Rio de Janeiro desafia as recomendações da OCDE sobre sustentabilidade e quer derrubar a floresta urbana de Camboatá, de Sonia Rabello

Neste artigo, publicado originalmente no site “A Sociedade em Busca do seu Direito”, a professora e jurista Sonia Rabello destaca, nesta semana, “com as mentes já distraídas e descontraídas pela folia”, três fatos significativos que agredirão mortal e moralmente o grau de sustentabilidade ambiental da Cidade do Rio: a demolição e a morte da Floresta de Camboatá, com suas 180 mil árvores, para construção de um hipotético autódromo de corridas de Fórmula 1 (e um enorme negócio imobiliário que o justifica).

Vale a leitura !

Urbe CaRioca

Rio de Janeiro desafia as recomendações da OCDE sobre sustentabilidade e quer derrubar a floresta urbana de Camboatá

Sonia Rabello – Link original

A Floresta do Camboatá, área ocupada pelo Exército, onde a Prefeitura quer que seja construída uma pista com 5.835 metros de extensão Foto: Brenno Carvalho

Nesta semana, véspera de Carnaval, com as mentes já distraídas e descontraídas pela folia, ocorreram três fatos significativos em relação a uma ação prenunciada e que mais tarde agredirão mortal e moralmente o grau de sustentabilidade ambiental da Cidade do Rio de Janeiro: a demolição e a morte da Floresta de Camboatá, com suas 180 mil árvores de Mata Atlântica, encravadas em um dos bairros mais quentes e pobres do Rio de Janeiro. E para quê? Para construir um hipotético autódromo de corridas de carros estrangeiros de Fórmula 1 (e um enorme negócio imobiliário que o justifica).

O assunto não morreu, apenas desapareceu, por algumas semanas das manchetes. Mas está de volta, com os fatos abaixo narrados:

1º fato: Foi pautado na reunião do dia 18/03/2020 da CECA – Conselho de Meio Ambiente do Estado do RJ – o Relatório de Impacto Ambiental, apresentado pela empresa RioMotor, conforme exigência da decisão judicial que mencionamos anteriormente neste blog.  Não sabemos o que se passou na reunião, pois nada ainda foi noticiado no site do INEA (Instituto Estadual de Meio Ambiente). Ou seja, ainda insistem em dar continuidade ao projeto de extermínio da floresta.

2º fato: A Comissão de Meio Ambiente da Câmara do Rio pede “informações” ao Executivo sobre o “projeto do Autódromo”. Com o pedido de informações, enquanto não for respondido, o projeto de lei que visa autorizar a doação de parte do terreno público ao investidor imobiliário (RioMotor) do autódromo não pode ter prosseguimento. Talvez, sem quorum para não aprovar o projeto, o jeito é atrasá-lo o quanto possível. A preocupação está na pauta parlamentar.

3º fato: A OCDE (Organização para Cooperação para o Desenvolvimento Econômico) – prestigiada organização internacional para “boas práticas”, da qual o Brasil está implorando para fazer parte, acaba de publicar um Report, exatamente sobre “Sustainable Land Use” (Uso Sustentável do Solo)*, tudo visando as mudanças climáticas. Clicando no link, lá estarão as principais recomendações (POLICY HIGHLIGHTS), nas quais os planos de extinção da floresta urbana de Camboatá sob o pretexto de “desenvolvimento econômico” local causaria um verdadeiro choque de horror àquela instituição. Tudo contrariando ao que ali está recomendado para “boas práticas” de desenvolvimento.

Esquizofrenia política

Esquizofrenia política seria receber na OECD um país como o Brasil, sabendo que na sua prática, tanto o governo federal, como o do Estado do Rio de Janeiro e da Cidade do Rio, alimentam e festejam o prenúncio de uma destruição florestal urbana! Seria executar uma ação completamente contra as boas práticas de desenvolvimento econômico preconizadas pela Organização!

Claro, a OECD precisa saber disso imediatamente…

Para quem tem dúvida se a floresta urbana de Camboatá existe ou não, vale a pena ver o vídeo abaixo (Crédito: SOS Floresta do Camboatá) que deverá ser divulgado internacionalmente, não só junto à OCDE, mas também junto aos patrocinadores e pilotos da Fórmula 1, para todos saberem sobre crime ambiental que podem estar coonestando, com inocência ou não. Só para servir a desejos econômicos e políticos inconfessáveis de alguns poucos “brasileiros”.

(Crédito: SOS Floresta do Camboatá)

Abaixo-assinado

“Pela preservação da Floresta do Camboatá! Que o autódromo seja em outro lugar”

* Relatório da OECD:

Este relatório examina os desafios em andamento para alinhar a política de uso da terra com os objetivos climáticos, de biodiversidade e de alimentos, e as oportunidades para melhorar a sustentabilidade dos sistemas de uso da terra. Ele analisa seis países - Brasil, França, Indonésia, Irlanda, México e Nova Zelândia - com setores agrícolas e florestais relativamente grandes e emissões associadas de gases de efeito estufa, muitos dos quais também abrigam biodiversidade de importância global. Com base nas estratégias e planos nacionais relevantes desses países, coordenação institucional e instrumentos de políticas, o relatório fornece insights de boas práticas sobre como alinhar melhor os processos de tomada de decisão sobre o uso da terra e alcançar uma coerência mais forte entre uso da terra, clima, ecossistemas e alimentos.

Estátua de 400 quilos que retrata a mãe do Marechal Deodoro é furtada no Rio

Mais uma triste notícia que “incrementa” os números de bens históricos e mobiliário público furtados ou vandalizados no Rio de Janeiro nos últimos anos. Desta vez foi uma estátua em bronze que retrata a mãe do Marechal Deodoro da Fonseca furtada do monumento que homenageia o proclamador da República e primeiro presidente do Brasil, no Rio de Janeiro.

A peça de quase dois metros de altura e cerca de 400 quilos integra o monumento localizado no bairro da Glória e que, no alto, traz a figura do militar sobre um cavalo. O alerta do desaparecimento da peça foi dado nas redes sociais pela arquiteta Vera Dias, gerente de Monumentos e Chafarizes da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos do Rio. Veja mais na matéria abaixo.[...] Leia mais

Reflexos do tratamento indevido do lixo jogado nos rios e nas ruas

A Superintendência da Grande Tijuca registrou os reflexos do tratamento indevido do lixo jogado nos rios e nas ruas do bairro da Zona Norte do Rio. É cada vez mais importante que todos, sem exceção, se conscientizem e colaborem de forma constante em relação à questão do descarte adequado.

Urbe CaRioca

Confiram a nota divulgada pela Superintendência da Grande Tijuca nas redes sociais:

“Um dos maiores problemas que enfrentamos é a questão do lixo jogado indevidamente nos rios e nas ruas da nossa região. A consequência é o entupimento das galerias e bueiros, provocando diversos pontos de alagamento nas ruas. Reparem na quantidade de garrafas pet que foram retiradas da galeria de águas pluviais que fica na Rua Conde de Bonfim esquina com Rua Leite de Abreu.”[...] Leia mais

Ruínas do antigo cinema Rio Palace, em Ramos, preocupam os moradores

Incansável defensor das demandas dos bairros da Zona Norte do Rio há anos, o geógrafo Hugo Costa relata, mais uma vez, o abandono e a falta de atenção das sucessivas gestões governamentais em relação à região.

Desta vez, ruínas de um antigo cinema em Ramos preocupam moradores. O terreno onde ficava o imponente Rio Palace virou depósito de carros velhos e foi tomado pelo mato.

A questão foi veiculada pela grande mídia, como reportagem apresentada no RJ TV. Como se trata de uma propriedade particular, a recuperação dependeria da iniciativa de empresas privadas, ou de desapropriação e ação objetiva por parte da Prefeitura. A segunda hipótese por certo é inviável, diante do quadro de abandono que a cidade inteira apresenta. Confiram na reportagem abaixo.[...] Leia mais

Condomínio irregular é construído em área de proteção ambiental em Copacabana

A notícia veiculada pela grande mídia há alguns dias sobre mais uma obra irregular circula pelas redes sociais e não poderia deixar de ser citada neste espaço urbano-carioca.

É construção imponente. Assim pode ser descrito o condomínio “Alto Copa”, onde unidades têm vista para Copacabana, na Zona Sul do Rio, área de lazer, piscina, sauna, academia, entre outros atrativos.

O imóvel está sendo erguido na Ladeira dos Tabajaras, e já em estágio avançado, pasmem, não tem qualquer licença ou documentação. Para piorar a gravidade do caso, está localizado em uma área de proteção ambiental. As obras já destruíram parte da Mata Atlântica. A Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente disse que só foi notificada pela Prefeitura sobre a construção na última segunda-feira.[...] Leia mais

Botafogo revive polêmicas imobiliárias por causa de miniunidades

No mês de dezembro de 2018, este site publicou o artigo “Câmara de Vereadores aprova novo Código de Obras do Rio“, o qual destacava novamente a permissão de apartamentos tipo quitinetes que haviam sido banidos da legislação urbanística do Rio de Janeiro na década de 1970.

Embora possa haver pontos positivos a analisar, o assunto é sempre polêmico. A Associação de Moradores e Amigos de Botafogo (Amab), por exemplo, avalia  que as mudanças beneficiam apenas os empresários e prejudicarão os atuais moradores. “Em um bairro já saturado como o nosso, a infraestrutura não dá conta”, argumenta a presidente da Amab, Regina Chiaradia.[...] Leia mais

Concurso de projetos para Complexo da Maré com soluções de arquitetura e design terá prêmios de até 3 mil euros

Promovido pela União Internacional dos Arquitetos (UIA) junto ao Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB), o Concurso Internacional de Ideias Maré-Cidade, premiará projetos com soluções inovadoras de arquitetura e design urbano que visem integrar as favelas do Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio de Janeiro, ao seu entorno, levando em conta os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). As inscrições estão abertas até 30 de março.[...] Leia mais

Os Urban Sketchers estão no Rio de Janeiro

Você já ouviu falar dos Urban Sketchers ?

Depois de observar um número cada vez maior de pessoas compartilhando seus desenhos de locação (feitos ao ar livre) na web, o jornalista espanhol e residente nos Estados Unidos, Gabriel Campanario criou, em 2008, o blog www.urbansketchers.org para reunir entusiastas desse tipo de atividade artística. Desde então esse grupo vem crescendo rapidamente, contando hoje com mais de 200 grupos regionais oficiais que mantém as mais diversas atividades regulares envolvendo a prática e a divulgação do desenho de rua (Official Regional Chapters), reunindo assim dezenas de milhares de pessoas na internet e em seus encontros regionais e internacionais.[...] Leia mais

Instituto de Arquitetos do Brasil inicia comemorações do ano do centenário

Neste fim de semana tem início o ano em que o Instituto de Arquitetos do Brasil celebra seu centenário. O pontapé das celebrações será no edifício onde o Instituto foi fundado, que hoje abriga o Museu Nacional de Belas Artes, na Cinelândia, Centro do Rio de Janeiro. Sábado, dia 25 de janeiro, às 14h, haverá a primeira reunião do Conselho Estadual do IAB no ano, no mesmo Salão Nobre onde aconteceu a primeira reunião do Instituto.[...] Leia mais

Novidades sobre o Museu da Imagem e do Som

No início deste mês, nosso site publicou o artigo de grande repercussão “Edifício do Museu da Imagem e do Som no Rio de Janeiro – Capital Mundial da Arquitetura”, da doutora em Urbanismo Ivete Farah no qual a arquiteta destacou a importância do UIA 2020 Rio, este ano, no Rio de Janeiro, e a oportunidade de discutirmos o estado de paralisação da obra do MIS / Museu da Imagem e do Som na Cidade, buscando soluções para reverter o quadro de abandono.[...] Leia mais

Prédios de luxo são demolidos na Índia por violação de leis ambientais

Enquanto no Rio de Janeiro, construções irregulares avançam próximo à área onde prédios desabaram na Muzema, na Zona Oeste, neste mês, na Índia, autoridades indianas demoliram edifícios de apartamentos de luxo cuja construção violou “regras ambientais”. O Supremo Tribunal do país ordenou a demolição no ano passado, depois de um comitê de avaliação ter concluído que os complexos de luxo quebravam as regras de proteção da orla costeira.[...] Leia mais

As regras ignoradas e a política do uso e abuso do espaço público no Rio: o caso da Favorita em Copacabana, de Sonia Rabello

Neste artigo, publicado originalmente no site “A Sociedade em Busca do seu Direito”, a professora e jurista Sonia Rabello destaca as decisões do governo da Cidade sobre o uso e a ocupação privada da orla das praias do Rio ignorando os compromissos de preservação.

“Há mais de um ano, pelo menos, o Conselho de Patrimônio Cultural do Estado do Rio explicitou os critérios para o uso e a ocupação da orla de Copacabana, seja por equipamentos permanentes, seja por equipamentos ditos temporários. A `abertura do Carnaval´ de 2020 foi criada pela atual gestão, de olho nas eleições. Começa com o `temporário´ para, aos poucos, se tornar definitivo e para sempre”, afirma.

Vale a leitura ![...] Leia mais

O público e o privado, de Eurípedes Alcântara

Na coluna do jornalista Eurípedes Alcântara, no O Globo, o destaque para a atuação, competência e efetividade dos órgãos e empresas públicas no País. “Essa interpretação particular de que o que é de todos não é de ninguém explica o descaso permanente com a coisa pública. Os órgãos e empresas públicas no Brasil foram quase sempre ralos sugadores de recursos sem a contrapartida do serviço prestado”, afirma.[...] Leia mais