Análise do romance “A Praça” de André Luis Mansur

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Neste artigo, a análise da escritora e jornalista Luciana Hidalgo sobre o romance “A Praça”, do jornalista e escritor André Luis Mansur. Vale a leitura.

UtilitáRio

 

“Acabei de ler seu romance agora e escrevo para dizer que é uma delícia de leitura. Para começar, adorei o fato de Luis Antonio ser um “passeador” (como não gostaria?). A ideia de centrar a maior parte do romance na Praça Tiradentes é ótima (o título do livro é perfeito).

Você descreve muito bem os personagens típicos das ruas, os anônimos, os invisíveis na hierarquia social. Eles me remeteram a João do Rio, é claro. Mas você vai além ao delinear com minúcias as idiossincrasias de uma personagem complexa como a prostituta Leila, por exemplo. Aliás, as descrições dos personagens principais e seus dilemas são muito boas.

Gosto também quando detalhes das suas andanças pelo Centro e seu conhecimento dos fatos da história do Rio Antigo se insinuam no meio da trama. Me lembrei do nosso caro Lima Barreto, é claro. Seu romance tem o mesmo olhar dos subúrbios que Lima tinha, um olhar de dentro, bonito e comovente, que exalta, entre outras belezas, as relações de amizade e solidariedade entre as pessoas – é linda a história da prostituta Pompom, ajudada por todos no fim da vida, no hotel onde mora.

Uma curiosidade: quando Vera Lucia voltou ao subúrbio onde morava, imaginei Lima visitando o subúrbio onde morou, fazendo as mesmas observações (já o imagino criticando a quantidade de camelôs etc.).

Quanto ao texto em geral, flui bem demais, sem retenções, a gente vai lendo sem parar. E não há erros de edição, pelo contrário, a revisão é excelente.

Mais uma coisa: quando vi no final da edição a lista dos seus livros publicados, fiquei pensando como você conseguiu abrir um caminho diferente, autêntico, só seu, para viver da escrita. Muito bonito o seu percurso, querido amigo. Uma alegria acompanhá-lo nessa estrada. ”

Nota:

No mês de março haverá  mais dois lançamentos do romance “A Praça”. Ambos no Inanna – Instituto do Conhecimento, no Centro do Rio. E em abril, no dia 13, haverá o lançamento entre 9h e 12h, na Cinelândia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *