QUINTO POEMINHA – VENDO O RIO, MUITO MAIS!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Um poeminha nada superficial

A série Vendo o Rio continua, agora com o foco na proposta enviada pelo Executivo à Câmara de Vereadores, comentada em VENDO O RIO – DIREITO DE SUPERFÍCIE: O PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR (23/03/2015); Artigo de Sonia Rabello – DIREITO DE SUPERFÍCIE NO RIO: NOTA SOBRE UMA TENTATIVA DE IMBRÓGLIO JURÍDICO (24/03/2015); DIREITO DE SUPERFÍCIE – AUDIÊNCIA PÚBLICA NA CÂMARA DIA 31/03/2015 (27/03/2015), e VENDO O RIO – DIREITO DE SUPERFÍCIE: COMENTÁRIOS INICIAIS (30/03/2015).


Como já afirmamos o PLC Projeto de Lei Complementar nº 96/2015, que trata do Direito de Superfície, tem caráter amplo e é bastante complexo. É importante que instituições e profissionais da área estudem o texto e organizem debates, para compreensão das novas configurações na paisagem urbana carioca que estão a caminho.

Por outro lado, o Projeto de Lei nº. 1115/2015 propõe a venda de imóveis Próprios Municipais e áreas públicas, medida mais uma vez adotada pelos atuais gestores públicos do Rio de Janeiro.

O blog indaga se tais decisões são realmente necessárias, ou se temos mais um discurso enganoso em tempos de “Tudo é pra Olimpíada” para vender bens tão preciosos como áreas livres, espaço aéreo e terrenos públicos, entre outros?


Hora de um novo “poeminha”.

Urbe CaRioca



SOTHEBY’S IN RIO
Ilustração: NELSON POLZIN



VENDO O RIO, MUITO MAIS !



_ “Seu Prefeito”, que doidice!
Vai vender a Superfície?
Já não basta toda a Barra
Com o Parque e a Reserva?
O Autódromo, as Vargens…
Não precisa de mais verba!



_ Vendo, sim, tudo de novo
Em outra modalidade
Complicada, ninguém vê…
Vendo o Rio em 3D.

A desculpa é a crise
E com isso faço caixa.
Mas agora é sem CEPAC,
Entra grana sem a Caixa.




_ Mas Prefeito, é a cidade!
São terrenos pra escola,
Áreas livres, até praça…
Que pro povo é de graça!
Cada ano está mais quente,
E o Meio Ambiente!?

Deixe o Rio, caro Alcaide
Sem o verde tudo esquenta.
Que dirão os seus colegas
Lá do Grupo C Quarenta?
Deixe em paz a Superfície,
Não cometa essa tolice!



_ Muito mais que a Superfície
Vendo o Rio, eu já disse!
Vendo Céu e Subsolo
É sem culpa, é sem dolo.

Vendo prisma, afastamento,
Ou quer loja, apartamento?

Se precisa de um acesso,
Forme agora um processo!
E se quer abrir a empena,
Pague logo, vale a pena!
É assunto de terceiros?
Eu nem ligo, que me importa?
Vai chover na minha horta
Pego a grana dos lindeiros!
Sobre as ruas, passarelas,
Sem problemas, que sequelas?
Vai tirar um pouco a luz,
Mas a verba me seduz!
Só importa o provento,
Faça a planta a contento!



_ É trambolho a passarela,
Uma grande esparrela!
Vinte metros de largura,

Quatro metros de altura!
Pra tapar o nosso Céu,
O meu Rio está ao léu!

Que me valha o Padroeiro,
Ó meu São Sebastião!
Pois agora o Alcaide,
Que vendia só o chão,
Vende tudo à vontade
Depende de quanto dão.

Leiloar nossa cidade,
Sem por ela ter apreço,
É sandice do Alcaide,
Ou será por vaidade?

Resta só uma verdade
Tudo é questão de preço.
Dá o Rio por inteiro
Só por causa do dinheiro.


A não ser que…

Se não for para o erário,
Há só uma explicação.
É benesse ao tal mercado,
Outra vez agraciado.
Mesmo beneficiário,
Do negócio fundiário.
Pra que intermediário?
Presenteia, dá mais chão,
Ao maior interessado:
Novo Superficiário,
Velho amigo, o de sempre,
Setor Imobiliário!

________________________
LINKS PARA “POEMINHAS” ANTERIORES E OUTRAS PARÓDIAS:
21/06/2012

  1. Prezada Silvia,
    Li sua mensagem ao Urbe CaRioca. As imagens que você menciona eu também encontrei na internet. Quando estão em algum site eu escrevo o nome do site na legenda e quando não está indicado eu escrevo simplesmente 'internet'. É um procedimento usual para a web, mas é claro que não serve para o que você precisa. Assim, não posso "autorizar" porque as imagens não são minhas. Espero que consiga um bom ilustrador. Um abraço,
    Andréa Redondo
    Blog Urbe CaRioca

  2. Prezada Silvia,
    Li sua mensagem ao Urbe CaRioca. As imagens que você menciona eu também encontrei na internet. Quando estão em algum site eu escrevo o nome do site na legenda e quando não está indicado eu escrevo simplesmente 'internet'. É um procedimento usual para a web, mas é claro que não serve para o que você precisa. Assim, não posso "autorizar" porque as imagens não são minhas. Espero que consiga um bom ilustrador. Um abraço,
    Andréa Redondo
    Blog Urbe CaRioca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *