OUTRAS NOTÍCIAS DO SÍTIO ARQUEOLÓGICO DE SEPETIBA, de Cláudio Prado de Mello

Dando continuidade ao post “O Rio começa em Sepetiba”, mais um artigo do arqueólogo Cláudio Prado de Mello com registros importantes sobre a história do Rio de Janeiro, reveladas através de estudos arqueológicos na Zona Oeste da cidade. Boa leitura.

Urbe CaRioca

OUTRAS NOTÍCIAS DO SÍTIO ARQUEOLÓGICO DE SEPETIBA
FATOS EXTRAORDINÁRIOS DE UM RIO QUE COMEÇA EM SEPETIBA

Cumprindo a obrigação de todo cidadão brasileiro no exercício de seus deveres frente à preservação do Patrimônio… temos noticias excelentes a dar ! Tendo o sitio arqueológico permanecido oculto durante centenas de anos, um deslizamento de contenção e de encosta (devido às recentes chuvas) revelou suas camadas arqueológicas que chamou a atenção da turismóloga Telma Lopes.[...] Leia mais

O RIO COMEÇA EM SEPETIBA, de Cláudio Prado de Mello

Mais um artigo do arqueólogo Cláudio Prado de Mello traz notícias importantes sobre a história do Rio de Janeiro, reveladas através de estudos arqueológicos na Zona Oeste da cidade. Boa leitura.

Urbe CaRioca

O RIO COMEÇA EM SEPETIBA

Apesar de muitos acharem o contrário, Sepetiba não é um Município do Estado do Rio de Janeiro, e, sim um bairro do Município do Rio de Janeiro. Sepetiba não é O Último bairro do Rio de Janeiro, mas sim o primeiro! Com essa afirmação começamos a mostrar um pouco sobre sua história e importância no contexto histórico e arqueológico.[...] Leia mais

HORTA (?) NA LAPA, DE NOVO NA BERLINDA

Ou, UMA EXPERIÊNCIA DE PAISAGISMO FUNCIONAL COM VISTAS À RECUPERAÇÃO DO SOLO

Foto: João do Apex, 04/03/2017
Em 13/10/2016 publicamos UMA HORTA NA LAPA? A MINHA OPINIÃO, do historiador Claudio Prado de Mello -, fruto dos debates ocorridos pouco antes no grupo S.O.S.Patrimônio. A postagem teve grande repercussão e desdobramentos, com outros posts do Urbe CaRioca, inclusive sobre outra tentativa de se criar uma pequena plantação em frente ao Museu da República, na Rua do Catete.
No Carnaval o assunto voltou à berlinda Claudio Prado de Mello, manifestou-se mais uma vez com o texto:

A HORTA DA LAPA … Minha Opinião 2 =&2=&

PREPARANDO A HORTA NA LAPA – FOTOS DE MARCONI ANDRADE E RAUL F. DE SOUSA

Preparando a horta na Lapa. Foto: Marconi Andrade, 11/10/2016


A postagem de 13/10/2016 – UMA HORTA NA LAPA? A MINHA OPINIÃO, de Claudio Prado de Mello -, fruto dos debates ocorridos nos últimos dias no grupo S.O.S.Patrimônio, teve grande repercussão.


Anteriormente, no dia 11, Marconi Andrade já fotografara a preparação do terreno, imagens que hoje deixamos disponíveis para os caros leitores.


A futura horta plantada em um dos corações do Centro da Cidade do Rio de Janeiro – sim, tão ricas são a nossa história e memória urbanas que podemos afirmar: o Rio de Janeiro tem muitos corações – ganhara as páginas da grande imprensa (exemplo: Jornal O Globo, 09/10 – várias notícias), onde era tratada também como jardim.[...] Leia mais

PRAÇA XV e RUA DA CONSTITUIÇÃO – PÉS-DE-MOLEQUE x CONCRETO

Praça VX de NovembroFoto: Marconi Andrade, 14/11/2015

PÉS-DE-MOLEQUE AGORA NA PRAÇA XV foi postagem de 28/08/2015 neste blog, sobre achados arqueológicos naquele local que surgiram em função das obras de urbanização em andamento realizadas após a demolição do Elevado da Perimetral e ainda em curso. Divulgado logo após a descoberta de calçamento de pé-de-moleque na Rua da Constituição durante obras para implantação de sistema de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) – piso histórico destruído logo a seguir pelo governo municipal, infelizmente, na Praça XV, o destino foi o mesmo: voltar a ser coberto, antes por asfalto, agora por concreto.

Enquanto isso, em São João del Rei, após duas décadas, a Prefeitura deu início à retirada de asfalto que desde 1993 cobria o calçamento antigo de rua tombada, para cumprir determinação do Ministério Público Federal: aqui na Cidade Maravilhosa, onde tudo é “pra olimpíada, historiadores pediram a instalação da CPI do Patrimônio.


[...] Leia mais

O MÊS NO URBE CARIOCA – AGOSTO 2015

Área retirada do Parque Municipal Ecológico Marapendi, reserva ambiental integrante da Área de Proteção Ambiental Marapendi, para a construção de um Campo de Golfe: aproximadamente 450.000,00 m², ou, 45 ha.

Obs. Nessa medida está incluída a parte de 58.000,00 m² doada ao antigo Estado da Guanabara, portanto área já tornada pública e pertencente ao Parque. o restante seria obrigação do empreendedor dos condomínios Riserva também passar para a Prefeitura como parte do processo de licenciamento para construir, obrigação esta que, junto com a de construir a Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso, foi dispensada em mais uma benesse urbanística prejudicial à cidade com a qual proprietários do terreno e construtores foram agraciados, entre outros favores.

AGOSTO foi mês com recorde de visualizações no Blog Urbe CaRioca desde a sua criação, em abril/2012. A polêmica sobre a poluição das águas da cidade retratada nas mídias nacional e internacional foi comentada com a versão em português do artigo O RIO DE JANEIRO À BEIRA D’ÀGUA; outro artigo, também de autoria do blog, com reflexões sobre as Olimpíadas que acontecerão daqui a 1 ano teve grande repercussão e muitos compartihamentos; propostas de leis que estão na Câmara de Vereadores – Direito de Superfície, PEU Ilha do Governador, o PACOTE 2015 a caminho; o vai-e-vem da obra gigantesca na Floresta da Tijuca; os achados arqueológicos durante escavações para obras de urbanização na Rua da Constituição e na Praça XV; um bate-boca entre estrelas; e a proposta do blog para que aos domingos sejam fechados vários circuitos para pedestres e ciclistas no centro histórico da cidade, Centro do Rio de Janeiro, foram outros temas analisados e comentados no período.
Boa leitura.

Urbe CaRioca

  AGOSTO 2015

 

10/08/2015 – O RIO DE JANEIRO À BEIRA D’ÀGUA, de Andréa Redondo (versão em português)

05/08/2015 –VAI TER OLIMPÍADA!

07/08/2015 – DIREITO DE SUPERFÍCIE A CAMINHO, DIREITO À CIDADE IGNORADO

10/08/2015 –O PASSADO RESSURGE NO CAMINHO DO VLT, de Marcus Alves=&4=& 12/08/2015 –

COMPLEXO PAINEIRAS – OUTRA OBRA POLÊMICA ‘VAI-E-VOLTA’[...] Leia mais

PÉ-DE-MOLEQUE – MOBILIZAÇÃO COMEÇA A SURTIR EFEITO

Rua da Constituição, Centro, Rio de Janeiro, out/2015.
Foto: Marconi Andrade



É o que diz a notícia publicada no O Globo on line:


Parabéns ao grupo S. O. S. Patrimôno!

Muito obrigada a todos que participaram do abaixo-assinado e compartilharam o pedido do grupo e deste blog.
Aguardemos o projeto.

Urbe CaRioca




PÉS-DE-MOLEQUE DO RIO ANTIGO – PASSADO REVIVIDO, RIO A PRESERVAR




Ontem tivemos a oportunidade de assistir ao excelente filme que integra o Festival do Rio cujo título é autoexplicativo.



Internet

São Sebastião do Rio de Janeiro, a formação de uma cidade’ de Juliana  de Carvalho (Brasil, 2015) é um relato emocionante que resume a história do Rio de Janeiro narrada e mostrada através de imagens que mesclam gravuras muito antigas, pinturas, terras quase virgens com suas águas a céu aberto – o Rio que não existe mais revivido através da computação gráfica, das observações de viajantes, da palavra de historiadores e arquiteto. O quase documentário – sem a aridez que às vezes os caracterizam – atravessa o tempo entre fotografias e filmes até chegar aos dias atuais com vistas espetaculares de diversos bairros da cidade tomadas por “drones”, tudo embalado por uma trilha sonora adequada a cada época.[...] Leia mais

PÉS-DE-MOLEQUE AGORA NA PRAÇA XV


NA ZONA PORTUÁRIA DO SÉCULO XX, NA AVENIDA RIO BRANCO, NA RUA DA CONSTITUIÇÃO E, AGORA, NO CORAÇÃO DO RIO, PALCO DO BRASIL COLÔNIA, DA REALEZA, E DO IMPÉRIO
Antigo Mercado Municipal, Praça XV
Internet
O post O PASSADO RESSURGE NO CAMINHO DO VLT, do último dia 10, teve grande repercussão. O tema do artigo do historiador Marcus Alves foi uma descoberta na Rua da Constituição, Centro do Rio de Janeiro, divulgada por ele e demais membros do grupo S.O.S. Patrimônio nas redes sociais: o belo piso “pé-de-moleque” que ficou à mostra depois das escavações para retirada dos antigos trilhos de bonde do século XX capeados pelo asfalto quando aquele meio de transporte foi eliminado na cidade nos anos 1960, exceção para o bairro de Santa Teresa. Ironicamente a obra se deve à instalação dos novos trilhos que receberão os trens do VLT – Veículo Leve Sobre Trilhos, um bonde no século XXI. Depois do Cais do Valongo, da Avenida Rio Branco, e da Rua da Constituição, novidades também surgem na região da Praça XV de Novembro. =&5=&