Projeto de Niemeyer, Casa das Canoas, no Rio, amarga com o abandono

Um dos marcos da arquitetura moderna brasileira, a Casa das Canoas, na Zona Sul do Rio de Janeiro, projetada por Oscar Niemeyer para viver ali com a família, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), está se deteriorando a cada dia.

A responsável pela manutenção do imóvel erguido em plena Mata Atlântica, no bairro de São Conrado, fechado há um ano, é a Fundação Oscar Niemeyer.

A casa onde morou Oscar Niemeyer exibe sinais de abandono Foto: Gabriel de Paiva / O Globo

De acordo com a coluna do jornalista Lauro jardim, no “O Globo”, “a  falta de cuidado é perceptível para onde quer que se olhe. A piscina está sem água e com azulejos trincados. O jardim, projetado por Burle Marx, está sendo modificado (onde tinha grama botaram cascalhos). Fora os móveis que foram retirados da casa e infiltrações diversas pelas paredes”, denuncia.

Divulgação

 

Ícone da arquitetura – Inaugurada em 1951 no sopé da Pedra Bonita, em São Conrado, a Casa das Canoas é considerada um marco da arquitetura moderna brasileira. Oscar Niemeyer morou ali com a mulher, Anita, e a filha, Ana Maria, até 1959. O imóvel é cercado por jardins de Roberto Burle Marx e da Mata Atlântica da Floresta da Tijuca.

A casa foi aberta ao público há 20 anos, tornando-se protegida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2007, em um tombamento coletivo de 35 obras do arquiteto em comemoração aos seus cem anos.

O verde pode ser admirado do interior da construção, cercada por vidros curvos que acompanham seu contorno. Para as salas de estar  foram criadas, segundo o próprio Niemeyer, “uma zona em sombra, para que a parte envidraçada poupasse o uso de cortinas e a casa ficasse transparente”.

Uma imensa pedra se estende da piscina em formato circular até o interior da sala, mostrando a admiração do autor pela natureza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *