Enquanto a demolição do Elevado Engenheiro Freyssinet não vem

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Rio Comprido, antes da construção do Elevado Engenheiro Freyssinet – Imagem obtida na internet.

Todos os que conheceram o bairro do Rio Comprido sabem como o lugar era aprazível antes da construção do Viaduto sobre a Avenida Paulo de Frontin, que, ao melhorar as condições de mobilidade entre a Zona Norte e o Centro – via automóveis e ônibus – destruiu a bela avenida, descaracterizou o bairro, desvalorizou imóveis, levou poluição sonora, ambiental e paisagística em especial às casas e edifícios imediatamente vizinhos, e criou áreas de sombra e insegurança para transeuntes ao nível do solo.

Do ponto de vista urbanístico, a demolição do monstrengo é desejável: ação de governo improvável devido às muitas demandas prioritárias na nossa combalida e abandonada cidade.

VIADUTO ENGENHEIRO FREYSSINET, NO RIO COMPRIDO – PELA DEMOLIÇÃO, OU…

A postagem VIADUTO ENGENHEIRO FREYSSINET, NO RIO COMPRIDO – PELA DEMOLIÇÃO, OU… , de agosto/2014, com imagens de Guilherme Maia, teve grande repercussão e suscitou algumas polêmicas. A situação de hoje não é muito diferente. Houve propostas para embelezamento do local, cujos projetos podem ser encontrados facilmente, nenhuma aproveitada ainda que de forma parcial. Por outro lado, a prometida reforma do Túnel Rebouças, também não aconteceu.

Retornamos ao assunto para mostrar a solução de aproveitamento dada à parte inferior de um viaduto que fica no distrito de Yokohama, Japão, publicada em archdaily.com.br.

O trecho de apenas 100 metros de extensão, trouxe benefícios inclusive em questões sociais. Quem sabe a iniciativa inspirará os gestores públicos da Cidade do Rio de Janeiro, enquanto a demolição não vem?

Urbe CaRioca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *