É UMA PEDRA PORTUGUESA, COM CERTEZA!

Dri Everywhere

Aqui, nos últimos anos as calçadas assim revestidas têm sido alvo de polêmicas.


Para justificar pedras soltas, buracos e desníveis os mosaicos recebem culpas que não lhes cabem.  Em vez de atribuir os problemas ao mau assentamento e à péssima conservação – às vezes ausente -, muitos que, infelizmente, se machucam, ou têm dificuldade de locomoção pensam que as pedrinhas são as culpadas de tudo e esquecem a situação idêntica que vivemos no caso de calçadas mal feitas mesmo que empregados outros materiais.


Hoje a polêmica sobre o calçamento está onde ele nasceu, em Portugal. A reportagem ‘O chão de pedras pretas e brancas nasceu há 172 anos do Jornal Público explica que “De superfície lisa e brilhante, a pedra torna-se mais cintilante em dias de chuva, e por vezes escorregadia (…) característica que não agrada a todos e que tem provocado discussões políticas e sociais entre quem defende o início do seu fim e de quem a defende como património histórico que deve ser preservado”.


Ao conhecer o postde 2012 PEDRAS PORTUGUESAS E CARIOCASo prestigioso jornal português procurou este Blog com o intuito de conhecer o motivo das discussões e queixas contra este calçamento tradicional que acontecem cá do outro lado do Atlântico. Após o histórico que consta na primeira parte da reportagem, o tema prossegue com ‘Calçada portuguesa em Lisboa e no Rio: é mais o que as une do que aquilo que as separaambos os artigos bastante esclarecedores.


Agradecemos ao Jornal Público e à jornalista Inês Boaventura pelo contato, e pela oportunidade de reafirmarmos nosso ponto de vista: a importância de manter a memória urbana viva que as Pedras Portuguesas representam – tema que, não obstante as discussões entre defensores e opositores como a reportagem nos lembra, “desperta paixões”.

Leia mais