EXTRA! EXTRA! PÃO DE AÇÚCAR SERÁ DEMOLIDO!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
CrôniCaRioca

Foto: Camila A. G. R.

A notícia:
“A municipalidade acaba de anunciar mais uma decisão em prol da Cidade do Rio de Janeiro: o Pão de Açúcar será demolido. Para compensar tal perda fica proibido construir no Recreio dos Bandeirantes. Os terrenos vazios do Recreio dos Bandeirantes serão transformados em praças, beneficiando toda a população carioca. Os proprietários desses terrenos, com baixo aproveitamento e em área pouco valorizada, também serão compensados. Poderão usar o potencial construtivo (isto é, os metros quadrados que poderiam construir em seus terrenos QUE AGORA SERÃO PRAÇAS) em outros lugares na Barra da Tijuca, em Jacarepaguá e em outras ruas do Recreio, que, para tanto, terão seus gabaritos de altura aumentados, a ATE também aumentada, e a área livre exigida no lote, diminuída. Por exemplo, em vez de construírem predinhos, restaurantezinhos e casinhas-de-chá, usarão esse potencial para construir edifícios grandes, shoppings, hotéis, etc.”.

Pergunta um atento ouvinte:
E o Pão de Açúcar? Onde ele está nessa história? 

Responde a Municipalidade:
“O Pão de Açúcar tem problemas, as trilhas estão cheias de mato, o bondinho balança muito, o calor refletido na pedra aumenta a temperatura da cidade e, além de tudo, não há necessidade daquele mirante, o Rio de Janeiro tem muitos outros. Bem melhor do que aquela pedra sem-graça (não fará falta, a cidade tem muitas por aí!) será criada uma grande esplanada à beira-mar, em parte para construção de grandes edifícios de luxo com vista para a Baía de Guanabara, para o oceano e para Niterói. Na outra parte será construído um imenso campo para o mais um esporte popular que, após 80 anos, retornará aos Jogos Olímpicos 2028, evento internacional a ser mais uma vez realizado na Cidade Maravilhosa: o Pólo Equestre, ou Hockey com Cavalos”.

Guia da Semana

Indaga novamente o ouvinte:
“O Rio de Janeiro tem Campo de Pólo no Itanhangá. O Pólo poderia ser disputado lá, e o Pão de Açúcar continuar onde está?”.




Esclarece a Municipalidade:
“Não, o campo do Itanhangá não atende aos padrões olímpicos. O campo para o Esporte dos Príncipes, ôpa, quero dizer, esporte popular, será no lugar do Pão de Açúcar, eu já disse! E o Recreio ganhará muitas praças com enormes benefícios para a população. Se o Carlos Sampaio demoliu o Morro do Castelo, por que eu não posso pôr abaixo o Sugar Loaf?”.


The End


Área retirada do Parque Municipal Ecológico Marapendi, reserva ambiental integrante da Área de Proteção Ambiental Marapendi, para a construção de um Campo de Golfe: aproximadamente 450.000,00 m², ou, 45 ha.
Obs. Nessa medida está incluída a parte de 58.000,00 m² doada ao antigo Estado da Guanabara, portanto área já tornada pública e pertencente ao Parque. o restante seria obrigação do empreendedor dos condomínios Riserva também passar para a Prefeitura como parte do processo de licenciamento para construir, obrigação esta que, junto com a de construir a Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso, foi dispensada em mais uma benesse urbanística prejudicial à cidade com a qual proprietários do terreno e construtores foram agraciados, entre outros favores.

E assim foi que o Pão de Açúcar desapareceu nesta fábula urbano-carioca que, com doses de bom-humor e realismo, encerra o ano de 2014 e explica que a implantação de um novo parque urbano à beira-mar, na Barra da Tijuca, o “Parque das Benesses” não guarda nenhuma relação com a perda de 450 hectares retirados do Parque Municipal Ecológico de Marapendi para a construção do Campo de Golfe Olímpico, como, mais uma vez, reportagem no jornal O Globo de 29/12/2014 quer fazer crer.

Agradecemos a todos os que nos acompanharam em mais um ano de atividades “urbano-cariocas”, aos amigos e colegas que enriqueceram o blog com ótimos artigos, e aos que comentaram e divulgaram as questões analisadas.
Com os votos de ótimo Ano Novo e o desejo de que a Cidade Maravilhosa fique mais humana, a assim, mais maravilhosa, a cada dia.

Feliz 2015!

Urbe CaRioca

Revista Veja


  1. Obrigada, Carla. Fico muito contente porque você gostou. Confesso que foi meio difícil e fiquei preocupada porque poderiam achar que um assunto nada tem a ver com o outro. Bem, concluí que é exatamente o que ocorre no caso do zgolfe e das justificativas apresentadas. Assim, decidi ir em frente! Ab.

  2. Muito bom! A sorte desses sanguessugas da cidade é terem um povo tão bobo e desinteressado. Ainda bem que há blogs como esse para nos ajudar!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *