A PONTE ESTAIADA PREFEITO PEREIRA PASSOS NA ILHA DO GOVERNADOR, de Atilio Flegner

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page


Em 30/09/2015 publicamos LINHA 2 DO METRÔ – NOTÍCIAS E ARTIGO, com texto de Atilio Flegner administra a página METRÔ QUE O RIO PRECISA, na rede social Facebook. Tal como o blog METRÔ DO RIO, de responsabilidade de Miguel Gonzalez, é fonte preciosa de análises, comentários e informações sobre esse modal carioca, meio de transporte inaugurado há mais de quatro décadas e ainda restrito a duas Linhas, recentemente transformadas em praticamente uma, com a junção das linhas 1 e 2 que contornam a cidade da Zona Norte à Zona Sul na direção Pavuna-Centro-Ipanema, via Botafogo e Copacabana.

Atento às questões que envolvem o transporte público no Rio de Janeiro, no artigo abaixo – divulgado originalmente no FB junto com a fotografia da ponte “para que pessoas de outras regiões do Rio observem como o nosso dinheiro é mal gasto em matéria de transportes” – Atilio faz comentários sobre a ponte estaiada construída na Ilha do Governador, o sistema de BRT implantado na cercania do Aeroporto Internacional, e a precariedade dos serviços de transportes para a região.

A visão do articulista sobre a obra coincide com a deste blog, pois também nos parece desperdício de dinheiro público somado à ineficiência: “uma ponte enorme, cara, nova e vazia, enquanto ao lado o trânsito fica permanentemente engarrafado”, como comprovamos várias vezes in loco, na Linha Vermelha e nos acessos à Ilha do Governador desde o final da tarde até depois das 22h.


Boa leitura.


Urbe CaRioca


Página Metrô que o Rio Precisa

A PONTE ESTAIADA PREFEITO PEREIRA PASSOS NA ILHA DO GOVERNADOR

Atilio Flegner
Jan.2016

Essa é a ponte estaiada* Prefeito Pereira Passos.

Trata-se de ligação exclusiva para passagem do BRT entre a Ilha do Fundão e a Ilha do Governador.

Todo o conjunto da ponte possui 2100 metros. Nela passa o ônibus do BRT e nada mais: não tem calçada, não tem ciclovia, não tem via para carros e nem para outros ônibus. Às demais pessoas resta o engarrafamento da entrada da Ilha passando pelas duas outras pontes, uma delas inaugurada em 1949. A cena da foto acima é ridícula: é uma ponte nova enorme, cara e vazia, enquanto ao lado o trânsito fica permanentemente engarrafado.

A estrutura fica sem uso durante a maior parte do dia, porque passa um BRT apenas a cada 30 minutos – o intervalo entre a passagem dos ônibus articulados que vão até o aeroporto. Embora a prefeitura não tenha divulgado o preço da ponte, uma estrutura como essa não custa menos do que 250 milhões de reais. Aliás, pontes estaiadas bem menores alcançam cifras na casa dos 230 milhões. A título de comparação, a estação Uruguai do metrô, custou 250 milhões de reais.

O BRT Transcarioca custou R$ 2,2 bilhões sendo 1,1 bilhão do governo federal, o restante da prefeitura, sendo os ônibus comprados pelas companhias ligadas a Fetransport.

Ficam os questionamentos: será que o governo federal não tinha algum lugar mais útil onde desperdiçar 1,1 bilhão de reais? O projeto não poderia prever na ponte nova, melhorias de tráfego, calçadas e ciclovias, por exemplo?

O BRT não serve aos cerca de 220 mil moradores da Ilha do Governador, porém recebeu vultosos investimentos. Note-se que as Linhas 5 e 6* do Metrô não saíram do papel.

Existe ainda na Ilha do Governador uma linha de barcas que opera desde 2006 no Cocotá e nunca recebeu um centavo em melhorias. Sobre este assunto o governo do estado fará uma audiência publica na próxima segunda feira dia 01 de fevereiro as 19h no Esporte Club Cocotá *.

______________
*Notas:

1.      Ponte Estaiada (Wikipedia) – Ponte estaiada (português brasileiro) ou ponte atirantada (português europeu) é um tipo de ponte suspensa por cabos constituída de um ou mais mastros, de onde partem cabos de sustentação para os tabuleiros da ponte.

2.      Linha 5 – Estação Cocotá, Estação Jardim Guanabara, Estação Aeroporto Internacional do Galeão, Estação UFRJ, Estação Rodoviária Novo Rio, Estação Carioca e Estação Aeroporto Santos Dumont.

3.      Linha 6 – Estação Aeroporto Internacional do Galeão, Estação Penha, Estação Vila da Penha, Estação Irajá, Estação Madureira Shopping, Estação Campinho, Estação Taquara, Estação Jacarepaguá, Estação Cidade de Deus, Estação Casa Shopping, Estação Shopping Via Parque, Estação Hospital Lourenço Jorge e Estação Alvorada (Obs. 1 –  METRÔ: QUEM DIRIA, A LINHA 4 VIROU LINHA 5!; Obs. 2 – as duas linhas citadas serviriam também à Ilha do Governador).
4.      Segundo o autor, na reunião ocorrida em 01/02/2015, “organizada pelo governo do estado (…) não havia slides nem respostas objetivas; o governo, por meio do técnico Alexandre Velloso e do secretário Carlos Osório, prometeram uma série de coisas sendo: após a chegada das 7 embarcações chinesas, os 4 catamarãs HC18 serão transferidos para a Ilha do Governador; o terminal Ribeira será reativado e haverá um novo terminal no Fundão; serão adquiridas novas embarcações catamarã de 450 lugares com velocidade máx. de 32 nós; nada foi dito sobre prazos, assim, soa como uma grande balela; os HC18 são lentos, quentes e barulhentos, precisariam passar por uma reforma – perguntei a respeito e eles responderam; faltou objetividade.
5.      Observação do blog – não é de admirar-se, pois é sabido que Osório Segue Prometendo Metrô para Todo Mundo (blog Metrô do Rio 10/12/2015).

Ilha do Governador, 01/02/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *