Estádio do Flamengo no Gasômetro: Reviravoltas

Conforme noticiado ontem, no jornal Extra, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, se comprometeu através de suas redes sociais a ajudar o Flamengo quanto ao projeto do clube de construir um estádio próprio no terreno do antigo Gasômetro, na Zona Portuária, de propriedade da Caixa Econômica Federal. Paes, inclusive, cobrou que o banco estatal abrisse mão do valor do terreno para favorecer o clube rubro-negro.

Na tarde desta terça-feira, porém, o mesmo veículo publica que a CEF não atenderá ao “peculiar” pedido do prefeito de ceder gratuitamente o terreno do Gasômetro. O imbróglio promete novos capítulos.

Urbe CaRioca

Eduardo Paes promete ajuda para Flamengo construir estádio próprio e cobra que Caixa libere terreno de graça

Jornal Extra – 25.07.2022

Link original

Projeto de estádio do Flamengo no Gasômetro, na região do Centro do Rio Prefeitura do Rio/Cdurp

Prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD) foi às redes sociais prometer ajuda ao Flamengo para o clube tocar adiante o plano de construir um estádio próprio. Paes cobrou ainda que a Caixa Econômica Federal abra mão de valor do terreno que o rubro-negro mira para colocar o projeto de pé: o espaço onde ficava o antigo gasômetro do Rio.

“Bora ajudar o futebol carioca. Rodolfo Landim (presidente do Flamengo) já conseguiu minha autorização. Só falta a CEF doar o terreno sem cobrar pelo potencial construtivo! Mas tem que ser de verdade e com “papel passado”. Pronto aqui para ajudar. Contem comigo”, escreveu.

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou em evento nesta segunda-feira, em São Paulo, que o governo federal vai ajudar o rubro-negro na empreitada.

– Dani (Daniella Marques), como está a negociação do terreno da Caixa, do Gasômetro, para o Flamengo, que quer construir seu estádio de futebol? Tratamos desse assunto. Adiantei. Liguei agora há pouco para o comando do Exército Brasileiro, porque, vizinho ao Gasômetro, tem um quartel do Exército. Se for o caso, entra no pacote. Vamos atender ao Flamengo. Estudo de viabilidade está bastante avançado. Sem intermediários. Se aparecer um prefeito aí dizendo qualquer negócio, está mentindo – afirmou o presidente da República.

Conversas com outros clubes cariocas

Eduardo Paes tem tido agenda com os quatro clubes grandes do Rio. Além de colocar a administração municipal à disposição do Flamengo para a construção de um novo estádio, o prefeito conversou com o Botafogo sobre o Nilton Santos.

John Textor, dono da SAF alvinegra, está descontente com o estádio olímpico. O americano já sinalizou que cogita procurar um novo local para o alvinegro mandar suas partidas.

Paes, em conversa com o americano, tenta convencer Textor a permanecer no estádio, concessão do Botafogo desde 2007. Em contrapartida, o prefeito prometeu estudar adaptações ao Nilton Santos. A principal reclamação de John Textor é a pista de atletismo ao redor do campo de jogo.

Com o Vasco, Eduardo Paes tem tido conversas recorrentes a respeito de intervenções urbanas nos arredores de São Januário. É uma demanda recorrente do cruz-maltino melhorias no acesso ao estádio, o que necessita interferência municipal.

Já com o Fluminense, o prefeito acertou um projeto de urbanização na via que dá acesso ao centro de treinamento do tricolor, em Jacarepaguá.

Estádio do Flamengo: Caixa pode negociar bilheteria e venda de jogadores por terreno no Gasômetro

Jornal Extra – 26.07.2022

Link original

Brasília – A Caixa Econômica Federal não deve atender ao pedido do prefeito do Rio Eduardo Paes de ceder gratuitamente o terreno do Gasômetro, no centro do Rio, para o novo estádio que o Flamengo planeja na região. Segundo a presidente do banco, Daniella Marques, o plano é vender o ativo ou fazer algum tipo de transação imobiliária.

Uma das soluções estudadas no banco, segundo fontes, seria o banco ceder o terreno e negociar com o Flamengo ganhos com bilheteria, direito de transmissão de jogos e venda de jogadores. Isso dependerá de um estudo de viabilidade técnica e financeira, dentro das normas de governança da Caixa, explicou.

Segundo Marques, a Caixa tem interesse em se desfazer de ativos sem relação com a atividade bancária. Além disso, o banco defende projetos de revitalização da área central do Rio. A Caixa administra um fundo imobiliário que é proprietário daquele terreno, localizado no Porto Maravilha.

“Bora ajudar o futebol carioca. Rodolfo Landim (presidente do Flamengo) já conseguiu minha autorização. Só falta a CEF doar o terreno sem cobrar pelo potencial construtivo! Mas tem que ser de verdade e com “papel passado”. Pronto aqui para ajudar. Contem comigo”, havia escrito o prefeito em uma rede social na segunda-feira.

A presidente da Caixa se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro nessa segunda-feira para tratar do assunto. O plano da Caixa é acelerar o estudo de viabilidade financeira. Além disso, o governo sinalizou que pode abrir mão de uma área das Forças Armadas, próxima à região.

Na semana passada, Marques já havia conversado sobre o assunto com o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim e uma equipe de assessores.

Leia também:

Estádio do Flamengo volta à berlinda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.