METRÔ – GÁVEA, CRUZ VERMELHA, SÃO JOÃO E CARIOCA, de Miguel Gonzalez

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Mais um artigo do responsável pelo blog Metrô do Rio, Miguel Gonzalez – publicado originalmente naquele blog no último dia 26 – reafirma a importância de construir as estações nomeadas no título, relegadas enquanto de construía a extensão da Linha 1, batizada de Linha 4 Sul, para atender aos Jogos Olímpicos.

Ao contrário do que se afirma insistentemente, a cidade serviu ao evento, ao menos nesse quesito.

Boa leitura.

NOTA: A uma semana dos Jogos, o Rio está diferente. Figuras armadas, Exército, Marinha, Polícia Rodoviária Federal, veículos militares e comboios de motocicletas, muitos uniformes que protegem e assustam ao mesmo tempo. Muito melhores são os uniformes coloridos dos atletas que já estão passeando pelas ruas da Zona Sul. Muda a paisagem urbana, muda a paisagem humana. Que tudo corra bem!

Urbe CaRioca
Metrô do Rio – Proposta original



  

Miguel Gonzalez/Blog Metrô do Rio

Os Governadores Pezão/Dornelles, o Secretário Estadual de Transportes Rodrigo Vieira, a presidente da Rio Trilhos Tatiana Carius e o Presidente do Metrô Rio, Flávio Almada afirmam que a Estação Gávea será inaugurada em 2018.

Você acredita nisso? Muitos leitores deste blog não. E eles têm razão. Como é público e notório, o estado está quebrado. A obra da Linha 4, que deveria ter custado cerca de R$ 5 bilhões, já passou dos R$ 10 bilhões. O tatuzão encontra-se desligado e precisa ser remontado para escavar um novo túnel por baixo do Leblon até a futura Estação Gávea, cujas obras estão paradas há cerca de dois anos.

 Muitas outras autoridades prometeram no passado concluir estações das Linhas 1 e 2 cujas obras foram iniciadas e nunca terminadas.

 A Estação Praça da Cruz Vermelha e a plataforma da Linha 2 da Estação Carioca tiveram suas obras iniciadas nos anos 80 e 70 respectivamente. Na Cruz Vermelha, o remanejamento da rede de serviços públicos foi feito. O tatuzão escavou cerca de 80 metros no bairro do Estácio. Na Estação Carioca, grande parte dos custos da plataforma da Linha 2 já foram contabilizados. A plataforma está ali (foto), aguardando o trem chegar. A conclusão da Linha 2 também beneficiaria a Estação Catumbi e a Estação Praça XV cujas obras nunca saíram do papel. O último capítulo desta estória aconteceu no final de 2015, quando Carlos Osório, então Secretário de Transportes, declarou que o Governo pagou R$ 25 milhões para que a Metrô Rio entregasse o projeto técnico de engenharia para a conclusão desta obra. Até agora, nada e o dinheiro público…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *