Prefeitura do Rio pede ao INEA para que processo que autorizaria a construção do autódromo em Deodoro seja arquivado

Reproduzimos a publicação do Diário do Rio que relata a solicitação feita pela atual administração da Prefeitura do Rio ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea) para que seja arquivado o processo que poderia dar uma licença ambiental prévia ao projeto de construção do polêmico autódromo no bairro de Deodoro, que, para ficar de pé, teria que derrubar 200 mil árvores, numa área que abriga espécies raras e sob ameaça de extinção.

A notícia parece excelente. Todavia é necessário lembrar que se trata de um recuo e não apenas de uma decisão de um novo gestor sobre matéria nova. Conforme já dito, não se pode esquecer todos os ativos envolvidos e que exigiram anos de luta por uma proposta na qual o atual prefeito tem fundamental parcela de participação. Se esse “filho” tem pai, certamente carrega em Paes o seu sobrenome, pois em sua primeira gestão foi o autor da Lei Complementar nº 108/2010 que previu a construção do autódromo na Floresta de Camboatá, com índices construtivos generosos do mesmo modo que na área do Parque Olímpico – onde existia o Autódromo de Jacarepaguá, demolido “pra Olimpíada”.

Boa leitura

Urbe CaRioca

Prefeitura pede arquivamento de processo que autorizaria construção do novo autódromo do Rio

Publicado originalmente no Diário do Rio

Projeto do Autódromo de Deodoro – Foto: Reprodução/Internet

A polêmica em torno da construção ou não do novo autódromo do Rio de Janeiro, na região de Deodoro, Zona Oeste da cidade, ganhou mais um capítulo. Segundo informações do jornalista Lauro Jardim, do ”O Globo”, a atual administração da Prefeitura da capital fluminense enviou ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea) uma solicitação para que a licença ambiental pedida pela antiga gestão do Poder Executivo Municipal, de Marcelo Crivella, que está em análise e derrubaria cerca de 200 mil árvores em uma área que possui espécies raras e ameaçadas de extinção, seja arquivada.

Vale ressaltar que o projeto também contava com a simpatia do presidente da República, Jair Bolsonaro, e tinha como principal intuito trazer a etapa brasileira da Fórmula 1, que acontece em Interlagos, em São Paulo, para o Rio.

Paralelamente ao pedido para vetar o projeto, o prefeito Eduardo Paes deseja construir no local uma unidade de preservação ambiental.

Confira também:

Na mídia:

A Chincana

O Autódromo da decadência

MPF questiona licitação de autódromo no Rio; empresa e Prefeitura negam favorecimento

Sobre o autódromo e o sambódromo

Empresa que fará autódromo no Rio tem 0,14% do capital exigido; presidente é sócio de consultoria que ajudou a fazer licitação

Empresário da F-1 no Rio presidiu grupo que deve R$ 24 mi à União

No blog Urbe CaRioca:

Prefeito do Rio descarta a (sua) proposta de construir autódromo na Floresta de Camboatá

A saga do novo autódromo continua

Pela preservação da Floresta do Camboatá 

A ameaça de um novo autódromo continua

No blog Sonia Rabello:

Hipotético Autódromo do Rio: um mar de irregularidades, e oposição por todo lado

O tal “Autódromo” de Deodoro terá sim dinheiro público !

Brumadinho e a proposta de construção de um novo Autódromo do Rio na Floresta de Camboatá

Inauguração de autódromo em Deodoro?

Ignorância Estadual em Deodoro? Impossível

O Autódromo de Deodoro e a destruição da Mata Atlântica

Autódromo na Mata Atlântica em Deodoro?

Pela preservação do Morro da Estação, em Deodoro

O futuro Autódromo de Deodoro

Mapas do Autódromo de Deodoro

Projeto de construção do Autódromo de Deodoro

SOS Autódromo do Rio

Meio ambiente ameaçado em Jacarepaguá

Pela manutenção do Autódromo de Jacarepaguá

Como assim não sabiam? Autódromo “rides again”

Autódromo na Mata Atlântica de Deodoro ?

Autódromo de Deodoro: uma escolha de Sofia ?

Parque Olímpico ou um contra-legado ambiental ?

“Parque Olímpico” e os edifícios na beira da Lagoa de Jacarepaguá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *