O descaso de um “país que acaba com suas ferrovias de passageiros”

04 de setembro de 2020  – Atilio Flegner

Assunto – O descaso de um “país que acaba com suas ferrovias de passageiros”

De tudo isso aí no mapa de ferrovias de transporte de passageiros, a única coisa que sobrou em operação é o ramal Gramacho – Saracuruna – Vilha Inhomirim e Guapimirim da Supervia. Nem a estação Barão de Mauá, está em operação.

Que país é esse que acaba com suas ferrovias de passageiros ? Leia mais

Prefeitura não cumpre o seu dever de casa

19 de agosto de 2020 – Arquiteta Carla Crocchi

Assunto: Má conservação impede a mobilidade dos cidadãos

“Estou pensando em como a prefeitura não se importa com quem paga seus impostos. Hoje fui caminhar a pé já que tenho levado uma vida sedentária por conta deste Covid.

Quem me conhece sabe que tenho mobilidade reduzida, que participei do grupo de trabalho de acessibilidade junto ao Ministério Publico até que minhas dores falassem mais alto. Leia mais

Lei “pra olimpíada” feriu perfil do Rio para sempre

02 de junho de 2020 – Arquiteto Rogério Goldfeld Cardeman

Assunto: O “pra olimpíada” e a legislação hoteleira retratados na barbárie urbanística

Além das considerações do arquiteto Rogério Goldfeld Cardeman, vale lembrar que esse tipo de construção foi possível somente devido às regras criadas em nome dos Jogos Olímpicos.

“Esse é um resultado da legislação urbanística do Rio de Janeiro. Enquanto a forma urbana for reflexo da legislação ao invés de ser uma transcrição da forma projetada é isso que teremos!!” – Rogério Goldfeld Cardeman Leia mais

Crescimento de árvore em edificação preservada no Centro do Rio

26 de janeiro de 2020 –Marcos Moraes de Sá

Assunto: Crescimento de uma árvore em edificação preservada no Centro do Rio

O arquiteto Marcos Moraes de Sá, atento observador da Cidade do Rio de Janeiro, analisa em detalhes o crescimento de uma árvore em edificação preservada situado na Travessa do Tinoco, no Centro do Rio.

“Primeira inadequação; fez-se uma jardineira colada à fachada. Duplo erro, pois trata-se de uma fachada preservada. Leia mais

Linha 4 verdadeira – não executada entre Botafogo e Gávea – faz falta

12 de janeiro de 2020 –Atílio Flegner

Assunto: Linha 4 verdadeira – não executada entre Botafogo e Gávea – faz falta

Mais uma explicação de Atílio Flegner para compreender que a Linha 4 verdadeira – não executada entre Botafogo e Gávea – faz falta. E que esticar a Linha 1, rebatizando-a, foi um artifício, questionável do ponto de vista técnico e jurídico (licitação antiga aproveitada). Leia mais

O encanto das tartarugas no Caminho da Pedra do Leme

27 de dezembro de 2019 – Plínio Loures Senna

Assunto: O encanto das tartarugas no Caminho da Pedra do Leme

“Na última semana, cinco tartarugas nadavam pela arrebentação e encantavam os frequentadores do Caminho da Pedra do Leme.

A APA do Morro do Leme tem cerca de 2 km de costão marinho no Forte do Leme (CEP/FDC) e mais cerca de 1 km na Ilha de Cotunduba.

No Parque Natural Municipal PAISAGEM CARIOCA.
APA do Forte Duque de Caxias / CEP – Exército Brasileiro” Leia mais

Registros do abandono no Centro do Rio

23 de dezembro de 2019 – Paulo Clarindo

Assunto: Abandono no Centro do Rio

“Este belíssimo imóvel, porém, abandonado, está localizado na Rua da Constituição, 41, Centro do Rio. Observem os detalhes na sua fachada: o ano de 1863 e a uma inscrição “R. A. B. dos Artistas Portugueses”.

Fotos: Paulo Clarindo

Abandono do Jardim Suspenso do Valongo

15 de dezembro de 2019 – Karen Eline

Assunto: Abandono do Jardim Suspenso do Valongo

Publicado originalmente no grupo S.O.S Patrimônio

Sou guia de turismo e sempre realizo visitas guiadas na região do Valongo e Morro da Conceição. No entanto, nos últimos tempos o Jardim Suspenso do Valongo está em total abandono, mato alto, monumentos quebrados, sem portões, sem placas informativas, com pichações e uma população estranha… Leia mais

Placas desorientadas no Humaitá

Quem não conhece a região do Humaitá, na Zona Sul do Rio, poderá ficar ainda mais desorientado se for seguir pela direção das placas das ruas Macedo Sobrinho e Visconde de Silva.

Por alguma questão alheia ao nosso conhecimento, na tarde desta terça-feira, dia 3, quem passava pelo local percebia que o poste simplesmente “girou” e estava com as indicações e os nomes das ruas invertidos. Leia mais