Novidades sobre o Museu da Imagem e do Som

Obra interrompida do MIS. Foto: Ivete Farah, 2016

No início deste mês, nosso site publicou o artigo de grande repercussão “Edifício do Museu da Imagem e do Som no Rio de Janeiro – Capital Mundial da Arquitetura”, da doutora em Urbanismo Ivete Farah no qual a arquiteta destacou a importância do UIA 2020 Rio, este ano, no Rio de Janeiro, e a oportunidade de discutirmos o estado de paralisação da obra do MIS / Museu da Imagem e do Som na Cidade, buscando soluções para reverter o quadro de abandono.

Projeto para o MIS. Fonte: concursosdeprojeto.org

Nesta sexta-feira, dia 24, o jornal “O Globo” noticiou que “o Tribunal de Contas do Estado do Rio finalmente aprovou o edital de licitação para a conclusão das obras da nova sede do MIS, na Praia de Copacabana. Prevista para ser lançada em abril de 2019, ela foi adiada a pedido do TCE por quatro vezes. O valor estimado atualizado para a licitação, que será internacional, é de R$ 20,9 milhões. Agora, cabe ao governo do Rio marcar a nova data do certame”.

Esperamos que vá adiante !

Urbe CaRioca

TCE aprova edital de licitação para a conclusão do novo Museu da Imagem e do Som em Copacabana

Com obra paralisada desde setembro de 2016, MIS está 70% pronto. Estado precisa negociar com o BID a prorrogação do financiamento, que só vai até junho

Selma Schmidt – O Globo

Link original

RIO — Mais um passo foi dado para a conclusão da obra do novo Museu da Imagem e do Som (MIS), na orla da Copacabana, paralisada desde setembro de 2016. Na quinta reunião do Tribunal de Contas do Estado (TCE) para discutir o edital internacional de licitação, o plenário aprovou o documento, com as modificações determinadas pela Corte, como informou nesta quinta-feira Ancelmo Gois, em sua coluna no O Globo.

A Secretaria estadual de Infraestrutura e Obras (Seinfra) ainda não marcou a data para o lançamento da licitação, com valor estimado de R$ 20,9 milhões. Segundo o órgão, antes disso, o secretário Bruno Kazuhiro vai procurar o Banco Internamericano de Desenvolvimento (BID) para negociar a ampliação do prazo do financiamento da instituição, que acaba em junho. Isso porque são necessários 12 meses, após o reinício, para a conclusão do museu.

— Foi um trabalho árduo dos nossos técnicos, que conseguiram solucionar todos os pontos levantados pelo TCE. Agora, passamos para uma nova fase na luta pela conclusão dessa obra — diz Kazuhiro.

A construção começou em 2010. Em junho de 2014, o estado anunciou que 70% das intervenções estavam concluídas. Mas, dois anos depois, a empreiteira responsável rescindiu o contrato. O financiamento com o BID também se encerraria em agosto de 2017. Como o estado aderiu ao Regime de Recuperação Fiscal, foi preciso aval federal para prorrogar o empréstimo, o que só ocorreu em agosto de 2018.

De acordo com a secretaria, já foram investidos R$ 79 milhões de recursos públicos e R$ 50,3 milhões de empresas captadas pela Fundação Roberto Marinho. A obra está em fase de acabamento, faltando revestimentos e ajustes em instalações elétricas, hidráulicas e contra incêndios.

Parceira do governo na concepção e na implantação do novo MIS, a Fundação destaca que o espaço terá 9,8 mil metros quadrados de área e oito andares. “O objetivo é revitalizar o Museu da Imagem e do Som e dar um novo tratamento a seu imenso acervo, a partir de uma linguagem museográfica contemporânea”, afirmou, por e-mail. O BID não se pronunciou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *