos conhecer pelo menos a parte apresentada pelo Engenheiro Fernando MacDowell, a partir dos 49 minutos.

Julho 2014 – Filmado por Caos CaRioca
Disponível no Youtube
______________________

COMENTÁRIOS DE LEITORES DO BLOG (ATUALIZAÇÃO EM 26/11/2014)

“A Linha 5 original era Galeão/Carioca via Fundão, Leopoldina, Rodoviária e Santos Dumont”.
“Ainda vão retomar o nome de linha 4 para não precisar fazer nova licitação..”
“Triste destino dessa cidade… Descarta a plataforma existente na Carioca… Mais dinheiro público jogado fora… Destruirá a Praça St Dumont enquanto tem toda a área do Jockey para se utilizada como canteiro. É só compensar a cidade pelo novo restaurante na Jd Botânico… Destruirá os jardins do hospital da Lagoa quando em frente há um terreno vazio que poderia ser desapropriado…”
Numa cidade onde a Linha 1 virou Linha 4; e a Linha 6 se transformou em corredor de ônibus; a Linha 2 acabou como Linha 1A; a Linha 3 só existe em sonho; nada mais justo que transformar a Linha 4 em Linha 5.”

  1. Caro Paulo, obrigada pelo comentário. É verdade. o interesse da população parece ser a última das prioridades. Poderíamos ter uma rede de metrô eficiente e, assim, menos carros nas ruas, menos poluição do ar e sonora… E os trens também precisam de atenção! Ab.

  2. Minhas sugestões ao governo do Estado: Conclusão do projeto original da linha 2 até a praça XV; em vez de Gávea-Carioca, poderia ser Gávea-Santos Dumont, conectando-se à linha 1 na estação Cinelândia e finalmente para evitar nova insensatez de se prolongar ainda mais a linha 1 até o Méier, seria criada uma nova linha da Gávea até lá, conectando-se à linha 1 na estação Uruguai. Metro tem que ser concebido em rede. Mas eles não ouvem o povo e nem se preocupam com o que realmente é melhor, mais racional e eficaz para a cidade. Paulo Sérgio Quintanilha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *