Real e Benemérita Sociedade Portuguesa da Beneficência

Publicado originalmente na Página Olhos de Ver – Patrimônio Histórico Rio de Janeiro A página Olhos de Ver – Patrimônio Histórico Rio de Janeiro publicou um carrossel de fotos que registram parte do conjunto arquitetônico em estilo neoclássico da antiga “Real e Benemérita Sociedade Portuguesa de Beneficência”. A Sociedade Portuguesa de Beneficência foi fundada em 1840 e ao longo das décadas do século XIX os prédios que faziam parte dela foram sendo construídos e ampliados, formando um enorme complexo hospitalar que prestava assistência aos cidadãos portugueses que residiam na Cidade. Após a aquisição de todo o complexo por uma rede hospitalar privada há uma década e minucioso restauro dos edifícios históricos (ainda não na sua totalidade, pelo menos por enquanto), o hospital é hoje o maior da rede privada no Rio. Rua Santo Amaro, 80 — Glória – Alexandre Siqueira (Fotografia)

Prova de vida de servidores tem nova data

O Previ-Rio anuncia as regras para o Recadastramento Anual Obrigatório (Prova de Vida) da previdência municipal, que recomeça em janeiro de 2024. Os servidores inativos da Prefeitura do Rio e pensionistas do Funprevi devem ficar atentos a algumas alterações no sistema tradicionalmente utilizado. Como já ocorreu, em 2023, serão válidas as duas opções de recadastramento: pela internet, utilizando o reconhecimento facial no sistema e.gov, ou presencial, exclusivamente no Banco Santander. No entanto, a convocação agora foi unificada e será apenas pelo mês de aniversário, como já era no recadastramento digital e, no sistema presencial, não será mais usado o final de matrícula como nos anos anteriores. Outra alteração será a necessidade de comparecimento ao Previ-Rio, das pensionistas qualificadas como filhas solteiras, também no mês de aniversário. Elas terão de assinar declaração específica de estado civil e apresentar certidão de nascimento(Leia mais)

Rio favela, de Roberto Anderson

Neste artigo publicado originalmente no Diário do Rio, o arquiteto Roberto Anderson destaca que a Cidade Maravilhosa, apesar de suas inúmeras questões não atendidas pelo Poder Público, é ainda um lugar de encantos. E, de forma detalhada, aborda as singularidades das inúmeras favelas do  Rio, um pouco de suas histórias e diversidades. Urbe CaRioca O Rio é uma cidade maravilhosa. Mas, é também complicada Por Roberto Anderson O Rio é uma cidade maravilhosa. Mas, é também complicada. A ela cabe, como uma luva, a expressão atribuída a Tom Jobim de que o Brasil não é para amadores. Para Zuenir Ventura, uma cidade partida. Para moradores de outros estados, uma cidade violenta, onde se é assaltado, sequestrado ou morto a qualquer descuido. Com certeza, cidade bagunçada, onde os ônibus não param nos pontos, motoristas não respeitam os sinais e amam parar(Leia mais)

Reviver Centro: depois da Cultura, iniciativas na área Comercial

A Prefeitura do Rio anunciou nesta semana o programa que pretende transformar a Rua da Carioca, no Centro, na “rua da cerveja”. É mais uma tentativa de levar circulação constante à região, da mesma forma pretendida com o projeto “Reviver Cultural”, também divulgado recentemente. Espera-se que a iniciativa progrida e que esta  rua tão importante do ponto de vista do patrimônio histórico cultural, a exemplo de outras em seu entorno, passem a reconquistar o grande fluxo comercial de outrora, inclusive atraindo para imóveis residenciais próximos novos moradores, neste movimento de revitalização. Na mesma linha de atuação, hoje a grande mídia anuncia novas iniciativas relacionadas  ao aumento do fluxo de pessoas na região, também pelo incentivo ao comércio, por exemplo, na Rua São José, o que é excelente, mas ainda não garante a chegada de vizinhos permanentes, pelo que torcemos. Paralelamente, a(Leia mais)

Centro, nada de novo – depois dos gabaritos, a isenção de impostos

Fonte: Site da Câmara Municipal do Rio de Janeiro Aprovada ampliação de benefício fiscal para o programa Reviver Centro Incentivo de imposto de transmissão sobre imóveis vai valer para todo o Centro da cidade A Câmara Municipal do Rio de Janeiro aprovou em definitivo nesta terça-feira (12) o PL 1732/2023, que trata dos benefícios tributários do programa Reviver Centro II. A matéria, de autoria do Poder Executivo, foi aprovada com uma  emenda que prevê a extensão da isenção do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis e de Direitos (ITBI) a toda a região central da cidade, e não apenas à Praça XV, Castelo e Cinelândia, como anteriormente previsto no projeto. O benefício será concedido para os primeiros adquirentes após a reconversão da edificação ou transformação de uso da unidade, nos setores emissores de potencial da operação interligada, limitada ao período(Leia mais)

Plano Diretor – Retórica da Mentira

As barbaridades urbano-cariocas prosseguem a todo o vapor. O descaramento dos edis impressiona. Um dia após a aprovação do dito Reviver Centro –  ampliado – programa que até agora reviveu Ipanema e outros bairros da Zona Sul, retorna à pauta a discussão sobre o Plano Diretor. Este, cantado em prosa e verso como necessário para resolver as mazelas da Cidade do Rio de Janeiro. Podemos apelidá-lo Conto da Carochinha. As falas dos vereadores e Prefeito sobre a importância do tema nada mais são do que retórica da mentira, importância verdadeira se nele acreditassem, se ele cumprissem. O que inexiste. Urbe CaRioca Câmara se prepara para receber emendas dos vereadores ao Plano Diretor Fonte: Site da Cãmara Municipal do Rio de Janeiro Redação do texto aprovado em primeira discussão está disponível no site institucional Em mais uma etapa para aprovar, ainda(Leia mais)

Reviver Centro II é aprovado em definitivo

Fonte: Site da Câmara Municipal do Rio de Janeiro A Câmara do Rio aprovou nesta terça-feira (5), em 2ª discussão e com a inclusão de 23 emendas,  o PLC 109/2023, do Poder Executivo, que amplia incentivos para alavancar a construção de moradias na Praça XV, Castelo e Cinelândia, área conhecida como Centro Financeiro da cidade. O objetivo é revitalizar a região, aumentando a população residente nessas áreas, dotadas de maior infraestrutura urbana. A proposta prevê a realização de uma Operação Interligada, na qual o empreendedor que investe no Centro Financeiro ganha o direito de construir em outros bairros, com isenção temporária de cobrança de contrapartida financeira. A proposta aprovada também amplia as chamadas áreas receptoras, ou seja, os bairros em que o construtor de moradias no Centro poderá receber direito de construir como contrapartida. Segundo o texto aprovado, quem construir(Leia mais)

Aumento dos índices construtivos e redução (ou isenção) de impostos: única alternativa para as cidades?

Na edição desta quinta-feira de O Globo, a notícia de que o bairro Imperial de São Cristóvão, na Zona Norte da Cidade, por meio de um acordo entre os governos federal e municipal, passará a fazer parte da área do projeto Porto Maravilha, com os mesmos incentivos já oferecidos à região portuária, e novidades que vão valer para os dois pontos da cidade. A ideia é estimular a ocupação do bairro. A matéria destaca, entretanto, que a Câmara Municipal precisa aprovar as alterações na legislação urbanística propostas em um projeto de lei que começou a tramitar ontem no Legislativo. Apesar das aparentes “boas intenções” do Executivo, federal e municipal, vale questionar se, de fato, o aumento dos índices construtivos e a redução (ou isenção) de impostos, atualmente, é a melhor ou única saída para o desenvolvimento das cidades. É importante(Leia mais)

Ao irregular, a marreta: uma piada urbano-carioca

“Quanto ao futuro das construções gravadas com o uso eterno de hotel, só o futuro dirá. Dizem que eterno só Deus. No Rio de Janeiro, Deus tem concorrentes: os hotéis erguidos com as benesses olímpicas”  – Em “Hotéis `Pra Olimpíada´- Sem surpresas” Notícias divulgada em várias mídias – rádios, jornais e tv – dão conta de operação realizada pela Prefeitura do Rio de Janeiro, na manhã do dia de hoje, para a demolição de construção irregular no bairro de Copacabana, Zona Sul da Cidade. De acordo com o portal da própria Prefeitura, a Secretaria de Ordem Pública (Seop) e a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação (SMDEIS) começaram a demolir dois andares de uma edificação destinada a hotel, na Rua Bolívar, número 65, quadra próxima da orla marítima. Segundo a notícia oficial, o acréscimo foi feito de forma(Leia mais)

O serviço do elevador

A notícia diz que os elevadores dos edifícios não poderão mais usar a expressão “de serviço”. É considerado discriminatório. Acredito que o senhor prefeito não saiba para que serve um elevador de serviço. Há muito tempo não existe o elevador de serviçais. As pessoas usam o elevador que quiserem ou escolhem aquele onde se sentem mais à vontade. Se alguém for impedido de usar o elevador eleito, caberá reclamar com o responsável pela atitude indevida. Nos dias de hoje com as facilidades disponibilizadas pela televisão, pelas redes sociais, além das informações via internet, a população está suficientemente esclarecida a respeito. Causa estranheza que em nossa cidade, com tantos problemas, os governantes percam tempo (ou gastem) para criar inutilidades. Sujeitar os condomínios a multas caso mantenham as placas com a denominação, beira a insanidade. Ou o senhor criará o cargo de(Leia mais)

Livros e um cafezinho

Andréa A. G. Redondo Livraria e Café. Combinação irresistível. Conheci-as em Boston, início dos 1990. Encantei-me. Cidade antiga, espírito jovem, universitários alegres, livrarias lotadas. Passei a desejar o mesmo para o Rio de Janeiro. Preces atendidas, logo surgiram, uma após a outra. Várias na área central, coração da cidade, e nos centros de compras, templos do consumo, os nossos shoppings. Nas ruas atraíam movimento: Letras e Expressões, Saraiva, Travessa, Galileu, Fnac, Cultura, muito tempo depois das veteranas Leonardo da Vinci e, sem o cafezinho nos primórdios, por certo, a tradicional Argumento. Nas pequenas cheias de charme o dono amante dos livros papeava e mostrava as novidades, como se vê nos filmes. Para assuntos técnicos havia que ir ao Centro. No meu Rio de altos e baixos o ciclo das livrarias foi um respirar de esperança, incentivos à leitura disseminados junto(Leia mais)

Metrô: Agora vai. Vai?

Abaixo, notícia publicada no Jornal O Globo traz esperança! Mas… cachorro mordido de cobra, de linguiça tem medo. Quem sabe Presidente e Prefeito, com a assessoria de um certo ex-governador trazem uma nova Olimpíada? Tudo se resolveria. Afinal, tudo foi “Pra Olimpíada”, inclusive a falsa Linha 4. Que venham os trilhos! Urbe CaRioca Nos 25 anos da concessão, metrô prevê expansão da Linha 2 para chegar à Praça Quinze Metrô busca recuperar passageiros, apesar da lenta expansão de seu serviço Por Geraldo Ribeiro — O Globo 11 de maio de 2023 – Link original  O metrô do Rio chegou aos 25 anos de concessão com dois grandes desafios pela frente. O primeiro é recuperar o volume de passageiros transportados antes da pandemia, que caiu dos cerca de 900 mil diários para 650 mil. O outro é tirar do papel antigos(Leia mais)