Um pedido para 2021 em nome do Rio, de Cleia Schiavo

Após um ano singular para todo o mundo, um sincero relato da professora e socióloga Cleia Schiavo com os votos para a Cidade do Rio de Janeiro em 2021. Vale a leitura !

Urbe CaRioca

Um relato de Cleia Schiavo Weyrauch

Tenho pensado muito no que se precisa fazer na cidade do Rio de Janeiro. Pensar no impossível que se torne possível! Seja afastar de vez as milícias, acabar com a violência, vestir a cidade com um sistema viário de qualidade, refazer do zero a legislação urbanística… e, mais, acabar com todas as obras interrompidas na cidade.

Pensando no impossível diria que, do ponto de vista social, o desejável seria extirpar de vez a pobreza da nossa população. Mas não é assim que “a banda toca” como se diz por aí. Para alcançar o impossível, décadas e décadas seguiriam até que uma luz no túnel aparecesse. Para aparecer, há de haver um começo.

Em primeiro lugar temos que afastar de vez o ar de decadência que a cidade assumiu com essa “coisa” chamada Crivella e o grupo que o cerca. Com esse pseudo Prefeito, as instituições da cidade passaram a ser administradas por figuras que ignoram a complexidade de uma metrópole como a nossa, elas que falam para guetos e não para o Rio, ainda cosmopolita, que, felizmente, não sucumbiu de vez. Existe um Rio de Janeiro no qual a competência técnico-cientifica precisa ser transformada em Políticas para a cidade .

A pobreza e seus desdobramentos com habitação, educação e emprego deve ser enfrentada. Por que não incentivarmos a criação de startups na cidade do Rio de Janeiro, consolidando espaços para os jovens que fogem do Brasil por falta de oportunidades criativas? O Rio que sabe pensar e falar precisar retornar ao seu protagonismo anterior. O discurso vulgar sobre, linguagem dos rebanhos cegos comandados por políticos de baixa formação, precisa ser neutralizado.

O tempo urge e a venda da Cedae – órgão do Estado do Rio de Janeiro –precisa ser esmiuçada; as dúvidas sobre a Marina da Glória, o tal Autódromo de Deodoro que ameaça a Floresta do Camboatá, também . Na Cidade do Rio de Janeiro a escala de construção e da criação é inferior à da destruição!

Onde está aquela cidade bem-humorada onde vicejavam papos inteligentes por todo o lado?

O tema “O espaço urbano” precisa recuperar sua potência. O cidadão que habita a cidade precisa que os Direitos dela – Direitos da Cidade – sejam defendidos e respeitados. Estamos sucumbindo diante de direitos setoriais que devem, sim, ser reivindicados, porém sem ignorar que o direito de todos deve vir em primeiro lugar.

Que em 2021 começe a reversão. Está mais do que na hora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *