CAMPO DE GOLFE: O MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL E UM PROGNÓSTICO INCRÍVEL

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Área retirada do Parque Municipal Ecológico Marapendi, reserva ambiental integrante da Área de Proteção Ambiental Marapendi, para a construção de um Campo de Golfe: aproximadamente 450.000,00 m², ou, 45 ha.  Nessa medida está incluída a parte de 58.000,00 m² doada ao antigo Estado da Guanabara, portanto área pública e pertencente ao Parque. O restante seria obrigação do empreendedor dos condomínios Riserva também passar para a propriedade do município como parte do processo de licenciamento para construir, obrigação que, junto com a construção da Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso, foi dispensada: outra benesse urbanística prejudicial à cidade com a qual proprietários do terreno e construtores foram agraciados, entre outros favores.


A notícia publicada no Globo Esporte hoje poderia ser alvissareira. Entretanto, não cremos na hipótese apontada no subtítulo da manchete:

Ministério Público recorre de ação que questiona caráter ecológico da obra. Se ganhar a causa, vegetação nativa será recuperada, e campo reduzido ou desmanchado
Ora, o MPE não determinou a paralisação da construção de um Campo de Golfe dito “olímpico” e desnecessário, situado parcialmente sobre áreas públicas integrantes do Parque Municipal Ecológico Marapendi, parte sobre áreas gravadas destinadas ao parque e sobre uma avenida projetada importante, cujo proprietário foi dispensado de doar quase 400 hectares ao município, e de construir o trecho que concluiria a Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso entre a Avenida Ayrton Senna e a Avenida Alfredo Balthazar da Silveira – antiga Via 2 do Plano Piloto para a Baixada de Jacarepaguá – nem investigou as escandalosas leis complementares aprovadas ao apagar das luzes do exercício legislativo de 2012.

The golf course for the 2016 Olympics is being built in
this ecologically sensitive area, which is supposed to
be protected by law. (Photo by Elena Hodges)

Por isso é de se duvidar que algo mude após a obra estar pronta, o Parque Ecológico Marapendi mutilado, a avenida cortada, e provavelmente já negociados os edifícios de apartamentos a serem construídos conforme o escopo da transação imobiliária que usou como pano de fundo a modalidade ‘golfe’, incluída nos JO 2016 (a pedido de quem?) depois de um século ausente das Olimpíadas.
Os que acompanham este blog conhecem o tema, tratado aqui desde  PACOTE OLÍMPICO 2 – O CAMPO DE GOLFE E APA MARAPENDI, no final de 2012.

Todas as análises do ponto de vista urbanístico e viário, alguns artigos de especialistas em Meio Ambiente, o enganoso projeto Desafio Ágora, e muitas respostas às inverdades apresentadas pela Prefeitura estão disponíveis no blog Urbe CaRioca desde novembro/2012. As publicações estão reunidas nas postagens e respectivos links, a seguir.

Que fique o registro. Afinal, VAI TER OLIMPÍADA!

Urbe CaRioca

Internat

20/07/2015 – O CAMPO DE GOLFE DITO OLÍMPICO E A CORUJA-BURAQUEIRA

30/12/2014 – GOLFE – MUITAS FACES, UMA SÓ MOEDA (todas as postagens de 15/11/2012 a 27/12/2014)

31/12/2014 – EXTRA! EXTRA! PÃO DE AÇÚCAR SERÁ DEMOLIDO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *