As regras ignoradas e a política do uso e abuso do espaço público no Rio: o caso da Favorita em Copacabana, de Sonia Rabello

Neste artigo, publicado originalmente no site “A Sociedade em Busca do seu Direito”, a professora e jurista Sonia Rabello destaca as decisões do governo da Cidade sobre o uso e a ocupação privada da orla das praias do Rio ignorando os compromissos de preservação.

“Há mais de um ano, pelo menos, o Conselho de Patrimônio Cultural do Estado do Rio explicitou os critérios para o uso e a ocupação da orla de Copacabana, seja por equipamentos permanentes, seja por equipamentos ditos temporários. A `abertura do Carnaval´ de 2020 foi criada pela atual gestão, de olho nas eleições. Começa com o `temporário´ para, aos poucos, se tornar definitivo e para sempre”, afirma.

Vale a leitura ! Leia mais

Linha 4 verdadeira – não executada entre Botafogo e Gávea – faz falta

12 de janeiro de 2020 –Atílio Flegner

Assunto: Linha 4 verdadeira – não executada entre Botafogo e Gávea – faz falta

Mais uma explicação de Atílio Flegner para compreender que a Linha 4 verdadeira – não executada entre Botafogo e Gávea – faz falta. E que esticar a Linha 1, rebatizando-a, foi um artifício, questionável do ponto de vista técnico e jurídico (licitação antiga aproveitada). Leia mais

Lançamento do livro “Metrô 40 anos de histórias – Da gestão pública à iniciativa privada”

Nesta segunda-feira, dia 13, às 14h, na estação General Osório, acontecerá o lançamento do livro “Metrô 40 anos de histórias – Da gestão pública à iniciativa privada”.  O livro foi escrito pela engenheira Ângela França que foi assessora do gerente de projetos, do vice presidente e do diretor de planejamento (Fernando Mac Dowell) durante a construção e inauguração do metrô.
Angela França conta, em 120 páginas, histórias pitorescas das quatro décadas do metrô carioca, apresentadas por gente que fez e ainda é parte do elenco da operadora.
De acordo com a apresentação, na obra são abordados “fatos reais que permitem aos leitores o conhecimento dos meandros da empresa em todos os seus aspectos. Os altos e baixos, os dias de glória e de penúria durante a escalada técnica e principalmente política que tanto descaracterizou o plano de viabilidade previsto para a cidade, que até hoje não conseguiu ver seu sistema pleno implantado”.“A ideia surgiu pelo fato da Companhia fazer 40 anos uma data bem significativa, sendo 20 anos de gestão pública e outros 20 da concessão. Nada melhor do que contar esta história para a sociedade com dados pistorescos narrados por ex-presidentes e diretores dos dois lados, além do próprio quadro de funcionários”, comenta França.Angela França é engenheira eletricista, formada pela Universidade Católica de Petrópolis (UCP), palestrante, consultora, autora de diversos CD´s voltados ao Sistema da Qualidade inclusive com método próprio intitulado “Programa 5S sem segredos” e dos livros Metrô – os trilhos que mudaram o Rio e Glossário Metro Ferroviário.

Detentora de ampla experiência em transportes metroferroviário com mais de 40 anos em metrô, VLT, integração intermodal, logística, planejamento estratégico, mobilidade urbana nas áreas de projeto, implantação, operação, manutenção, documentação e normalização. Com grande vivência nas áreas de assessoria, gerência e coordenação de projetos exercendo liderança de equipes multidisciplinares. Leia mais

O público e o privado, de Eurípedes Alcântara

Na coluna do jornalista Eurípedes Alcântara, no O Globo, o destaque para a atuação, competência e efetividade dos órgãos e empresas públicas no País. “Essa interpretação particular de que o que é de todos não é de ninguém explica o descaso permanente com a coisa pública. Os órgãos e empresas públicas no Brasil foram quase sempre ralos sugadores de recursos sem a contrapartida do serviço prestado”, afirma. Leia mais

Aos amigos leitores …

Em agradecimento aos nossos amigos leitores e colaboradores por quase oito anos de parceria, este blog retrata através da beleza e do colorido das nossas singulares paisagens a renovação da esperança e do compromisso com a Urbe CaRioca.

Os registros de Patrícia Lima e de Lucilla Pessoa de Queiroz, gentilmente cedidos a este site, nos relembram o encanto das belezas naturais do Rio. Que essas belezas sejam sempre inspiração na defesa pela sua preservação, e pela continuidade do olhar singelo sobre a nossa cidade. Leia mais

As torres de Witzel, por Washington Fajardo

Neste artigo publicado originalmente no site medium.com, o arquiteto Washington Fajardo comenta a questão do terreno do 23º Batalhão da Polícia Militar, mais uma vez alvo de gestores públicos que desejam oferecê-lo ao mercado imobiliário. Fajardo destaca a pretensão do governador Wilson Witzel em flexibilizar parâmetros construtivos e liberar duas torres de mais de 200 metros no referido local, no bairro do Leblon. Leia mais

Edifício do Museu da Imagem e do Som no Rio de Janeiro – Capital Mundial da Arquitetura, de Ivete Farah

Neste excelente artigo, a doutora em Urbanismo, professora e pesquisadora Ivete Farah destaca a importância do Congresso Mundial de Arquitetura, este ano, no Rio de Janeiro, e a oportunidade de discutirmos o estado de paralisação da obra do Museu da Imagem e do Som na Cidade, buscando soluções para alteração deste quadro.

A cidade receberá um equipamento com potencial de se transformar em mais um símbolo arquitetônico e um espaço para a manutenção e divulgação da cultura do país”, afirma. Leia mais