Do Santos Dumont ao Tom Jobim-Galeão, de barca

Publicado no O Globo online de ontem, quinta-feira, a notícia que a Prefeitura do Rio de Janeiro lançou edital de licitação para que o serviço de transporte das barcas opere também entre os aeroportos Santos Dumont, Centro do Rio, e o Internacional Tom Jobim, que fica na Ilha do Governador, a ser concluída no dia 6 de junho. As empresas já podem se candidatar para concorrência. Recentemente a Prefeitura do Rio criou, na Linha Vermelha, uma faixa exclusiva para quem vai para o Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão. Infelizmente houve registro de reclamações quanto aos reflexos da decisão, em especial quanto ao aumento de congestionamentos. Vale lembrar que a cidade carece de bom transporte de massa pela inexplicável ausência da falta de transportes sobre trilhos, e pela falta de atenção às demandas em relação às linhas do Metrô e(Leia mais)

Obras do Metrô – Uma novela de mau gosto com a população do Rio

Texto publicado originalmente na página “Metrô que o Rio Precisa” Em julho de 2013, quando a estação da Gávea começou a ser construída, o governador era Sérgio Cabral. As obras andavam a passos lentos até que foram totalmente paralisadas em meados do segundo semestre de 2014, quando o governador era o Luiz Fernando Pezão. Pezão ficou governador até o final de 2018 e a estação da Gávea foi totalmente esquecida. Aliás, esqueceram dela em 2014, mas com a cortina de fumaça do oba oba das Olimpíadas, passou direto pela Gávea. Aliás, o metrô passa direto pela Gávea até hoje, através de uma outra gambiarra, ali pouco depois do Leblon. E tanto Pezão quanto Cabral foram presos justamente por corrupção em muitas coisas, uma delas, a obra do metrô. Em 2019, assumiu o governo Witzel, que nada resolveu sobre a estação.(Leia mais)

“O metrô do Rio é uma tripa”, por Atílio Flegner

Por Atílio Flegner, administrador do Movimento “O Metrô que o Rio precisa” Um problema pontual,  em uma única composição num trecho entre estações é capaz de travar todo o sistema do metrô do Rio. Mas por que isso? O metrô do Rio é uma tripa. As linhas 1, 2 e 4 são uma junta de linhas numa só. Qualquer problema nessa tripa afeta inclusive trechos que nada tem a ver com o setor do incidente. Uma obstrução de tráfego em Siqueira Campos, não afetaria a Barra ou a Pavuna se tivessem seguido o projeto original de linhas independentes. A Linha 2 virou um puxadinho da Linha 1 e a  Linha 4 é a Linha 1 esticada. Algo totalmente fora da realidade de qualquer metrô do mundo. Leia também: Metrô do Rio – A linha tripa 1 + 2 + 4 e(Leia mais)

VLTzação do BRT: Na contramão da mobilidade ?

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, apresentou nesta quinta-feira, o projeto “VLTzação” com a promessa de “revolucionar o sistema de transporte carioca”. O objetivo é implementar uma malha de veículos leves sobre trilhos no lugar dos ônibus do BRT e em várias partes da cidade em um prazo de 15 anos. O projeto inicial prevê o aproveitamento da infraestrutura do corredor de ônibus e restrição quase total de importantes vias para carros. A adaptação para o novo modal, com trilhos, trens e sistemas terá investimento estimado em R$ 14,8 bilhões. Vale lembrar que o prefeito, em gestão anterior, em articulação com o então Governo Estadual (que aproveitou a licitação antiga feita para a construção da Linha 4 no trecho Botafogo-Humaitá-Jardim Botânico-Gávea para alongar a Linha 1), e com o Governo Federal (que também financiou obras de grande porte), não se(Leia mais)

O ACORDO ENTRE A PREFEITURA E A RIO ÔNIBUS, E O TRANSPORTE PÚBLICO NA URBE CARIOCA

Foi assinado na última semana um acordo entre a Prefeitura do Rio e as empresas de ônibus que circulam na capital do estado. O objetivo apresentado do entendimento é recuperar o sistema rodoviário na cidade, aumentando a circulação de veículos, sem acréscimo no preço na passagem. Sobre a questão, recebemos a manifestação do engenheiro, Coordenador do Fórum de Mobilidade Urbana RJ, Membro dos Conselhos Estadual e Municipal de Transportes, Licinio M. Rogério, sobre o acordo entre a Prefeitura e a Rio Ônibus – sindicato das empresas de ônibus da Cidade do Rio, afiliado à Fetranspor – na qual destaca a importância da participação da Sociedade Civil desses novos tempos, começando “agora, com a definição das linhas que serão restauradas e do aumento dos carros nas linhas que operam com poucos veículos”. Urbe CaRioca Prefeitura e Rio Ônibus fazem acordo. Tudo(Leia mais)