Campo Grande: Viva a Festa da Laranja !

Há alguns anos, o blog Urbe CaRioca tem convidado os interessados a relatarem suas experiências e visões sobre os muitos bairros do Rio de Janeiro, histórias antigas e atuais, trazendo registros para serem compartilhados com os leitores. E, entre esses, registram-se as memórias e o conhecimento da professora e socióloga Cleia Schiavo – que já nos brindou com diversos artigos que nos remetem ao “Sertão Carioca”, como era conhecida a Zona Oeste da nossa cidade até à primeira metade dos anos 1900. E, em “De mar a mar, modernidade e tradição: Cidade e campo no Rio de Janeiro”,  a autora destaca :

“O cheiro de infância que até hoje me cobre vem dos laranjais, dos pés de quiabo e berinjelas, das batatas-doces, cenouras, nabos e outros frutos da terra plantados no sítio dos meus avós em Inhoaíba, estação de trem que ficava depois daquela de Campo Grande. O sítio se localizava na então a Zona Rural do Distrito Federal, criada na época em que governava o Brasil o Presidente Wenceslau Brás. Hoje esta região integra-se à Zona Oeste do Município/Cidade do Rio de Janeiro. Em frente à porteira do sítio passava uma Estrada que chamavam de Real e dizia-se que por ali transitaram no século XIX imperadores e nobres com suas comitivas e lacaio que os serviam no Palácio Real de Santa Cruz. Na minha infância, década de 1940 do século XX, por essa estrada passava um pequeno caminhão que recolhia os legumes, hortaliças, e frutas produzidos nos sítios e enviados para venda nas feiras-livres, onde trabalhavam meu pai, alguns tios e tias.”

A esta introdução relacionamos a matéria veiculada no jornal “Extra”, a lei sancionada pelo prefeito Eduardo Paes, nesta semana, que cria a Festa da Laranja em Campo Grande, Zona Oeste do Rio. A celebração será realizada sempre no dia 7 de outubro em homenagem à histórica relação do bairro com a produção da fruta. A proposta surgiu a partir de um debate na página do Facebook “Campo Grande — o maior bairro do Brasil”, que é administrada por um descendente dos primeiros produtores da fruta ali da região.

Urbe CaRioca

Citrolândia carioca: prefeito sanciona lei que cria a Festa da Laranja em Campo Grande

Link original

Escultura representando laranja em Campo Grande

O prefeito Eduardo Paes sancionou, nesta terça-feira, a lei que cria a Festa da Laranja em Campo Grande, Zona Oeste do Rio. A celebração será realizada sempre no dia 7 de outubro em homenagem à histórica relação do bairro com a produção da fruta. A proposta surgiu a partir de um debate na página do Facebook “Campo Grande — o maior bairro do Brasil”, que é administrada pelo funcionário público Wallace Monteiro Postiga, de 32 anos, descendente dos primeiros produtores da fruta ali da região.

– Eu fiquei muito feliz pela sanção da lei. Uma ideia que surgiu ali na minha página hoje ganhou um efeito tão bacana, não só em homenagear os meus antepassados, mas de valorizar o bairro onde moro. A festa será boa para Campo Grande, com visibilidade e valorização — diz Wallace.

Com a lei sancionada, a data foi incluída no calendário oficial da cidade do Rio. Por quase 30 anos, Campo Grande foi um dos maiores produtores e exportadores da fruta. A região chegou a ser conhecida como “Citrolândia” e a enviar toneladas para Estados Unidos, Inglaterra e outros países europeus. Mas a crise gerada pela Segunda Guerra Mundial fez com que o próspero ciclo da fruta chegasse ao fim.

A lei é do vereador Jorge Felippe (DEM).

— O bairro de Campo Grande sente falta de eventos públicos, mesmo tendo em sua história a produção de laranja como fator de desenvolvimento e crescimento. Essa aprovação é muito importante. Queremos transformar essa memória e vocação em um capital econômico e de lazer para as famílias da região e visitantes — garante.

O pesquisador Rafael Mattoso lembra que hoje o bairro abriga três esculturas que fazem referência ao produto que se tornou base da economia durante boa parte do século 20. As obras foram instaladas dentro do programa de intervenção urbana Rio Cidade, na década de 1990: em frente à rodoviária de Campo Grande, na Avenida Cesário de Melo, e no calçadão do bairro.

— Muitos não sabem do destaque mundial que Campo Grande teve. Pesquisei e, após debates sobre o tema nas redes sociais, tivemos a ideia da comemoração. Então, decidi encaminhar para a Cream Bairro-RJ (Construção Revitalização de Associações de Moradores), que levou a proposta até o vereador — detalha Wallace, que explica a escolha da data para a festa: — O número 7 representa a perfeição, e outubro era o mês de maior produção. Que venha a festa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.