O encanto das tartarugas no Caminho da Pedra do Leme

27 de dezembro de 2019 – Plínio Loures Senna

Assunto: O encanto das tartarugas no Caminho da Pedra do Leme

“Na última semana, cinco tartarugas nadavam pela arrebentação e encantavam os frequentadores do Caminho da Pedra do Leme.

A APA do Morro do Leme tem cerca de 2 km de costão marinho no Forte do Leme (CEP/FDC) e mais cerca de 1 km na Ilha de Cotunduba.

No Parque Natural Municipal PAISAGEM CARIOCA.
APA do Forte Duque de Caxias / CEP – Exército Brasileiro” Leia mais

Réveillon de Copacabana marcará início do ano da Arquitetura e Urbanismo no Rio

Maior festa da passagem de ano no mundo, o Réveillon de Copacabana marcará também o início das comemorações da eleição do Rio de Janeiro como primeira Capital Mundial da Arquitetura, título que a cidade ganha em 2020 por sediar o 27º Congresso Mundial de Arquitetos. O título foi concedido pela UNESCO.

O tema “Amor a cada Vista” buscará ressaltar as belezas naturais e arquitetônicas da cidade. A proposta é que turistas e também os próprios cariocas fotografem paisagens, construções e monumentos da cidade e divulguem nas redes sociais com a hashtag #vemprorio. Leia mais

Parque Nelson Mandela – sem parque, sem estacionamento

Reprodução do texto publicado na página da Associação de Moradores do Recreio – AMOR

O dia 22 de dezembro foi mais um domingo de sol no Recreio (Zona Oeste do Rio de Janeiro) e como, infelizmente acontecia, a área do Parque Nelson Mandela – Reserva e que faz parte do mosaico de Parques da região teve sua barreiras de concreto removidas e estava invadida por um estacionamento ilegal que ignorava as placas de alerta. Leia mais

Registros do abandono no Centro do Rio

23 de dezembro de 2019 – Paulo Clarindo

Assunto: Abandono no Centro do Rio

“Este belíssimo imóvel, porém, abandonado, está localizado na Rua da Constituição, 41, Centro do Rio. Observem os detalhes na sua fachada: o ano de 1863 e a uma inscrição “R. A. B. dos Artistas Portugueses”.

Fotos: Paulo Clarindo

Rio de Janeiro, Zona Sul, Leblon – Governador quer mudar gabarito de construção

Ou, Sempre o gabarito.

Mais uma vez o terreno do 23º Batalhão da Polícia Militar é alvo de gestores públicos que desejam oferecê-lo ao mercado imobiliário. Curiosamente, a notícia informa que governador do Rio de Janeiro solicitou à Câmara de Vereadores alterações para o bairro do Leblon, com vistas à construção de duas torres com mais de 200 metros de altura, que, nas suas palavras, “vão se harmonizar com a região e vão tornar o Rio de Janeiro diferenciado”, afirmação sem consistência alguma. Leia mais

Extensão das redes de metrô em outras cidades do mundo e no Rio

Claudio Janowitzer, fundador do Movimento “Metrô que o Rio Precisa”, fez a compilação de um quadro comparativo através da qual  é possível observarmos a disparidade da extensão das redes de metrô de outras cidades do mundo em comparação com o metrô do Rio de Janeiro.

“O metrô do Rio iniciou obras em 1971, e foi inaugurado em 1979. Quase 50 anos depois do inicio das obras, temos apenas 52 Km de metrô, ou seja, levamos 50 anos pra fazer 52 Km, se esse ritmo vergonhoso se mantiver nas próximas décadas, apenas em 2069 chegaremos aos 100 Km. Leia mais

Abandono do Jardim Suspenso do Valongo

15 de dezembro de 2019 – Karen Eline

Assunto: Abandono do Jardim Suspenso do Valongo

Publicado originalmente no grupo S.O.S Patrimônio

Sou guia de turismo e sempre realizo visitas guiadas na região do Valongo e Morro da Conceição. No entanto, nos últimos tempos o Jardim Suspenso do Valongo está em total abandono, mato alto, monumentos quebrados, sem portões, sem placas informativas, com pichações e uma população estranha… Leia mais

Tarde de autógrafos – Copa de 50, de André Luis Mansur

Depois de “A Rebelião dos Sinais”, lançado em 2010, o jornalista e escritor André Luis Mansur volta aos contos neste livro, que reúne seis histórias, sendo que a que dá título ao livro trata de uma história de amor que começa em plena Copa de 50.

Nos outros contos, o recomeço de uma vida pela pintura (Tela em branco), a rotina de um ladrão incomum (O ladrão), a inusitada visita de um personagem de Machado de Assis a uma livraria (A livraria de João Gari), as estratégias de um vagabundo para viver às custas dos pais (Trabalhadores do Brasil) e a misteriosa visita que uma avó, já falecida, faz à neta (A visita) Leia mais

O Rio, o Governador e o Autódromo

Reproduzimos o excelente artigo da professora e jurista Sonia Rabello, publicado originalmente no site no site “A Sociedade em Busca do seu Direito”, no qual questiona a prorrogação do estado de calamidade pública no Rio e os incentivos fiscais milionários aprovados para que a cidade receba eventos de corrida.

“O Governador W. Witzel estendeu, até o final de 2020, o estado de calamidade pública no âmbito da administração financeira do Estado do Rio. Dias antes, a Secretaria de Esporte do Rio de Janeiro aprovou um projeto que dará R$ 302 milhões em incentivos fiscais para que a cidade receba o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 nas temporadas de 2021 e 2022 !”, destaca.

Vale a leitura !

Urbe CaRioca

Esquizofrenia econômico-fiscal do Estado do Rio de Janeiro: sua nova declaração de “calamidade financeira” é incompatível com a sua renúncia fiscal para patrocinadores do polêmico “Autódromo de Deodoro”

Por Sonia Rabello

Divulgação

Dia 10 de dezembro de 2019, o Governador W. Witzel estendeu, até o final de 2020, o estado de calamidade pública no âmbito da administração financeira do Estado do Rio, por força da Lei Estadual nº 8647/19, de autoria do Poder Executivo.

Dias antes, no dia 3 de dezembro, a Secretaria de Esporte do Rio de Janeiro aprovou um projeto que dará R$ 302 milhões em incentivos fiscais para que a cidade receba o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 nas temporadas de 2021 e 2022″, valor este acima do teto legal da lei estadual de renúncia fiscal.

Lembrando três pontos básicos nesta esquizofrenia na administração financeira do Estado:

1. Foram as renúncias fiscais, sobretudo as dadas no governo do ex governador Sérgio Cabral, um dos motivos apontados para a falência do Estado e seu estado de calamidade.

2. O projeto para o qual a Secretaria de Esporte aprovou tamanha renúncia fiscal é altamente polêmico: está sub judice na Justiça Federal, e nem se sabe quando e se será liberado, já que muitas outras demandas e questionamentos judiciais certamente virão.

3. As renúncias fiscais ora aprovadas pela atual Administração Estadual inserem-se dentro de uma competição fiscal com o governo/Cidade de São Paulo na disputa pela Fórmula 1, e que é altamente condenada por qualquer estudo técnico financeiro.

O atual governo do Estado voltou a trilhar mesmo velho caminho feito no Governo Cabral? Péssimo sinal!

A Roda-Gigante finalmente chega à Zona Portuária do Rio!

No primeiro fim de semana de funcionamento da Rio Star, a maior roda-gigante da América Latina, centenas de pessoas fizeram filas para desfrutar o passeio no brinquedo de 88 metros de altura na Praça Muhammad Ali, na Zona Portuária do Rio.

O equipamento, que  chama a atenção de quem passa pela Via Binário e pelas ruas da região, confirma que será uma grande atração turística, ocupando uma área de 2560 m²  e com expectativa de receber um milhão de pessoas todos os anos. Leia mais

Lado ímpar da Avenida Niemeyer é non-aedificandi

Perante as leis urbanísticas da Cidade do Rio de Janeiro, o chamado oficialmente de ‘lado ímpar da Avenida Niemeyer’ é o lado da magnífica via sinuosa que costeia os morros do Vidigal e Dois Irmãos voltado para o mar. A restrição administrativa está no Decreto Nº 1.892 de 17 de novembro de 1978.

Reportagem feita pelo “O Globo” noticia que a Prefeitura do Rio fez licitação para que área de 500 metros quadrados situada na Avenida Niemeyer, à beira-mar, seja ocupada. Lá está sendo montado um beach club privado. Segundo a matéria no local são permitidas estruturas temporárias. O dado causa estranheza.

Ora, se na Área de Proteção Ambiental da Orla Marítima das Praias de Copacabana, Ipanema, Leblon, São Conrado e Barra da Tijuca criada pela Lei nº 1.272 de 06 de julho de 1988: não é permitido “qualquer tipo de construção de caráter permanente-provisório ou desmontável com finalidades para o exercício de atividades comerciais”, nada justifica a permissão exatamente no lado ímpar da Avenida Niemeyer, consagrada como non aedificandi desde 1978, em tempos pós hotéis gigantescos quando o céu era o limite. Leia mais

Projeto de Lei apresentado no COMPUR é diferente do proposto pela Prefeitura do Rio

O Fórum de Planejamento Urbano do Rio – grupo de trabalho formado por uma rede de organizações da sociedade civil – chama a atenção para as diferenças apontadas pela advogada Verônica Beck em relação ao Projeto de Lei Complementar 136/2019 que a Prefeitura do Rio apresentou ao COMPUR e à Câmara de Vereadores. O mesmo PLC com artigos diferentes em duas versões, conforme pode ser visto abaixo: Leia mais

Placas desorientadas no Humaitá

Quem não conhece a região do Humaitá, na Zona Sul do Rio, poderá ficar ainda mais desorientado se for seguir pela direção das placas das ruas Macedo Sobrinho e Visconde de Silva.

Por alguma questão alheia ao nosso conhecimento, na tarde desta terça-feira, dia 3, quem passava pelo local percebia que o poste simplesmente “girou” e estava com as indicações e os nomes das ruas invertidos. Leia mais