Museu de réplicas em Guaratiba encanta adultos e crianças

Fonte: Site Bafafá

No bairro de Guaratiba, na Zona Oeste, fica localizado o Museu de Réplicas Ronaldo J. Ribeiro, com exposição de cerca de 500 miniaturas produzidas pelo médico, artista e músico Roberto de Regina.

Aposentado da profissão de médico Roberto se dedica à arte. O acervo do museu é lindíssimo e inclui réplicas das principais catedrais e castelos europeus, do Vaticano, inclusive a Basílica de São Pedro, automóveis e trens antigos, o 14 Bis, de Santos Dumont e a Kitty Hawk, dos Irmãos Wright, aviões, embarcações como a Barca do Sol (usada no funeral do faraó Quéops, em 4500 A.C.) e a esquadra de Pedro Álvares Cabral, entre outros. Leia mais

Crescimento de árvore em edificação preservada no Centro do Rio

26 de janeiro de 2020 –Marcos Moraes de Sá

Assunto: Crescimento de uma árvore em edificação preservada no Centro do Rio

O arquiteto Marcos Moraes de Sá, atento observador da Cidade do Rio de Janeiro, analisa em detalhes o crescimento de uma árvore em edificação preservada situado na Travessa do Tinoco, no Centro do Rio.

“Primeira inadequação; fez-se uma jardineira colada à fachada. Duplo erro, pois trata-se de uma fachada preservada. Leia mais

Moda & Arte – Museu Histórico Nacional

Temas tratados na visita guiada com o professor Paulo Debom
– A família real portuguesa no Brasil
– Identidade, imagem e relações de poder no Brasil do XIX
– A construção da imagem pública do Império por meio das imagens e das roupas

Professor Paulo Debom – Doutor em História e Mestre em Ciências Sociais pela UERJ. Docente da Escola de Artes do Centro Universitário Celso Lisboa. Autor dos artigos “O Império da Aparência” (Revista de História da Biblioteca Nacional) e “Worth, o precursor da alta costura (Revista Dobras). Entre 2004 e 2011, ministrou aulas de História da Moda e da Arte para grupos em museus parisienses – Musée du Louvre e Musée d’Orsay Leia mais

Os Urban Sketchers estão no Rio de Janeiro

Você já ouviu falar dos Urban Sketchers ?

Depois de observar um número cada vez maior de pessoas compartilhando seus desenhos de locação (feitos ao ar livre) na web, o jornalista espanhol e residente nos Estados Unidos, Gabriel Campanario criou, em 2008, o blog www.urbansketchers.org para reunir entusiastas desse tipo de atividade artística. Desde então esse grupo vem crescendo rapidamente, contando hoje com mais de 200 grupos regionais oficiais que mantém as mais diversas atividades regulares envolvendo a prática e a divulgação do desenho de rua (Official Regional Chapters), reunindo assim dezenas de milhares de pessoas na internet e em seus encontros regionais e internacionais. Leia mais

Lançamento do livro “Prosa Urbana”

Na próxima terça-feira, dia 28 de janeiro, na Livraria da Travessa de Botafogo, o arquiteto Vicente Loureiro lançará o livro “Prosa Urbana”, uma série de crônicas curtas e informativas mas questionadoras de temas que vão desde o conceito básico de cidade, passando pela governabilidade da metrópole, até os caminhos do futuro e os direitos do pedestre e de cada cidadão a espaços públicos qualificados e qualidade de vida urbana. Leia mais

Instituto de Arquitetos do Brasil inicia comemorações do ano do centenário

Neste fim de semana tem início o ano em que o Instituto de Arquitetos do Brasil celebra seu centenário. O pontapé das celebrações será no edifício onde o Instituto foi fundado, que hoje abriga o Museu Nacional de Belas Artes, na Cinelândia, Centro do Rio de Janeiro. Sábado, dia 25 de janeiro, às 14h, haverá a primeira reunião do Conselho Estadual do IAB no ano, no mesmo Salão Nobre onde aconteceu a primeira reunião do Instituto. Leia mais

Novidades sobre o Museu da Imagem e do Som

No início deste mês, nosso site publicou o artigo de grande repercussão “Edifício do Museu da Imagem e do Som no Rio de Janeiro – Capital Mundial da Arquitetura”, da doutora em Urbanismo Ivete Farah no qual a arquiteta destacou a importância do UIA 2020 Rio, este ano, no Rio de Janeiro, e a oportunidade de discutirmos o estado de paralisação da obra do MIS / Museu da Imagem e do Som na Cidade, buscando soluções para reverter o quadro de abandono. Leia mais

Prédios de luxo são demolidos na Índia por violação de leis ambientais

Enquanto no Rio de Janeiro, construções irregulares avançam próximo à área onde prédios desabaram na Muzema, na Zona Oeste, neste mês, na Índia, autoridades indianas demoliram edifícios de apartamentos de luxo cuja construção violou “regras ambientais”. O Supremo Tribunal do país ordenou a demolição no ano passado, depois de um comitê de avaliação ter concluído que os complexos de luxo quebravam as regras de proteção da orla costeira. Leia mais

As regras ignoradas e a política do uso e abuso do espaço público no Rio: o caso da Favorita em Copacabana, de Sonia Rabello

Neste artigo, publicado originalmente no site “A Sociedade em Busca do seu Direito”, a professora e jurista Sonia Rabello destaca as decisões do governo da Cidade sobre o uso e a ocupação privada da orla das praias do Rio ignorando os compromissos de preservação.

“Há mais de um ano, pelo menos, o Conselho de Patrimônio Cultural do Estado do Rio explicitou os critérios para o uso e a ocupação da orla de Copacabana, seja por equipamentos permanentes, seja por equipamentos ditos temporários. A `abertura do Carnaval´ de 2020 foi criada pela atual gestão, de olho nas eleições. Começa com o `temporário´ para, aos poucos, se tornar definitivo e para sempre”, afirma.

Vale a leitura ! Leia mais

Linha 4 verdadeira – não executada entre Botafogo e Gávea – faz falta

12 de janeiro de 2020 –Atílio Flegner

Assunto: Linha 4 verdadeira – não executada entre Botafogo e Gávea – faz falta

Mais uma explicação de Atílio Flegner para compreender que a Linha 4 verdadeira – não executada entre Botafogo e Gávea – faz falta. E que esticar a Linha 1, rebatizando-a, foi um artifício, questionável do ponto de vista técnico e jurídico (licitação antiga aproveitada). Leia mais

Lançamento do livro “Metrô 40 anos de histórias – Da gestão pública à iniciativa privada”

Nesta segunda-feira, dia 13, às 14h, na estação General Osório, acontecerá o lançamento do livro “Metrô 40 anos de histórias – Da gestão pública à iniciativa privada”.  O livro foi escrito pela engenheira Ângela França que foi assessora do gerente de projetos, do vice presidente e do diretor de planejamento (Fernando Mac Dowell) durante a construção e inauguração do metrô.
Angela França conta, em 120 páginas, histórias pitorescas das quatro décadas do metrô carioca, apresentadas por gente que fez e ainda é parte do elenco da operadora.
De acordo com a apresentação, na obra são abordados “fatos reais que permitem aos leitores o conhecimento dos meandros da empresa em todos os seus aspectos. Os altos e baixos, os dias de glória e de penúria durante a escalada técnica e principalmente política que tanto descaracterizou o plano de viabilidade previsto para a cidade, que até hoje não conseguiu ver seu sistema pleno implantado”.“A ideia surgiu pelo fato da Companhia fazer 40 anos uma data bem significativa, sendo 20 anos de gestão pública e outros 20 da concessão. Nada melhor do que contar esta história para a sociedade com dados pistorescos narrados por ex-presidentes e diretores dos dois lados, além do próprio quadro de funcionários”, comenta França.Angela França é engenheira eletricista, formada pela Universidade Católica de Petrópolis (UCP), palestrante, consultora, autora de diversos CD´s voltados ao Sistema da Qualidade inclusive com método próprio intitulado “Programa 5S sem segredos” e dos livros Metrô – os trilhos que mudaram o Rio e Glossário Metro Ferroviário.

Detentora de ampla experiência em transportes metroferroviário com mais de 40 anos em metrô, VLT, integração intermodal, logística, planejamento estratégico, mobilidade urbana nas áreas de projeto, implantação, operação, manutenção, documentação e normalização. Com grande vivência nas áreas de assessoria, gerência e coordenação de projetos exercendo liderança de equipes multidisciplinares. Leia mais

O público e o privado, de Eurípedes Alcântara

Na coluna do jornalista Eurípedes Alcântara, no O Globo, o destaque para a atuação, competência e efetividade dos órgãos e empresas públicas no País. “Essa interpretação particular de que o que é de todos não é de ninguém explica o descaso permanente com a coisa pública. Os órgãos e empresas públicas no Brasil foram quase sempre ralos sugadores de recursos sem a contrapartida do serviço prestado”, afirma. Leia mais