Fundos artificiais e prioridades, onde e por quê?

Fotomontagem

No mês de outubro de 2021, a Lei nº 7066 estabeleceu a criação do Programa de Implantação de Fundos Artificiais no Município do Rio de Janeiro para a conservação da biodiversidade marinha, fomento à prática de esportes aquáticos e proteção de praias e do litoral costeiro do município, além de outras providências.

O Decreto nº 49.833/2021, de 26 de novembro de 2021, instituiu um Grupo de Trabalho com objetivo de elaborar documento orientador com os locais prioritários para implantação de fundos artificiais na orla do Município.

O Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro desta quarta-feira, dia 12 de janeiro, apresenta a composição do referido Grupo de Trabalho.

A quem interessar este blog divulga as intenções da Prefeitura sobre o fundo do mar carioca e novas ondas a serem surfadas, justificativa para corrigir obras mal feitas na orla, e espera que a Prefeitura dê publicidade não apenas às referidas prioridades a serem apontadas, como também a outras prioridades previstas para que nossa combalida cidade possa receber ondas de obras boas e necessárias, além das perniciosas ondas de coronavírus que insistem em continuar nos assombrando.

Urbe CaRioca

Ciclovia da Praia da Macumba: Quem tem responsabilidade? Quem escolheu o local? Quem projetou e executou?

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.