SEMANA 27/10/2014 a 01/11/2014 – DO GOLFE PARA QUEM? À REVISTA EXAME, BÚSSOLAS E TERRITÓRIOS, e NOVO PROTESTO CONTRA O GOLFE NA RESERVA AMBIENTAL

“…nas últimas semanas a proposta deste blog ao projeto chamado Desafio Ágora, também da Prefeitura –PRESERVAR O PARQUE ECOLÓGICO MUNICIPAL MARAPENDI ÍNTEGRO, obteve votação expressiva entre mais de 370 ideias apresentadas, e é uma das mais comentadas. Alguns questionamentos apontados pelo Urbe CaRioca foram resolvidos (…) …ainda é possível votar pela salvaguarda do parque. Acessar o link abaixo e votar preferencialmente através da rede social Facebook, por ser mais fácil é rápido do que pelo cadastro do sistema que, como já mencionamos, ‘afasta o mais paciente carioca’.”
https://desafioagorario.crowdicity.com/post/62170

Trecho de PROTESTO CONTRA O CAMPO DE GOLFE NA RESERVA, OUT./2014

 

Internet

Publicações da semana que passou e textos mais lidos. =&1=&

O DESAFIO ÁGORA, O GOLFE, E MUITAS SURPRESAS DESAGRADÁVEIS

Um projeto duvidoso na Urbe CaRioca, lançado pela Prefeitura do Rio.


Atualização em 06/11/2014:
Pedimos desconsiderar o parágrafo destacado com a cor amarelo no texto abaixo, pois a afirmação foi um equívoco por parte do blog, já explicado no post cujo link está a seguir, o que, no entanto, não invalida o número excepcional de votos negativos concedidos apenas a essa ideia entre 378 propostas.

=&4=&



_________________


Os leitores do Urbe CaRioca já conhecem a proposta deste blog ao projeto da Prefeitura do Rio de Janeiro denominado Desafio Ágora, assim batizado porque “Na Grécia Antiga, as pessoas se reuniam para discutir a cidade e as políticas nas praças públicas, chamadas de Ágoras”, como explica o site respectivo. Ou seja, aparentemente trata-se de um chamado para ouvir a sociedade.


A apresentação da proposta ‘PRESERVAR O PARQUE ECOLÓGICO MUNICIPAL MARAPENDI ÍNTEGRO’ ao projeto Ágora, idealizada pela signatária, responsável Urbe CaRioca, teve enorme repercussão é ótima receptividade. Divulgada aqui e nas redes sociais Facebook e Twitter ligadas ao blog, foi compartilhada muitas vezes por arquitetos, urbanistas, biólogos, engenheiros florestais, advogados, e cariocas das mais diversas profissões e atividades, além de outras divulgações impossíveis de acompanhar devido ao processo multiplicador natural nas redes pessoais de cada um que aprovou a ideia, e dela decidiu dar conhecimento amplo.

Assim, na Primeira Fase do Projeto Ágora (Proposição)durante mais de um mês, de 10/09/2014 a 23/10/2014, nossa proposta recebeu inúmeros votos de aprovação e comentários positivos, o que garantiu a colocação entre os primeiros lugares no conjunto de mais de 350 ideias, chegando a estar em 1º LUGAR no grupo específico onde foi inserida.

Cabe lembrar que as ideias mais votadas passarão à Segunda Fase (Discussão).

Logo nos primeiros dias entre dezenas de votos positivos recebemos cerca de 6 ‘desaprovações’, quando verificamos que cada voto negativo anulava dois votos positivos, fato que estranhamos sem, no entanto, dar a devida atenção. Analisando tal aspecto, mais adiante, não concordamos com os pesos diferentes atribuídos aos votos – a favor dos votos negativos – e denunciamos. Os votos negativos cessaram.

Nas últimas duas semanas a ideia sempre esteve entre o 1º e 3º lugares no grupo, entre as primeiras na votação geral. Atingimos 111 votos na ideia e a 6ª posição entre o total de ‘contribuidores’ (pontuação concedida diretamente a cada participante por outros mecanismos), mantida a colocação entre as três primeiras ideias mais votadas e comentadas, entre mais de 350 propostas durante mais de um mês, vale repetir.
Até ontem. Não mais.

Surpreendentemente, ontem à noite, faltando apenas 3 dias para o encerramento da Primeira Fase – quando será anunciada a lista das ideias escolhidas que passarão à Segunda Fase (NOTA acrescentada em 25/10: os administradores do Desafio Ágora entraram em contato com o blog e esclareceram que todas as propostas passarão à fase 2), a proposta que defende meio ambiente, uma conquista da cidade e dos moradores através das ações de inúmeras sucessivas administrações públicas ao longo de décadas, que é um direito dos cariocas, passou a receber uma ‘enxurrada’ de votos negativos – praticamente não existentes durante mais de um mês – que ameaçam expurgá-la do projeto municipal “no último minuto do segundo tempo”, para usar uma expressão popular.

É evidente que interesses diversos dos que a voz da sociedade civil manifestara através da votação expressiva pela proteção do parque, não permitiriam que esta prevalecesse. Sejam os próprios setores da prefeitura que licenciaram o campo de golfe sobre a reserva ambiental, seja a Empresa Olímpica, sejam os empresários da construção civil e os proprietários do imenso terreno agraciados com benesses urbanísticas prejudiciais ao Rio de Janeiro e ao interesse público… Suposições, é claro, o voto é secreto!
Não, jamais permitiriam.
Como convocar a imprensa para anunciar os mais votados da Primeira Fase do Projeto Ágora e correr o risco de estar em primeiro lugar a defesa de uma Reserva Ambiental que a própria Prefeitura encarregou-se de devastar, para tanto alterando leis urbanísticas e de proteção ambiental?
Não poderiam permitir.
A enxurrada de votos negativos surgidos súbita e tardiamente – não tão tarde para eliminar a ideia mais votada do projeto até hoje – é a maior comprovação de que o Projeto Ágora da prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, não é uma ação séria e carece de credibilidade. Foram mais de 40 votos contrários em apenas duas horas ontem à noite, coincidentemente durante a realização de uma reunião dos organizadores do Ágora no antigo teatro Imperator, bairro do Méier, para o qual foram convidados os participantes “mais engajados” no projeto, inclusive este blog, que não pode comparecer.
Em breve publicaremos novo texto a respeito, detalhado, com vídeos impressionantes e outros esclarecimentos que comprovam tratar-se de uma brincadeira – de extremo mau gosto – lançada pela Prefeitura no mínimo a título de autopromoção, ironicamente em tempos de eleições gerais no país quando todas as atenções estão voltadas para as escolhas majoritárias.
Ao que tudo indica, mais uma vez, trata-se de confete para a mídia e para os cariocas. Ou será apenas imaginação? O leitor e e eleitor da que foi considerada uma das melhores propostas ao Desafio Ágora, melhor dirão. 
Desde já agradecemos pelo esforço e participação de todos neste estranho processo que exigiu dedicação e paciência para votar através de um sistema confuso e talvez capcioso.
Andréa Redondo / Blog Urbe CaRioca

NOTA: Se alguém ainda quiser votar o link é
https://desafioagorario.crowdicity.com/post/62170
Estranhamente aparecerá um cadeado e a informação de que não é mais possível votar. Não é verdade. A chamada para a página também mudou. agora conduz direto à ‘aba’ da segunda fase e confunde o leitor que se retira ao saber que não pode mais votar. PODE: Basta clicar em PROPOSIÇÃO e a janela correta aparecerá. Se o leitor entender que o parque deve ser mantido, poderá ainda votar POSITIVO. FALTAM SÓ DOIS DIAS.
[...] Leia mais

QUESTIONAMENTO: O PROJETO ÁGORA PERANTE A PROPOSTA DO BLOG URBE CARIOCA

=&0=& =&1=& =&2=&

=&3=&


___________________ 


Caros leitores do blogUrbe CaRioca
Acabamos de detectar mais uma característica do chamado Desafio Ágora da Prefeitura. Além de ancorado em um site confuso que dificulta a votação e afasta os interessados em participar, cada voto negativo ANULA dois votos positivos.
Assim, por exemplo, se funcionários da Prefeitura, membros do COI, empregados da Empresa Olímpica, e aqueles que têm interesse financeiro no negócio imobiliário travestido de Campo de Golfe, se mobilizaram e votarem contrariamente, nossa proposta – PRESERVAR O PARQUE ECOLÓGICO MUNICIPAL MARAPENDI ÍNTEGRO -, que está entre as primeiras colocadas, perderá a pontuação e não passará à fase 2.
Talvez não seja mais possível acreditar na iniciativa da Prefeitura batizada de Ágora para remeter à democracia e à voz da sociedade.
NOTA: AINDA ASSIM CHEGAMOS AO PRIMEIRO LUGAR NO GRUPO! (imagem obtida às 17h43min do dia 21/10/2014)
Ver todas as imagens a seguir.
[...] Leia mais

SEMANA URBE CARIOCA 13/10/2014 a 18/10/2014 – TRAMBOLHOS DUVIDOSOS NA LAGOA, MÊS DE SETEMBRO, e DESAFIO DO BLOG À PREFEITURA ENTRE OS PRIMEIROS MAIS VOTADOS


Resta saber se os órgãos de Proteção do Patrimônio Cultural do Município e da União deram aval ao projeto – tal como ocorreu no caso da Marina da Glória – e se, uma vez construídas, as arquibancadas provisórias serão eliminadas de fato, junto com as bases estruturais que terão que ser construídas sobre o espelho d’água tombado.

Trecho de LAGOA RODRIGO DE FREITAS – O REMO E OS TRAMBOLHOS PROVISÓRIOS PERMANENTES

 

=&3=& Os posts imediatamente anteriores; arquibancadas na Lagoa questionadas pelo MPRJ; o mês de Setembro; e o progresso do Desafio Urbe CaRioca ao Desafio Ágora da Prefeitura: manter o Parque Ecológico Marapendi íntegro. Notas: 1.     Na cidade em que “Tudo é pra Olimpíada” mesmo que não o seja, a construção do Campo de Golfe desrespeita o Plano Diretor do Rio de Janeiro – autointitulado ‘sustentável’ – e elimina parte de um Parque Ecológico, é decisão incompreensível e inaceitável, já amplamente divulgada pela grande imprensa e nas redes sociais, e questionada por arquitetos, urbanistas, biólogos, engenheiros ambientais e florestais, advogados, mas, sobretudo, peloMinistério Público do Estado do Rio de Janeiro – MPRJ e pelaJustiça Estadual (Trecho de CAMPO DE GOLFE JO 2016, RIO DE JANEIRO – MARACANÃ E PÃO DE AÇÚCAR, QUANTOS CABEM NO TERRENO?). 2.     O movimento Golfe para Quem?convida para mais um encontro/manifestação contrária à obra que devasta a APA e o Parque Ecológico Marapendi: dia 25/10, sábado, às 11h, em frente ao stand de vendas Riserva Golfe.  3.     Notícia publicada no Jornal O Globo de hoje causa enorme espanto ao Blog e deve ser comentada. O governo do Estado pretendia criar uma “ilha-parque” com trilhas e jardins (!) na Lagoa da Tijuca (!!) com os sedimentos dragados das lagoas da Barra e de Jacarepaguá (!!!). Ou seja, enquanto o governo do Município elimina trecho um parque ecológico (parte existente e parte a ser implantada) para construir um Campo de Golfe desnecessário às margens da Lagoa de Marapendi, o governo estadual pretende construir uma ilha artificial em outra Lagoa com os dejetos despejados nas lagoas-irmãs durante anos e anos de omissão. Não há pontos de exclamação suficientes!

 

=&8=& =&9=&

SEMANA URBE CARIOCA 06/10/2014 a 10/10/2014 – DESAFIO DO BLOG À PREFEITURA – PROPOSTA AO DESAFIO ÁGORA, E GABARITOS NA TRANSCARIOCA

=&10=&

SEMANA URBE CARIOCA 06/10/2014 a 10/10/2014 – DESAFIO DO BLOG À PREFEITURA – PROPOSTA AO DESAFIO ÁGORA, E GABARITOS NA TRANSCARIOCA

A louvável ação de governo – que traz no título o nome das praças gregas antigas onde a população manifestava seus desejos – traz alguma estranheza pelo menos nas questões urbanísticas do Rio de Janeiro em sua essência: basta nos recordarmos das inúmeras leis sancionadas e promulgadas sem debates públicos ou com audiências públicaspro forma, inexpressivas, ou não representativas.PEU Vargens,Zona Portuária,Plano Diretor,Pacote Olímpico 1,Pacote Olímpico 2, e os renovadosbenefícios especiais para hotéis, seja pelos prejuízos causados, ou pela nulidade – caso do Plano Diretor que serviu apenas para aumentar índices construtivos e gabaritos de altura em toda a cidade -, são exemplos incontestáveis.”.

Trecho de PARA VOTAR – PROPOSTA À PREFEITURA: PRESERVAR O PARQUE MUNICIPAL ECOLÓGICO DE MARAPENDI ÍNTEGRO

 

=&12=& Os posts imediatamente anteriores; Desafio Urbe CaRioca x =&14=&;  e mais um projeto de lei complementar cria índices construtivos, desta vez ao longo da via expressa Transcarioca, Zona Norte do Rio de Janeiro. =&15=&

1.     No caderno Morar Bem (OG 05/10) reportagem afirma que o prefeito sancionará em breve a nova lei para a Zona Portuária, apresentada como indutora da construção de residências na região. A opinião do blog de que se trata apenas de mais um benefício para o mercado imobiliário e prejudicial à cidade foi explicada na postagem A ERA JK ESTÁ DE VOLTA… NA ZONA PORTUÁRIA DA URBE CARIOCA.

2.     Este blog repudia a afirmação do sr. Cid Gomes, governador do Ceará, publicada hoje no jornal O Globo (Coluna Noblat) segundo o qual “Desvio de dinheiro público é natural e intrínseco ao serviço público”. Trata-se de afirmação inaceitável e irresponsável, que lança a ideia de que todo servidor público é desonesto, atingindo a imagem de milhões de profissionais que exercem suas funções de forma honesta, eficiente e irrepreensível. Que sua excelência fale apenas por si mesmo e pelos maus servidores públicos que conhece.

3.     =&16=&Na cidade em que “Tudo é pra Olimpíada” mesmo que não o seja, a construção do Campo de Golfe desrespeita o Plano Diretor do Rio de Janeiro – autointitulado ‘sustentável’ – e elimina parte de um Parque Ecológico, é decisão incompreensível e inaceitável, já amplamente divulgada pela grande imprensa e nas redes sociais, e objeto de questionamento por arquitetos, urbanistas, biólogos, engenheiros ambientais e florestais, advogados que tratam do Direito Ambiental, mas, sobretudo, peloMinistério Público do Estado do Rio de Janeiro – MPRJ e pela=&19=&

PARA VOTAR – PROPOSTA À PREFEITURA: PRESERVAR O PARQUE MUNICIPAL ECOLÓGICO DE MARAPENDI ÍNTEGRO

Os que acompanham o Urbe CaRioca conhecem a opinião do blog, de vários leitores, de arquitetos, urbanistas, profissionais ligados à área do Meio Ambiente e do Direito Ambiental, do movimento Golfe Para Quem?, e de muitos cariocas que têm se manifestado através das redes sociais contrariamente à construção do Campo de Golfe apelidado de “olímpico” sobre área de restinga protegida há décadas e favoráveis à manutenção do desenho urbano da região e da preservação do parque ecológico ameaçado, sem solução de continuidade.
Como amplamente divulgado, parte da APA foi desprotegida pelo prefeito e vereadores pela lei complementar nº 125 de 14/01/2013 – O Pacote sem o Bode -, ‘regulamentada pelo decreto nº 36795/2013 – O Decreto Discreto, lei questionável e muito questionada, inclusive pelo MPRJ.

Causou-nos surpresa a recente iniciativa da Prefeitura ao criar um projeto chamado Ágora Rio –Desafio, pelo qual, através de um site, o governo municipal recebe sugestões em resposta à pergunta ‘Como os Jogos Rio 2016 podem trazer ainda mais benefícios para a cidade e a população?’. Os cidadãos podem enviar as suas ideias “para ampliar os benefícios das Olimpíadas para os cariocas” que estarão sujeitas a uma votação com vistas à futura implementação dos projetos vencedores.

A louvável ação de governo – que traz no título o nome das praças gregas antigas onde a população manifestava seus desejos – traz alguma estranheza pelo menos nas questões urbanísticas do Rio de Janeiro em sua essência: basta nos recordarmos das inúmeras leis sancionadas e promulgadas sem debates públicos ou com audiências públicas pro forma, inexpressivas, ou não representativas. PEU Vargens, Zona Portuária, Plano Diretor, Pacote Olímpico 1, Pacote Olímpico 2, e os renovados benefícios especiais para hotéis, seja pelos prejuízos causados, ou pela nulidade – caso do Plano Diretor que serviu apenas para aumentar índices construtivos e gabaritos de altura em toda a cidade -, são exemplos incontestáveis.

Ao projeto Ágora – que se autodenomina um desafio, lançamos o Desafio do Urbe CaRioca: cancelar o projeto do Campo de Golfe, pois já se sabe que os organizadores têm alternativa, e revigorar a lei anterior que garantia a complementação da Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso, a antiga Via 2, e o parque em volta da Lagoa de Marapendi. O desafio do blog Urbe CaRioca ao projeto Ágora da Prefeitura tem o título: Preservar o Parque Municipal Ecológico de Marapendi Íntegro, o que implica cancelar ou modificar o projeto do Campo de Golfe.=&3=&=&4=&

                                             Vídeo mostra a devastação da área de
                                            reserva destinada ao Parque Ecológico


[...] Leia mais