Fazenda da primeira feitoria do Brasil, do século XIX, em risco na Ilha do Governador

Uma das áreas mais antigas da Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio de Janeiro, a Fazenda da Ribeira, a primeira feitoria do Brasil, construída no século XIX, no Morro do Cabaceiro, está prestes a ver seu terreno desbastado para a construção de prédios de apartamentos, e pede socorro aos moradores da região para reverter essa situação.

“Trata-se de um raro exemplar de sede de fazenda, ainda com árvores centenárias ao redor, numa região que vem sofrendo muito com a ocupação desordenada e especulação imobiliária. Precisamos preservar o pouco que restou”, diz Marcus Monteiro, diretor do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural. Mesmo com a opinião pública totalmente contrária, a obra está sendo tocada e poderá acabar com uma das últimas áreas de representação histórica da Ilha ainda existente fisicamente. Sem contar a destruição de dezenas de árvores, algumas centenárias. Um misto de agressões à  história, à cultura e à memória somadas à destruição ambiental em uma área que deveria ser preservada. Leia mais

OUTRAS NOTÍCIAS DO SÍTIO ARQUEOLÓGICO DE SEPETIBA, de Cláudio Prado de Mello

Dando continuidade ao post “O Rio começa em Sepetiba”, mais um artigo do arqueólogo Cláudio Prado de Mello com registros importantes sobre a história do Rio de Janeiro, reveladas através de estudos arqueológicos na Zona Oeste da cidade. Boa leitura.

Urbe CaRioca

OUTRAS NOTÍCIAS DO SÍTIO ARQUEOLÓGICO DE SEPETIBA
FATOS EXTRAORDINÁRIOS DE UM RIO QUE COMEÇA EM SEPETIBA

Cumprindo a obrigação de todo cidadão brasileiro no exercício de seus deveres frente à preservação do Patrimônio… temos noticias excelentes a dar ! Tendo o sitio arqueológico permanecido oculto durante centenas de anos, um deslizamento de contenção e de encosta (devido às recentes chuvas) revelou suas camadas arqueológicas que chamou a atenção da turismóloga Telma Lopes. Leia mais

O RIO COMEÇA EM SEPETIBA, de Cláudio Prado de Mello

Mais um artigo do arqueólogo Cláudio Prado de Mello traz notícias importantes sobre a história do Rio de Janeiro, reveladas através de estudos arqueológicos na Zona Oeste da cidade. Boa leitura.

Urbe CaRioca

O RIO COMEÇA EM SEPETIBA

Apesar de muitos acharem o contrário, Sepetiba não é um Município do Estado do Rio de Janeiro, e, sim um bairro do Município do Rio de Janeiro. Sepetiba não é O Último bairro do Rio de Janeiro, mas sim o primeiro! Com essa afirmação começamos a mostrar um pouco sobre sua história e importância no contexto histórico e arqueológico. Leia mais

HORTA (?) NA LAPA, DE NOVO NA BERLINDA

Ou, UMA EXPERIÊNCIA DE PAISAGISMO FUNCIONAL COM VISTAS À RECUPERAÇÃO DO SOLO

Foto: João do Apex, 04/03/2017
Em 13/10/2016 publicamos UMA HORTA NA LAPA? A MINHA OPINIÃO, do historiador Claudio Prado de Mello -, fruto dos debates ocorridos pouco antes no grupo S.O.S.Patrimônio. A postagem teve grande repercussão e desdobramentos, com outros posts do Urbe CaRioca, inclusive sobre outra tentativa de se criar uma pequena plantação em frente ao Museu da República, na Rua do Catete.
No Carnaval o assunto voltou à berlinda Claudio Prado de Mello, manifestou-se mais uma vez com o texto:

A HORTA DA LAPA … Minha Opinião 2 =&2=&

PREPARANDO A HORTA NA LAPA – FOTOS DE MARCONI ANDRADE E RAUL F. DE SOUSA

Preparando a horta na Lapa. Foto: Marconi Andrade, 11/10/2016


A postagem de 13/10/2016 – UMA HORTA NA LAPA? A MINHA OPINIÃO, de Claudio Prado de Mello -, fruto dos debates ocorridos nos últimos dias no grupo S.O.S.Patrimônio, teve grande repercussão.


Anteriormente, no dia 11, Marconi Andrade já fotografara a preparação do terreno, imagens que hoje deixamos disponíveis para os caros leitores.


A futura horta plantada em um dos corações do Centro da Cidade do Rio de Janeiro – sim, tão ricas são a nossa história e memória urbanas que podemos afirmar: o Rio de Janeiro tem muitos corações – ganhara as páginas da grande imprensa (exemplo: Jornal O Globo, 09/10 – várias notícias), onde era tratada também como jardim. Leia mais

PRAÇA XV e RUA DA CONSTITUIÇÃO – PÉS-DE-MOLEQUE x CONCRETO

Praça VX de NovembroFoto: Marconi Andrade, 14/11/2015

PÉS-DE-MOLEQUE AGORA NA PRAÇA XV foi postagem de 28/08/2015 neste blog, sobre achados arqueológicos naquele local que surgiram em função das obras de urbanização em andamento realizadas após a demolição do Elevado da Perimetral e ainda em curso. Divulgado logo após a descoberta de calçamento de pé-de-moleque na Rua da Constituição durante obras para implantação de sistema de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) – piso histórico destruído logo a seguir pelo governo municipal, infelizmente, na Praça XV, o destino foi o mesmo: voltar a ser coberto, antes por asfalto, agora por concreto.

Enquanto isso, em São João del Rei, após duas décadas, a Prefeitura deu início à retirada de asfalto que desde 1993 cobria o calçamento antigo de rua tombada, para cumprir determinação do Ministério Público Federal: aqui na Cidade Maravilhosa, onde tudo é “pra olimpíada, historiadores pediram a instalação da CPI do Patrimônio.


Leia mais