10 documentários sobre Arquitetura para assistir gratuitamente durante a quarentena

Caros leitores, para tornar esses dias de distância preventiva e de isolamento social mais amenos, a sugestão de 10 documentários sobre as figuras icônicas da Arquitetura e interessantes projetos.

Fonte: Elle Decor

1 – Frank Lloyd Wright: Man Who Built America (2017)

Um documentário que conta a carreira do homem considerado por muitos o melhor arquiteto da história, Frank Lloyd Wright e seus edifícios mais emblemáticos, como a Cascade House, o Museu Guggenheim em Nova York e a sede da Johnson Wax.[...] Leia mais

Musiquinha infantil para espantar o coronavírus, by Reclamilda

Queridos amigos,

Eu, Reclamilda, todos sabem, não reclamo. Apenas penso, discuto com minhas melhores amigas Elogilda a Ana Lisa. Palpiteiras conscientes que somos, palpitamos juntas sobre o que entendemos ser melhor para a nossa cidade depois de muita conversa civilizada.

Em tempos tão estranhos nesta urbe carioca e no mundo, quando surge um bichinho malvado sem freios ou limites que nos obriga a ficar em isolamento, obedientes ao que mandam médicos e gestores públicos continuamos a nos encontrar graças à magia da internet: reclusas porém unidas pela saúde nossa e de todos! Somos idosas![...] Leia mais

UIA2020RIO é transferido para julho de 2021

Comunicado Oficial – Informações do site uia2020rio.archi

A União Internacional de Arquitetos, UIA, o Instituto de Arquitetos do Brasil, IAB, e o Comitê Organizador UIA2020RIO, ouvidos os parceiros institucionais e as recomendações das autoridades públicas, informam que o 27º Congresso Mundial de Arquitetos/Expo teve sua data transferida para 18-22 de julho de 2021, em decorrência da pandemia do novo coronavírus.[...] Leia mais

Buraco do Lume – mais um capítulo

Aprovado nesta terça-feira, dia 17, pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) o projeto que tomba a Praça Mário Lago, mais conhecida como Buraco do Lume, no Centro  do Rio. De acordo com a proposta, serão permitidas apenas a construção “e implantação de equipamentos destinados a atividades culturais, vedada qualquer outra destinação”. O governador terá 15 dias para sancionar ou vetar o projeto.[...] Leia mais

O coronavírus crônico na Câmara de Vereadores do Rio infecta a legislação urbanística: o caso da pseudo AIES de Rio das Pedras, de Sonia Rabello

Neste artigo, publicado originalmente no site “A Sociedade em Busca do seu Direito”, a professora e jurista Sonia Rabello destaca a “contaminação crônica, latente e permanente” que avança sobre  produção legislativa na Cidade do Rio.

Nesta 4ª-feira foi aprovado, em 1ª votação, um projeto que aparentemente seria para estabelecer uma Área Especial de Interesse Social. Mas o texto indica uma manobra para excetuar a legislação urbanística geral para alguns terrenos na região da Zona Oeste, sem cumprimento das regras do Plano Diretor.[...] Leia mais

Rio de Janeiro, seja sempre Maravilhoso. Parabéns!

Hoje, o nosso querido Rio de Janeiro completa 455 anos de sua fundação por Estácio de Sá. Há um ano este blog ratificava o quão otimistas e heróicos precisamos ser ao insistirmos em propagar tanta beleza e carioquice, diante dos desmandos de alguns gestores púbicos e de erros crassos do ponto de vista urbanístico, que têm maltratado a ainda Cidade Maravilhosa.

Após todo esse tempo, infelizmente, pouco mudou. Alguns problemas até se agravaram, novos desmandos se instauraram e inúmeras ações governamentais nos fazem questionar se de fato os nossos representantes legislam e administram esta cidade a favor da sociedade ou somente para alguns seletos grupos. São exemplos recentes a insistência em construir um novo autódromo, desnecessário com um agravante temerário – o desmatamento da Floresta de Camboatá, na Zona Oeste  – e a edição de um Código de Obras feito sob medida para o setor da construção civil, direcionado principalmente a projetos residenciais na valorizada Zona Sul, enquanto outras regiões, em especial a Zona Norte e a Zona Portuária, precisam de investimentos e habitação.[...] Leia mais

Outro Autódromo – uma obra inaceitável

Mais um capítulo da incessante tentativa de se viabilizar a construção de um autódromo no bairro de Deodoro; uma ação prenunciada há anos e que dizimará a Floresta do Camboatá, com suas 180 mil árvores de Mata Atlântica, e cujas consequências poderão atingir mortalmente o grau de sustentabilidade ambiental da Cidade.

Nesta semana, o projeto de construção do novo autódromo foi aprovado pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), embora um dos conselheiros tenha pedido vistas do processo. O prosseguimento ainda depende das audiências públicas para receber a licença prévia.[...] Leia mais

Inepac cria movimento de “Brigadistas do Patrimônio” para tentar deter furtos e vandalismos

Após o furto de uma estátua de 400 quilos em bronze que retrata a mãe do Marechal Deodoro da Fonseca, no bairro da Glória, na Zona Sul do Rio de Janeiro, o Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac) lançou um sistema de vigilância voluntário para que a população possa denunciar vandalismo e roubo de bens do Rio de Janeiro.

Em um post nas redes sociais, o Inepac afirma que o problema afeta todos os moradores do Rio. “Estamos perdendo nossos monumentos de forma sistemática e é necessário que mobilizemos as pessoas de bem para observar e zelar pela conservação dos bens patrimoniais em situação de abandono e vulnerabilidade.”[...] Leia mais

Rio de Janeiro desafia as recomendações da OCDE sobre sustentabilidade e quer derrubar a floresta urbana de Camboatá, de Sonia Rabello

Neste artigo, publicado originalmente no site “A Sociedade em Busca do seu Direito”, a professora e jurista Sonia Rabello destaca, nesta semana, “com as mentes já distraídas e descontraídas pela folia”, três fatos significativos que agredirão mortal e moralmente o grau de sustentabilidade ambiental da Cidade do Rio: a demolição e a morte da Floresta de Camboatá, com suas 180 mil árvores, para construção de um hipotético autódromo de corridas de Fórmula 1 (e um enorme negócio imobiliário que o justifica).

Vale a leitura !

Urbe CaRioca

Estátua de 400 quilos que retrata a mãe do Marechal Deodoro é furtada no Rio

Mais uma triste notícia que “incrementa” os números de bens históricos e mobiliário público furtados ou vandalizados no Rio de Janeiro nos últimos anos. Desta vez foi uma estátua em bronze que retrata a mãe do Marechal Deodoro da Fonseca furtada do monumento que homenageia o proclamador da República e primeiro presidente do Brasil, no Rio de Janeiro.

A peça de quase dois metros de altura e cerca de 400 quilos integra o monumento localizado no bairro da Glória e que, no alto, traz a figura do militar sobre um cavalo. O alerta do desaparecimento da peça foi dado nas redes sociais pela arquiteta Vera Dias, gerente de Monumentos e Chafarizes da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos do Rio. Veja mais na matéria abaixo.[...] Leia mais

Reflexos do tratamento indevido do lixo jogado nos rios e nas ruas

A Superintendência da Grande Tijuca registrou os reflexos do tratamento indevido do lixo jogado nos rios e nas ruas do bairro da Zona Norte do Rio. É cada vez mais importante que todos, sem exceção, se conscientizem e colaborem de forma constante em relação à questão do descarte adequado.

Urbe CaRioca

Confiram a nota divulgada pela Superintendência da Grande Tijuca nas redes sociais:

“Um dos maiores problemas que enfrentamos é a questão do lixo jogado indevidamente nos rios e nas ruas da nossa região. A consequência é o entupimento das galerias e bueiros, provocando diversos pontos de alagamento nas ruas. Reparem na quantidade de garrafas pet que foram retiradas da galeria de águas pluviais que fica na Rua Conde de Bonfim esquina com Rua Leite de Abreu.”[...] Leia mais

Ruínas do antigo cinema Rio Palace, em Ramos, preocupam os moradores

Incansável defensor das demandas dos bairros da Zona Norte do Rio há anos, o geógrafo Hugo Costa relata, mais uma vez, o abandono e a falta de atenção das sucessivas gestões governamentais em relação à região.

Desta vez, ruínas de um antigo cinema em Ramos preocupam moradores. O terreno onde ficava o imponente Rio Palace virou depósito de carros velhos e foi tomado pelo mato.

A questão foi veiculada pela grande mídia, como reportagem apresentada no RJ TV. Como se trata de uma propriedade particular, a recuperação dependeria da iniciativa de empresas privadas, ou de desapropriação e ação objetiva por parte da Prefeitura. A segunda hipótese por certo é inviável, diante do quadro de abandono que a cidade inteira apresenta. Confiram na reportagem abaixo.[...] Leia mais