PEU VARGENS – MAIS QUE SABIDO, ERA UMA CERTEZA

=&0=& =&1=& =&1=&
Wikipedia



As manchetes estampadas na capa e no caderno Rio, do Jornal O Globo de domingo, dia 29/09/2013, não deveriam surpreender pelo menos aos que acompanham os assuntos que chamamos de “legislativo-urbano-cariocas”.
PARA ONDE O RIO CRESCE, dizia a primeira. PEU DAS VARGENS – UMA FEROZ ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA, dizia a segunda. =&6=&

SEMANA 23/09/2013 a 27/09/2013 – GOLFE, POSTS ABRIL-JUNHO, VENTOS SOPRAM EM DIREÇÃO À ILHA DO GOVERNADOR

“No caso da Ilha do Governador o Índice de Aproveitamento do Terreno é 1,5. Para a Estrada do Galeão, com a outorga onerosa chegará a 2,5”.

Trecho de ILHA DO GOVERNADOR – ATENÇÃO, PILOTOS! PEU À VISTA

Político não põe azeitona na empada de outro político. No máximo come a empada.
CAMPO DE GOLFE, QUEM É O PAI?

=&0=& Publicações da semana que passou =&2=&

CAMPO DE GOLFE, APA MARAPENDI E ESCLARECIMENTOS


Sugestões: ler o texto acompanhando desenhos e mapas; =&1=&
Edital de lançamento de concurso de arquitetura para projeto do Campo de Golfe
Indicação do local
Note-se a vegetação existente ao longo das margens da Lagoa
Instituto de Arquitetos do Brasil

Sobre o terreno que receberá o Campo de Golfe dito Olímpico um atento leitor deste Urbe CaRioca solicita que se esclareça aos que acompanham o blog que (1) antes de o Golfe ser uma modalidade olímpica, a Prefeitura do Rio já havia se manifestado favoravelmente à implantação de um Campo para o esporte no mesmo local, e (2) havia emitido licenças.=&3=&

SEMANA 02/09/2013 a 06/09/2013 – AGOSTO, GABARITOS EM NITERÓI, NOTÍCIAS URBANO-CARIOCAS, E A CRÔNICA DAS PALAVRAS

“A cada notícia sobre a Zona Portuária, especialmente sobre trânsito, é impossível não recordar a ausência do Metrô”.

Trecho de =&0=&

Trecho lilás = BRS = parte da Linha 2 do Metrô que não foi construída.
Faria a ligação direta Zona Norte-Centro, substituída pela união das Linhas 1 e 2.

Agora é o “Metrô na Superfície”. Leia-se: Ônibus comum.
Imagem: Blog Caos Carioca

Publicações da semana que passou
e textos mais lidos.

Os posts imediatamente anteriores; o resumo do mês de agosto; artigo de Guina Ramos sobre a proposta de ocupação da orla de Niterói – Caminho Niemeyer – com prédios altos; várias notícias urbano-cariocas; e a CrôniCaRioca sobre palavras, sons, livros e homenagens.


NOTA: Agradeço ao Coronel Wilton Ribeiro pelas palavras gentis no post QUARTEL DA PM: EM GUARDA e no Blog do Cel Wilton lembrando que, conforme o título, a vigília pela proteção do sítio histórico, o antigo Quartel dos Barbonos, deve continuar. =&4=& =&5=& =&5=& =&7=& =&5=& =&9=& =&10=& =&11=&

Artigo – NITERÓI PERDE A VISTA, E A PRAZO…, de Guina Ramos


Tal como foi feito na Zona Portuária da urbe carioca, do outro lado da baía de Guanabara planeja-se uma Operação Urbana Consorciada, a OUC-Centro de Niterói, na orla da cidade, junto da Estação das Barcas e do Caminho Niemeyer.


Comparação entre a situação atual e o projeto da OUC Centro NiteróiImagem: Blog Arrepios Urbanos

É o lugar comum que aumenta o potencial construtivo do solo urbano – nem sempre adequado à edificação – para oferecê-lo ao mercado imobiliário, a panaceia que resolverá todos os males da cidade. No caso de Niterói melhor seria imitar Carlos Lacerda, Lota Macedo Soares, Reidy, Burle Marx, Amaro Machado e tantos outros. Por que não um parque que emoldure o tecido urbano construído, como foi feito no Aterro do Flamengo?

No Rio de Janeiro, a proposta para a Zona Portuária transformada em lei urbanística no final de 2010 já é alvo de novas críticas, talvez tarde demais, infelizmente. Tratamos o assunto em ZONA PORTUÁRIA SEM HABITAÇÃO + HOTÉIS = PACOTE OLÍMPICO 1. =&1=&
Araribóia, fundador de Niterói e defensor do Rio de Janeiro:

em seu lugar podem ser construídos 2 prédios de 40 andares…
Imagem: Blog Arrepios Urbanos

GUINA RAMOS
Blog Arrepios Urbanos, 26/08/2012

As esferas políticas e econômicas se intercomunicam, são construções humanas…

Os humanos das grandes empresas, com ajuda de políticos de confiança, descobriram a expansão das cidades como vantajoso negócio. No Brasil, a onda de recuperação de frentes marítimas ou fluviais (“waterfronts”), com evidente inspiração estrangeira, tornou-se vagalhão… A toda hora, empresas ardilosas e arquitetos escolados arrotam Baltimore Barcelona sobre os subdesenvolvidos habitantes deste país de extenso litoral…
Desavisados das intenções esconsas e iludidos por imagens dinâmicas, nós, subalternos culturais, nos apaixonamos à primeira vista pelos projetos… Com sutis estímulos e módicas colaborações, legisladores locais aprovam flexíveis leis que criam Cepacs, moeda mágico-financeira para a venda de novos espaços construtivos nos mesmos lugares onde, antes, podia-se construir muito menos…

Assim, através da surpresa e da propaganda, surgiu no Rio o Porto “Maravilha”, um verdadeiro castelo de Cepacs… Propôs, como se fosse de todo bom, a construção de dezenas de prédios com até 50 andares. E também cortes profundos, de remoções teleféricas no antigo morro da Favela (“civilizado” com o nome de morro da Providência) ao bota-abaixo de vias urbanas, com implosivo destaque para o elevado da Perimetral, a ser substituído (sem ganho expressivo de mobilidade) por túneis e avenidas. 
Sempre a prioridade para o transporte individual (nada de Metrô na área), mais um dos excessos urbanos capitaneado pela dupla que, toda hora, “volta atrás”… Quem sabe, com a manifestação dos cariocas, não voltem atrás em relação à derrubada da Perimetral?…

Pois, muito pior do que esta imitação (que sai cara) é a imitação barata que terá custo alto!… Do outro lado da baía, um seu (deles) pupilo tenta emplacar uma Operação Urbana Consorciada, a OUC-Centro de Niterói, uma versão do Porto “Maravilha”, adaptação de versão proposta ao governo anterior, que seria a salvação da pátria temiminó, a tribo de Araribóia… Leia mais