Cinema Roxy continuará sendo cinema. Ou não.

A Prefeitura do Rio, publicou uma decisão no Diário Oficial do Município desta quinta-feira, dia 17 de junho, na qual inclui o Cine Roxy, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, no cadastro dos negócios tradicionais e notáveis da cidade. O Roxy agora faz parte da lista de bens imateriais do Rio, com o intuito de assim preservar o seu ramo de atividade. Em tese, quem comprar o imóvel, poderá até mudar o nome do clássico lugar, mas terá que manter o ramo de atividade como sala de cinema. Em tese… Estamos diante de uma tentativa do governo municipal para manter o cinema, talvez interessante e, talvez, com um quê de demagogia. Explica-se: Não se tomba o uso de um imóvel nem a atividade nele exercida. O cinema foi tombado em 2003 o que significa que elementos morfológicos estão protegidos(Leia mais)

Os Cinemas de Rua e o Calendário da Prefeitura

Calendário 2019 do AGCRJ contempla cinemas de rua do Rio de Janeiro* “Pelo quinto ano consecutivo o Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro publica o seu já tradicional calendário que, em 2019, contemplará os cinemas da Cidade do Rio de Janeiro. Trazendo fotografias, programas e plantas das fachadas, a cada mês um antigo cinema será retratado, buscando rememorar esse antigo costume carioca, eternizado nas fotos do acervo. Num panorama de sustentabilidade, este ano nosso calendário é unicamente online. Para baixar em seu computador ou imprimi-lo, clique aqui. *Fonte: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Nota do Blog: Como bem sabe o carioca, cinemas de rua no Rio de Janeiro são espécies em extinção. Este blog defendeu a permanência do Cinema Leblon com as suas características originais, e algumas alterações compatíveis com o que era um bem tombado desde 2001 de(Leia mais)

Cine Guaraci, em Rocha Miranda, Rio de Janeiro

E a Igreja de São Pedro, no bairro do Encantado. Atualização em 29/12/2017 – a Câmara de Vereadores também aprovou o destombamento da Igreja de São Pedro, na sessão do último dia  26, mais uma decisão errada que enfraquece o instituto do tombamento. O  Bem Cultural protegido pode ser recuperado seguindo-se orientação técnica adequada, inclusive quanto à demolição de partes consideradas irrecuperáveis, que podem ser reconstruídas . No último dia 21/12 a Câmara de Vereadores aprovou o destombamento do Cinema Guaraci, bairro de Rocha Miranda, Zona Norte do Rio de Janeiro. O imóvel fora protegido há onze anos pelo Decreto 26.644 de 21/06/2006. Se o Projeto de Lei n. 138/2017 for sancionado pelo prefeito do Rio, permanecerá apenas a fachada do antigo cinema. Conforme explicou o presidente do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade em reportagem recente (16/12, OG – Caderno(Leia mais)

O MÊS NO URBE CARIOCA – JANEIRO 2017

                                                            No mês de JANEIRO/2017 o blog deu continuidade aos pedidos ao prefeito, recém-eleito para governar a Cidade do Rio de Janeiro.   O inaceitável Campo de Golfe dito olímpico esteve mais uma vez presente, com destaque para as poucas tacadas, nenhuma surpresa. O novo prefeito não se manifestou sobre resgatar o Parque Municipal Ecológico Marapendi e obrigar o proprietário dos condomínios ‘Riserva’, na Barra da Tijuca, a construir o trecho da Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso eliminado pela gestão anterior, como este blog sugeriu.   O post  CINEMA LEBLON – CAUSA PERDIDA: THE END bateu recordes de visualização, assim como o artigo de Claudio Prado de Mello sobre o abandono de(Leia mais)

OS 10 PRIMEIROS PEDIDOS AO NOVO PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO – RESUMO

Entre Dezembro/2016 e Fevereiro/2017 publicamos dez posts com pedidos e sugestões ao prefeito do Rio, então eleito e Chefe do Executivo desde o início de janeiro. Abaixo, o conjunto de links com trechos de cada artigo. Muito mais há que pedir e sugerir. Novas propostas e ideias são benvindas. Mensagens para:  urbecarioca@gmail.com. Urbe CaRioca Lagoa de Marapendi, Barra da Tijuca, Rio de JaneiroFoto: Urbe CaRioca, março 2014 PEDIDO 1 – RESPEITO ÀS ÁREAS PÚBLICAS E À PAISAGEM CARIOCA Neste post o Urbe CaRioca pede ao futuro prefeito que olhe a cidade com “olhos de ver” e repare (em ambos os sentidos) a invasão de áreas públicas, ora excessivamente e permanentemente privatizadas. São areias das praias, praças, canteiros centrais, e calçadas, ocupados por verdadeiros trambolhos, na maioria das vezes esteticamente inadequados, mal localizados, e com dimensões exageradas, que desqualificam e enfeiam(Leia mais)

O MÊS NO URBE CARIOCA – NOVEMBRO 2016

Sobre imagem do Google Maps, ainda sem o Campo de Golfe dito Olímpico   É raro um mês no Urbe CaRioca em que não se escreva sobre aumento de índices construtivos e liberação de gabaritos de altura, muitas vezes ações governamentais de interesse do mercado imobiliário, nem sempre as melhores decisões para as cidades.  No mês de NOVEMBRO o tema extrapolou as divisas do Município do Rio de Janeiro e foi a Salvador, Estado da Bahia: um aumento de gabarito fez cair Ministro do Governo Federal. Quantos gestores mais cairiam se as mudanças nas leis urbanísticas e liberações de financiamentos para a indústria da construção civil fossem pesquisados a fundo? Talvez, nenhum, não se pode generalizar. Talvez alguns. Mas que o assunto é palpitante, não há dúvidas. Em novembro/2016 os gabaritos estiveram em posts sobre o Cinema Leblon, o prédio(Leia mais)

O MÊS NO URBE CARIOCA – OUTUBRO 2016

Coluna Gente Boa, Jornal O Globo, 22/01/2017 O mês de OUTUBRO começou no blog com uma CrônicaRioca em dois capítulos, uma estória com final feliz, porque também as há no Rio de Janeiro. As esperanças de que o Cinema Leblon fosse preservado, terminaram. As obras de demolição começaram. Restará a fachada emoldurada por um prédio comercial, uma das inúmeras benesses urbanísticas providenciadas pela gestão municipal anterior, após um incompreensível destombamento e a liberação de – sempre ele – o gabarito de altura – para a realização do empreendimento imobiliário no valorizado bairro do Leblon. Hortas urbanas, que podem ser uma excelente iniciativa, surgiram em locais inadequados. Em outubro, foi na Lapa, Centro do Rio, perto dos famosos Arcos da Lapa, monumento histórico protegido pelo instituto do tombamento. Ainda nesse quesito, o Palacete São Cornélio, na Glória/Catete, continua caindo aos pedaços.(Leia mais)

Cinema Leblon – Causa perdida: The End

Cinema Leblon – Fachada voltada para a Rua Carlos Góis   Apenas recentemente um grupo de moradores e outras pessoas interessadas pelo Leblon – em especial pelo único cinema de rua que reatava no bairro – se deu conta de que o prédio que abrigava o Cinema Leblon estava sendo demolido. Em diálogos apaixonados travados em rede social, os defensores da memória urbana propunham-se a organizar protestos para salvar o cinema.   Infelizmente não há o que resguardar.   Este blog tratou do assunto desde os seus primórdios até o destombamento efetuado pelo então prefeito do Rio de Janeiro em 2014. Conforme afirmamos em ADEUS, CINEMA LEBLON! e em outros posts – “É verdade que tombamento e preservação não garantem a permanência de atividades comerciais. Mas também é inegável que a manutenção das edificações permite que outras medidas colaborem para(Leia mais)