Diário do Rio – O cinema Estação NET Rio e um paradoxo, por Andréa Redondo

Artigo de Andréa Albuquerque G. Redondo, publicado no Diário do Rio

Nos últimos dias tivemos outro episódio envolvendo a Prefeitura do Rio e o imóvel onde funciona um conhecido cinema carioca: o Estação NET Rio, localizado no número 35 da Rua Voluntários da Pátria, em Botafogo, e que acumula dívidas de quase de R$ 2 milhões em aluguéis devidos ao Grupo Severiano Ribeiro, proprietário do prédio, segundo informações na mídia. Leia mais

Urbe Carioca no Diário do Rio

No artigo de estreia de nossa coluna no Diário do Rio, uma análise sobre o relato de investimentos de empresários em restaurantes e em atividades culturais na região do Centro do Rio, em paralelo à ações da Prefeitura através do Reviver Centro e que, espera-se, tragam movimento e pessoas às ruas do coração da Cidade.

O Diário do Rio de Janeiro é um jornal online brasileiro fundado em 2007 e sediado no Rio de Janeiro. É o 2º veículo nascido digital a fazer parte da Associação Nacional de Jornais.  Originalmente um Blog, criado por Quintino Gomes Freire, que em 2018 faz sociedade com Cláudio André de Castro. Em seguida a novos investimentos é transformado em um jornal digital. Hoje tem mais de meio milhão de seguidores em suas redes sociais. Leia mais

Câmara aprova por unanimidade criação de Refúgio de Vida Silvestre na Floresta do Camboatá

A Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro aprovou por unanimidade nesta quinta-feira, dia 11 de novembro, em segunda discussão, o Projeto de Lei 1345-A/2019, que cria o Refúgio de Vida Silvestre da Floresta do Camboatá, no bairro de Deodoro. O PL que recebeu um substitutivo, tem como objetivo proteger o último trecho de Mata Atlântica plana do município do Rio, onde já houve um projeto absurdo para transformar essa área de preservação ambiental em um autódromo, e que implicaria na derrubada de mais de 200 mil árvores e o desmatamento de uma área de quase 160 hectares. Leia mais

Reviver Centro – Prédios e gabaritos, quem são seus pares?

Publicada esta semana no jornal O Globo, a reportagem “Centro do Rio ganha novos projetos culturais para ajudar na revitalização do bairro”, de Luiz Ernesto Magalhães, relata os investimentos de empresários em restaurantes e em atividades culturais na região, em paralelo à ações da Prefeitura que, espera-se, tragam movimento e pessoas às ruas do coração da Cidade.

Segundo a notícia “a ideia é combinar investimentos em infraestrutura e a conversão de prédios comerciais em residenciais, facilitada pela nova legislação urbanística criada pela prefeitura para a área (Reviver Centro), com formas variadas de atrair a população”, uma referência à recém-aprovada Lei Complementar nº 229 de 14/07/2021. Conforme explicado no post Reviver Centro: Agora depende do setor privado, Leia mais

Rio: O Projeto do Autódromo na Floresta de Camboatá continua vivo e tramitando, de Sonia Rabello

Neste artigo, publicado originalmente no site “A Sociedade em Busca do seu Direito”, a professora e jurista Sonia Rabello destaca que após um período de euforia, quando o novo governo da Cidade do Rio anunciou que desistiria de promover a construção do novo Autódromo na Floresta de Mata Atlântica de Camboatá, chama a atenção que o pedido de licença para sua construção continue tramitando no Instituto Estadual do Meio Ambiente (INEA). Leia mais

Bancas de jornal irregulares são alvos da Prefeitura do Rio

Conforme noticiado na Revista Veja Rio, a Prefeitura do Rio de Janeiro, através da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), tem atuado para a retirada de várias das bancas de jornais que funcionam de forma irregular pelas ruas da cidade, vendendo produtos sem liberação para tal, e que servem de “outdoors” – painéis de propaganda, sem autorização, sem comercializar o principal produto que se propõem a vender: jornais e revistas. Além disso, há muitas bancas cujas medidas desobedecem as normas, assim como algumas atrapalham a visão de motoristas em esquinas, ocupam calçadas quase inteiras, prejudicam o comércio das lojas de rua, e até mesmo são obstáculos para a visão de imóveis históricos e monumentos. Leia mais

O Apanhador de Lembranças nos Campos do Crepúsculo, de Francisco Fonseca

CrônicaCaRioca

Em mais uma crônica recheada de singularidades, o arquiteto Francisco Fonseca detalha lembranças de sua infância passada em São Luís – capital do Estado do Maranhão -,  e  rememora as andanças com o seu avô, em um misto colorido pelo encantos dos passeios e os sentimentos de aventura desenhados pela imaginação e a curiosidade de uma criança atenta a tudo e a todos. “À medida que o futuro se encurta, o passado vai se tornando cada vez mais presente. Talvez a consciência da nossa finitude, mais palpável à medida que o tempo passa, seja a responsável pela necessidade de ficarmos recolhendo reminiscências, como quem começa a organizar a bagagem, mesmo apostando que a viagem não será pra já”, destaca o autor. Leia mais

Prefeitura do Rio analisa descontos de IPTU

Reportagem publicada no jornal O Globo informa que a Secretaria Municipal de Fazenda e Planejamento (SMFP) está fazendo um pente-fino nos cadastros de cerca de 2,7 mil imóveis que tiveram isenções ou abatimentos previstos em leis. Entre eles está  o antigo Hotel Glória, ícone da arquitetura neoclássica da Cidade e fechado desde 2013 como reflexo de problemas financeiros do ex-proprietário, o empresário Eike Batista.  Segundo a reportagem o imóvel deixou de recolher pelo menos R$ 1,9 milhão de IPTU em 2019 e 2020 por falhas no cadastro da Prefeitura. O prédio era beneficiado por um desconto de 40%, aplicável somente para estabelecimentos que hospedem visitantes, como forma de estimular a atividade. Leia mais

Lagoon, na Lagoa, outra vez destino incerto

A Justiça do Rio decidiu pela reintegração de posse do espaço Lagoon, na Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul do Rio, conforme noticiado na coluna de Ancelmo Gois, no jornal O Globo. Em janeiro de 2020, o governo notificou a concessionária de que não havia interesse na renovação do termo de permissão de uso do imóvel na Avenida Borges de Medeiros.

Em agosto deste ano, a Justiça negou o pedido de recurso da empresa para impedir a reintegração do espaço Lagoon. Segundo a decisão, a concessionária responsável pela gestão do local não conseguiu explorar com êxito o espaço, o que provocou prejuízo econômico. A Justiça determinou um prazo de 90 dias para que a empresa desocupe o imóvel, cedido pela Prefeitura do Rio para a exploração de espaço gastronômico e cultural na cidade. Leia mais