VLTzação do BRT: Na contramão da mobilidade ?

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, apresentou nesta quinta-feira, o projeto “VLTzação” com a promessa de “revolucionar o sistema de transporte carioca”. O objetivo é implementar uma malha de veículos leves sobre trilhos no lugar dos ônibus do BRT e em várias partes da cidade em um prazo de 15 anos.

O projeto inicial prevê o aproveitamento da infraestrutura do corredor de ônibus e restrição quase total de importantes vias para carros. A adaptação para o novo modal, com trilhos, trens e sistemas terá investimento estimado em R$ 14,8 bilhões.

Vale lembrar que o prefeito, em gestão anterior, em articulação com o então Governo Estadual (que aproveitou a licitação antiga feita para a construção da Linha 4 no trecho Botafogo-Humaitá-Jardim Botânico-Gávea para alongar a Linha 1), e com o Governo Federal (que também financiou obras de grande porte), não se opôs à manobra para mudar o nome da Linha 1 para 4, nem exigiu que se atendessem prioridades para a população carioca (concluir a Linha 2, executar a Estação Gávea e a correta Linha 4). Afinal, a obra não seria para servir ao usuário no dia-a-dia, mas, solução “pra Olimpíada”. Além de uma inexplicável mudança de BRT (obra executada pelo mesmo Prefeito e também “pra Olimpíada”), ironicamente aventura-se novamente a trazer uma linha de VLT justo no trajeto original da Linha 4 do Metrô, antes abandonado.

Devemos ratificar que em comparação com o Metrô, VLT não é transporte de massa.

Abaixo, o posicionamento do movimento “Metrô que o Rio Precisa”.

Urbe CaRioca

Link original

No mês passado, o sistema de ônibus BRT´s completou 10 anos de “funcionamento” aqui no Rio. A palavra funcionamento entre aspas, pois até hoje esse sistema não funciona a contento.

Lembro-me também de que há 10 anos, o principal telejornal do Rio (RJTV) tecia diversos elogios ao sistema, que nem tinha sido implementado ainda, mas já era motivo de preocupação por parte de especialistas de transporte, tendo em vista que os corredores de ônibus seriam implementados em linhas que já há 30 ou antes, tinham demanda para metrô. Temos aqui na nossa página, nos álbuns, os mapas com os projetos do metrô dos anos 1960 a 1980, apontando a demanda de metrô para locais como Jacarepaguá, Madureira, Penha etc.

E não deu outra, 10 anos depois o mesmo telejornal que elogiava, fazia reportagens diárias mostrando o caos do BRT. Mas obviamente que não iria dar certo, colocar um modal mais lerdo e com cinco vezes menos capacidade que o metrô.

Além de todas as questões ligadas à parte de engenharia do BRT que são um gargalo para o fluxo de passageiros, como terminais subdimensionados (Santa Cruz e Madureira são um exemplo), estações muito pequenas, falta de vagas para os ônibus pararem ( Com apenas duas ou quatro vagas por estação, a capacidade do sistema fica muito limitada), excesso de semáforos, que reduzem muito a velocidade média do corredor e ônibus com portas estreitas. Há também as questões administrativas, como empresas de ônibus envolvidas em corrupção, superfaturamento da obra do TransCarioca, um contrato muito ruim que remunera de forma irregular as empresas de ônibus.

E essa ideia mirabolante que surgiu do nada hoje, de trocar o BRT pelo VLT no TransOeste e Transcarioca?… Dois corredores que desde os anos 1980 deveriam ser metrô. Trocar um BRT de 9 mil passageiros/hora de capacidade por um VLT de 9 mil passageiros/hora de capacidade é uma estupidez total… O metrô tem capacidade de 60 mil passageiros/hora, a uma velocidade média que é o dobro do BRT ou VLT, sem interferência urbana, pois passa ou no subsolo, ou em elevado.

Jogar R$ 16 bilhões fora pra trocar seis por meia dúzia? Qual o sentido? Não seria mais útil e inteligente usar o nosso dinheiro para colocar um sistema de transporte definitivo e que durará séculos, e não um que em 10 anos terá que ser substituído?

Mas enfim, o que esperar de Eduardo Paes? Não consegue nem terminar o BRT da Av. Brasil e solta esse factoide pra imprensa… dificil até arrumar um adjetivo pra explicar tamanha incoerência …

Comentários:

  1. Qual serio o custo desse metro no lugar da linha do BRT ? e ainda qual seria o custo futuro ? com o dólar subindo e a desvalorização da nossa moeda (inflação) o preço de todos os insumos da construção como cimento, mão de obra etc sobem. Hj mesmo são 16bi mas ano que vem pode ser 20bi nesse VLT.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.