OBRA DO METRÔ: 21 VEZES MAIS CARA EM RELAÇÃO AO PROJETO ORIGINAL DE 1998, de Atilio Flegner

=&0=& Após notícias recentes na grande imprensa sobre o aumento no custo das obras do Metrô, em curso na Cidade do Rio de Janeiro, Atílio Flegner, é administrador do Movimento O METRÔ QUE O RIO PRECISA, faz novas considerações sobre as mudanças de traçados e decisões que prejudicaram o atendimento da população que usa esse meio de transporte, inclusive acarretando superlotação e atrasos, além de alguns motivos que causaram o aumento de despesas. =&1=&

ATRASO NA OBRA DA “LINHA 4” E BRT NO LUGAR DO METRÔ OLÍMPICO – UM FESTIVAL DE INCOMPETÊNCIAS, de Atilio Flegner.

Frase estampada no ônibus de 2 andares que operou 
em SP pela CMTC, hoje preservado no museu dos
 transportes públicos. Foto: Atilio Flegner

Segundo notícia publicada pelo O Globo on line em 20/0, na véspera o Prefeito do Rio pedira ao Comitê Olímpico Internacional – COI que considerasse um plano de contingência elaborado pelo Município – a criação de um corredor BRT provisório na Zona Sul da cidade – afirmando que existia um risco de as obras da hoje chamada Linha 4 do Metrô não serem concluídas a tempo para os Jogos Olímpicos (na verdade trata-se de prolongamento da Linha 1 pelos bairros de Ipanema e Leblon para unir-se à Linha 4 original no trecho Gávea-Barra da Tijuca, conforme explicado em diversas postagens neste blog).




No mesmo dia 20 o falante então Secretário Estadual de Transportes – hoje, dia 21, já demissionário – se contrapôs ao Prefeito ao dizer que a Linha 4 “funcionará durante os Jogos Olímpicos em agosto”. =&4=& =&1=&



Atílio Flegner comentou o assunto na página que administra – METRÔ QUE O RIO PRECISA – em artigo que reproduzimos a seguir. Esse sítio virtual e o Blog Metrô do Rio, de Miguel Gonzalez, são fontes reais de inúmeras informações e análises sobre os sistemas de transportes do Rio de Janeiro: Estado e Capital.


Nota: Outra notícia, também no dia 20/02, informa que a Prefeitura pretende dar prosseguimento à implantação do VLT em Botafogo: o trecho corresponde à Linha 4 original do Metrô, trocada pelo prolongamento da Linha 1 em Ipanema e no Leblon, como é de conhecimento geral! No mesmo tema sugerimos conhecer o artigo UM TRAÇADO CIRCULAR, de Hugo Repolho, publicado em 09/02/2016, também no jornal O Globo, texto no qual destaca a importância da ligação Gávea-Uruguai, sob o Maciço da Tijuca.
[...] Leia mais

METRÔ: QUEM DIRIA, A LINHA 4 VIROU LINHA 5!

=&0=&=&1=&=&2=& =&3=& =&3=& =&3=&
Foram inúmeras as postagens neste blog Urbe CaRioca relatando que a anunciada e alardeada Linha 4 do Metrô não era a Linha 4, mas, um prolongamento da Linha 1, esticada da Praça Antero de Quental, no Leblon, até a Gávea, para dali continuar em direção à Barra da Tijuca (Note-se que o projeto original da Linha 1 terminava no Jardim de Alah). Palavras ao vento…
Até o jornal O Globo, que em editorial recente havia retratado a realidade dando o nome certo ao boi, digo, à tripa, digo, à linha 1 do Metrô, acabou se rendendo à nomenclatura repetida à exaustão pelo governo estadual atribuída à construção que prossegue a passos de cágado, digo, de tatu, um enorme tatu, um tatuzão saindo da Praça General Osório (que recebeu mais uma plataforma não existente no projeto original e por isso ficou fechada durante meses!) em direção ao Leblon, que passou por baixo do Jardim de Alah, e no caminho arrancou árvores centenárias na Praça Nossa Senhora da Paz.


Em todas as placas, macacões, coletes, bonés, faixas, folders, notícias nos periódicos e televisão, loas à falsa Linha 4.

Finalmente o governo do Estado sinalizou que construirá o trecho do Metrô entre a estação Largo da Carioca, aquela que quase virou Pão Fresco, e o bairro da Gávea.




TRAÇADO ORIGINAL da Linha 4, licitado em 1998:
a Barra da Tijuca seria conectada à Botafogo, via Jardim Botânico.
Uma outra alternativa seria ligar a Barra diretamente à estação Carioca, via Laranjeiras.
Blog As Ruas do Rio, em 2010 – O mapa também indica o trecho não construído da Linha 2.

Os gestores tiveram dois probleminhas para resolver.

Primeiro, como chamar o trecho novo a ser licitado de Linha de 4 depois de repetir milhões de vezes que já a estavam construindo, a partir da Estação General Osório em direção à Praça Nossa Senhora da Paz, Jardim de Alah, Praça Antero de Quental, e dali fazendo uma enorme curva para encontrar a Estação Gávea, esta, sim, parte da Linha 4 Original até a Barra da Tijuca?

Fácil: rebatizaram o trecho entre o Centro e a Gávea, via Botafogo, de Linha 5. Mas a Linha 5 prevista era a  Galeão – Carioca, via Fundão, Leopoldina, Rodoviária e Santos Dumont, trecho espetacular e muito necessário, esquecido pelo Porto Maravilha, inexplicavelmente: região cavada, esburacada, renovada, sem a Perimetral, com túneis, sem habitação e… SEM METRÔ! Não é um problemão. Daqui a meio século, se ainda existir Metrô e essa Linha 5 for feita por certo encontrarão outro número para mais um rebatismo.
Segundo probleminha, o nome do trecho. Geralmente as Linhas são nomeadas do Centro para o destino final, por isso a Linha 4 original era Largo da Carioca – Barra da Tijuca. Agora, reduzida a um pedaço rebatizado de Linha 5, começando na Carioca, criou-se um cacófato impublicável. Como resolver? Fácil também, ora, bastava inverter o sentido e a leitura das estações. Ficou assim: Gávea – Carioca. Portanto:


Linha 4 Original: Carioca – Barra da Tijuca via Botafogo, Humaitá, Jardim Botânico e Gávea.
Linha 4 Falsa: General Osório – Barra da Tijuca via Ipanema, Leblon e Gávea
Linha 5 Original: Galeão – Carioca (mas nosso aeroporto ganhou um BRT e uma linda ponte estaiada só para ele…)
Linha 5 Falsa: Carioca – … Opa! não dá! – Gávea – Carioca, pronto, resolvido!=&12=& =&13=& =&13=&

Moradores do Leblon debatem problemas do Metrô

Em reunião realizada no Colégio Santo Agostinho engenheiros especialistas explicaram o motivo dos problemas do Tatuzão: a opção por escavar na terra, em profundidade menor, em vez de na rocha como constava nos estudos técnicos da década de 1970/1980.

NOTA – Por ser um filme longo contendo explicações técnicas melhor direcionadas a especialistas, sugerimos conhecer pelo menos a parte apresentada pelo Engenheiro Fernando MacDowell, a partir dos 49 minutos.
Julho 2014 – Filmado por Caos CaRioca Disponível no Youtube ______________________

COMENTÁRIOS DE LEITORES DO BLOG (ATUALIZAÇÃO EM 26/11/2014)

[...] Leia mais

Artigo: NOVA LICITAÇÃO PARA O QUE JÁ EXISTE, de Miguel Gonzalez




O artigo de Miguel Gonzalez escrito para este Urbe CaRioca em junho/2012 – UM PROJETO REAL E VIÁVEL PARA O METRÔ DO RIO – sempre esteve entre os mais lidos do blog desde então.

Estudioso do sistema metroviário do Rio de Janeiro e Região Metropolitana e responsável pelo Blog Metrô do Rio, diante do lançamento pelo Governo Estadual de licitação com vistas à elaboração de projeto para expansão da rede nos próximos 30 anos, no último dia 08 Miguel publicou em seu blog texto onde considera que “os projetos originais elaborados pela Rio Trilhos nos anos 80 ainda são os melhores”.

O interessante post está reproduzido abaixo. Enquanto isso, a Linha 4 falsa – construída “Pra Olimpíada” – prossegue conforme projeto do Metrô-Tripa e o METRÔ DOS SONHOS fica mais distante…

Boa Leitura.
Urbe CaRioca



Nova Licitação para o que Já Existe

Miguel Gonzalez


No começo de Julho, a Secretaria Estadual de Transportes publicou, no Diário Oficial, o edital de licitação para escolher a empresa que vai elaborar o projeto para a expansão da rede do metrô para os próximos 30 anos. A ganhadora terá um ano para apresentar os estudos de uso do solo, demanda e viabilidade para implantação de novas linhas no sistema de transporte subterrâneo no Rio de Janeiro. O custo para fazer este levantamento está estimado em R$ 4,1 milhões. O dinheiro será financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
[...] Leia mais