CLUBES DE FUTEBOL – AGORA FLUMINENSE QUER ESTÁDIO NO PARQUE OLÍMPICO

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

E propõe outro destino para a estrutura destinada a quatro escolas

A notícia foi publicada na última quinta-feira, feriado de Corpus Christi, no site Globo Esporte, após divulgação no site NetFlu. Conforme título, o Fluminense Football Club deseja erguer estádio próprio no parque olímpico, não mais no terreno vizinho ao condomínio que abrigou a Vila dos Jogos Pan-Americanos.

Segundo a notícia, o Fluminense prefere aquele ao local anteriormente previsto “próximo à Vila do Pan, o qual o clube firmou memorando de entendimento com um fundo imobiliário (…) O índice de construção precisa ser alterado, o que depende da prefeitura. Além disso, por ser em área de mangue, exige aterramento, como feito nos moldes do CT. Não há ainda rede de abastecimento de água e energia elétrica”.

Quanto à nova localização, em princípio pareceria mais adequado do ponto de vista urbanístico do que a anterior: o finado Autódromo não retornará, eliminado que foi “pra olimpíada”; o local – hoje um palco abandonado, o elefante branco que tantos temiam – já se transformou em polo esportivo, ao menos durante duas semanas.

Mas, não é tão simples.

Mesmo que o local seja melhor que a alternativa anterior, pode ser apenas “menos ruim” e igualmente inadequado. Cabem algumas perguntas. O Rio precisa realmente de mais estádios? O trânsito sempre sobrecarregado da Barra da Tijuca comportará mais um ponto de reunião de grande público? O que pensa o consórcio que administra o terreno do Parque Olímpico e lá poderá construir dezenas de condomínios? Precisaria também ‘autorizar’ a construção?

É importante lembrar que o trânsito na cidade foi completamente modificado durante os quinze dias dos JO, para garantir que os transportes funcionassem a contento no período em que Rio de Janeiro vivia outra rotina. Um estádio permanente requer estudos de impacto sobre o tráfego e suas consequências.

Muito estranho, diga-se, é o clube propor o uso do material da Arena do Futuro – a que seria desmontada para a construção de quatro escolas – para construir o seu estádio.

Educação é prioridade. As escolas, um dos prometidos legados olímpicos, devem ser construídas. É absurdo o clube entender que ajudará a Prefeitura dando utilidade ao material da Arena do Futuro. Mais absurdo será a Prefeitura aceitar, salvo se, no mesmo arranjo, resgatar a promessa do seu antecessor e construir as quatro escolas.

  Urbe CaRioca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *