Acervo sobre a História do Rio no Sebo X

Para quem se interessa por História do Rio de Janeiro, o Sebo X tem um bom acervo de livros sobre o tema, alguns deles bem raros. Fica  na Praça Tiradentes, nº 9, sala 601, no Centro do Rio, e tem funcionado, nesse período de pandemia, das 11h30 às 17h, de segunda à sexta.

Para informações sobre os livros do acervo e seus preços é só acessar a página Sebo X no Facebook ou mandar uma mensagem pelo WhatsApp 21 996348756 e falar com Jocemar ou Paulo. Leia mais

Um passeio pelos cantos e encantos históricos de Jacarepaguá – Parte II, de Marcelo Copelli

Dando continuidade ao post “Um passeio pelos cantos e encantos históricos de Jacarepaguá – Parte 1”, reunidos pelo jornalista Marcelo Copelli, a segunda parte da uma série de informações que retratam, ao longo do tempo, curiosidades, menções de personagens reverenciados pelos principais logradouros, comentários e lembranças em um resgate à memória da região e da própria Cidade. Leia mais

CAU/RJ convida para live “A Cidade que Queremos”

Mariana Lage (IAB RJ), Henrique Barandier (CAU/RJ) e Guilherme Braga (Casa Fluminense) discutem propostas da Carta-Manifesto “A Cidade que Queremos”.
O documento busca contribuir para transformar as cidades brasileiras em territórios mais saudáveis, inclusivos, seguros e resilientes. A mediação será da vice-presidente do CAU/RJ Maria Isabel V. P. Tostes.
O debate  terá ainda como pano de fundo a Carta-aberta à Sociedade e aos(às) Candidatos(as) nas Eleições Municipais de 2020, lançada pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil – CAU/BR, além do Mapa da Desigualdade da Região Metropolitana do Rio de Janeiro e da Agenda Rio 2030, ambas iniciativas da Casa Fluminense. Leia mais

A capacidade das redes sociais: Com a Palavra, o CaRioca!

Nos últimos dias, denúncia feita em uma rede social movimentou centenas de pessoas, indignadas com a obra mal executada que provocara o “estrangulamento” de uma árvore, em um dos endereços mais “badalados” da Zona Sul do Rio de Janeiro: a Rua Dias Ferreira, no bairro do Leblon.

O caso veio à tona no último dia 14, quando a árvore situada em frente ao gastrobar Stuzzi teve a sua raiz coberta por uma camada de cimento, o que certamente provocaria a sua gradual morte ao longo do tempo por estar impedida de ser irrigada ou absorver nutrientes. Leia mais

A palafita da Praia Vermelha

Na semana passada mostramos uma inaceitável ocupação de área pública  na orla da Baia de Guanabara. Agora, o jornal O Globo nos dá ciência de que um posto para guarda-vidas foi construído na areia da Praia Vermelha. Segundo a reportagem, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN autorizou e, também, a Secretaria municipal de Infraestrutura, Habitação e Conservação. Leia mais

Cleia, uma professora carioca!

CrôniCaRioca de Cleia Schiavo Weyrauch
Dia do Mestre, 2020

Na Semana dos Professores o depoimento emocionante da socióloga e professora Cleia Schiavo Weyrauch, que já brindou este espaço com belas crônicas e memórias sobre o Rio de Janeiro.

Urbe CaRioca

Cleia, uma professora carioca!

Nos arranjos que a vida faz sem que deles tenhamos consciência prévia, quantas vezes nos perguntamos: COMO VIM PARAR AQUI? Que peça o destino me pregou para me arrastar até esse lugar? Leia mais

Os poucos parques da cidade, de Roberto Anderson

Neste artigo, publicado originalmente no Diário do Rio, o arquiteto e urbanista Roberto Anderson faz um passeio pela história da criação dos parques da Cidade do Rio, seus encantos e os grandes desafios enfrentados por estes belíssimos, porém cada vez mais escassos, espaços públicos.

“Bairros populares da Zona Oeste e os subúrbios da Zona Norte permaneceram desprovidos de grandes parques urbanos. Há praças e pequenos parques, como o Ary Barroso, ocupado por diversos equipamentos públicos que o desfiguraram. Mas parques generosos, densamente arborizados, não há. A Floresta do Camboatá, em Deodoro, poderia ser uma opção importante, caso o infame projeto de um autódromo sobre a floresta não venha a vingar”, afirma. Leia mais

Quando eu era criança, pandemia não havia – 2020

CrôniCaRioca

À Maria Estela, a todas as crianças que nasceram no Rio de Janeiro neste ano de 2020 tão diferente, e a todos os cariocas pequenos que nos engrandecerão um dia.

Quando eu era criança, pandemia não havia. A bem dizer, assim se cria. Quando muito, endemia. Tempos antes, a influenza levou muitos, Deus os benza. Espanhola, o apelido, devagar, sem alarido, o meu Rio invadia, todo o Mundo já sofria. Leia mais

Um trambolho às margens da Baía de Guanabara

Um leitor do Urbe CaRioca deparou-se com uma inaceitável ocupação de área pública às margens da Baía de Guanabara. Mais um desrespeito para com a paisagem da cidade.

Certamente houve alguma autorização, como tantas inadequadas em praças, calçadas e outros locais que deveriam estar preservados e livres. Veja as imagens abaixo a instalação nas proximidades do aeroporto Santos Dumont.

Moradores da Tijuca criam petição pública contra a expansão de construções irregulares no Morro da Formiga

Fonte: Portal Grande Tijuca

Moradores da região da Tijuca, na Zona Norte do Rio, estão promovendo uma petição pública contra a expansão de construções irregulares na área do Morro da Formiga. Segundo a petição, que já está disponível para assinatura eletrônica, o crescimento desordenado da invasão no local está adentrando uma área de preservação ambiental.

Ainda de acordo com o documento, os ocupantes das moradias irregulares também estão desmatando a vegetação local e se aproximando de torres de alta tensão. Leia mais

Um passeio pelos cantos e encantos históricos de Jacarepaguá – Parte 1, de Marcelo Copelli

Fragmentos históricos da região de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, reunidos pelo jornalista Marcelo Copelli, através de uma série de informações que retratam, ao longo do tempo, curiosidades, menções de personagens reverenciados pelos principais logradouros, comentários e lembranças em um resgate à memória da região e da própria Cidade. No final da postagem há um texto sobre a concepção de urbanistas a respeito do processo de formação da região. Boa leitura e bom passeio! Leia mais

Cais do Valongo – Patrimônio Mundial: Caminhos Percorridos

Em 2020, o Cais do Valongo completou três anos com o título de Patrimônio Mundial. Nesses três anos, novos projetos e obras de melhorias foram planejadas e vêm sendo executadas no sítio histórico e no território conhecido como Pequena África.

No encontro online “Patrimônio Mundial, Caminhos Percorridos”, dia 05 de outubro, às 14h, representantes da SMC-RJ, Muhcab, IDG, State Grid, Unesco e Consulado Geral dos EUA – RJ vão apresentar algumas das ações que vêm sendo desenvolvidas, que visam preservar essa região de extrema riqueza sociocultural e econômica para o Rio de Janeiro e para o país. Leia mais