Criação do Prêmio Medalha do Mérito Cultural

A Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, recentemente, criou o Prêmio Medalha da Ordem do Mérito Cultural Carioca, a ser concedido a personalidades, órgãos, coletivos culturais e instituições públicas ou privadas que no Município do Rio se distinguem por contribuição relevante à cultura.O autor da proposta, o arqueólogo e historiador Cláudio Prado de Mello, explica a criação do prêmio, através de carta reproduzida abaixo.[...] Leia mais

Meio Ambiente e Prefeitura – Notícias sobre o caso SMAC

Atualizado com vídeo da advogada e professora Sonia Rabello que opina sobre a legalidade do ato administrativo em questão.

Conforme explicado em RÉQUIEM PARA O VERDE CARIOCA, de Sonia Peixoto, e em MEIO AMBIENTE “SUB JUGADO”, de Canagé Vilhena, o Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro mudou novamente a estrutura administrativa dos órgãos municipais, rebaixando mais uma vez o que era a Secretaria Municipal de Meio Ambiente – SMAC, criada como Secretaria Extraordinária em 1993 (Lei nº 1949 de 13/02/1993), pelo então Prefeito Cesar Maia, e regulamentada em 1994 como Secretaria Municipal permanente pela mesma gestão (Lei nº 2138 de 11/05/1994 e Decreto nº 13377/1994): hoje a SMAC passou a ser uma Coordenadoria dentro da nova Secretaria híbrida que uniu obras e meio ambiente.[...] Leia mais

Sobre os rumos do Patrimônio Histórico da Cidade, de Cláudio Prado de Mello

No último dia 25 de outubro foi realizada uma reunião para discutir os rumos do Patrimônio Histórico da Cidade no Conselho Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, tendo em vista a situação do patrimônio material da Cidade.

Nesta carta, o relato do arqueólogo Cláudio Prado de Mello sobre o encontro.

Urbe CaRioca

“Na data de 25 de outubro de 2017 realizou-se a Reunião do Conselho Municipal de Cultura convocada para o propósito de se discutir uma recomendação realizada por nós à Secretaria Municipal de Cultura. Essa recomendação apontava a situação delicada do Patrimônio material e edificado da Cidade, e sua sensibilidade frente ao tempo, às intempéries e, principalmente, a fragilidade frente aos danos causados em decorrência de grandes eventos em locais de alto significado histórico e arqueológico.[...] Leia mais

No ar: Com a palavra, o CaRioca

Com a palavra, o CaRioca é o espaço, no site Urbe CaRioca, dedicado ao leitor, onde serão divulgados fatos relacionados ao dia-a-dia na cidade; comentários e informações de interesse geral sobre a prestação de serviços públicos ou a ausência destes; pedidos de providências por parte dos gestores públicos; ordem urbana; artigos sobre questões urbanas; observações sobre obras e o uso do solo; opiniões sobre leis urbanísticas existentes, em elaboração ou em aprovação na Câmara de Vereadores.[...] Leia mais

IPTU – Como se sabe, aumento foi aprovado pelos vereadores

Como se sabe, o Projeto de Lei 268/2017 que “ALTERA A ALÍQUOTA PADRÃO DO ITBI, PROMOVE ALTERAÇÕES E INSERÇÕES DE DISPOSITIVOS RELATIVOS A IPTU E TCL, INCLUSIVE NA PLANTA GENÉRICA DE VALORES – PGV DE IMÓVEIS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.”, isto é, aumenta os valores do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis e do Imposto Predial e Territorial Urbano na Cidade do Rio de Janeiro, foi aprovado pela Câmara de Vereadores do Município no último dia 05/09.[...] Leia mais

BOTAFOGO – MORADORES QUEREM RUA NELSON MANDELA COMPLETA. COM RAZÃO.

A Associação de Amigos e Moradores de Botafogo – AMAB organizou manifestação pela construção e abertura da continuação da Rua Nelson Mandela, trecho não executado que corresponde ao terreno onde funcionou um canteiro de obras da construtora Odebrecht. O evento está marcado para o próximo dia 10 de junho, às 11 horas, em frente ao terreno Rua Prof. Álvaro Rodrigues, ao lado do mercado Hortifruti.[...] Leia mais

O RIO DE JANEIRO, O LABIRINTO DE FAJARDO, E AS PRAÇAS VENDIDAS

Passeio Público, mar.2016. Foto: Mário Rodrigues
Ontem o arquiteto Washington Fajardo nos brindou com um belo artigo publicado no jornal O Globo. O título sugestivo – Labirinto – escondia mais do que a dificuldade de encontrar uma saída para as dificuldades que vivem o Rio de Janeiro e os cariocas: em meio a percurso variado desde uma das muitas trágicas mortes recorrentes na cidade do Rio de Janeiro, o autor vagueia da zona sul à zona norte, pelos subúrbios cariocas, e pela região metropolitana; relata a degradação do outrora bucólico Largo do Machado, e lembra a imobilidade urbana – que, na nossa urbe, já é pior do que a paulistana -, tudo em meio a “décadas de crianças perdidas”. =&0=&

HORTA (?) NA LAPA, DE NOVO NA BERLINDA

Ou, UMA EXPERIÊNCIA DE PAISAGISMO FUNCIONAL COM VISTAS À RECUPERAÇÃO DO SOLO

Foto: João do Apex, 04/03/2017
Em 13/10/2016 publicamos UMA HORTA NA LAPA? A MINHA OPINIÃO, do historiador Claudio Prado de Mello -, fruto dos debates ocorridos pouco antes no grupo S.O.S.Patrimônio. A postagem teve grande repercussão e desdobramentos, com outros posts do Urbe CaRioca, inclusive sobre outra tentativa de se criar uma pequena plantação em frente ao Museu da República, na Rua do Catete.
No Carnaval o assunto voltou à berlinda Claudio Prado de Mello, manifestou-se mais uma vez com o texto:

A HORTA DA LAPA … Minha Opinião 2 =&2=&

IDEB NO RIO DE JANEIRO, A URBE CARIOCA: SALVE MARACANÃ, SALVE SANTA CRUZ!

“O Antigo Museu do Índio não apenas foi poupado pelo governador como, ontem, surpreendentemente,foi tombado PELO PREFEITO, tal como o Parque Aquático Julio Delamare e o Estádio de Atletismo Célio de Barros, antes condenados com veemência, foram destombados e agora des-destombados! Até a Escola Municipal – que não precisava ser tombada, diga-se, bastava deixá-la, e aos pais e alunos, sossegados – foi alvo das reflexões preservacionistas”.

Trecho de O INCRÍVEL TOMBAMENTO DO ANTIGO MUSEU DO ÍNDIO E DOS EQUIPAMENTOS DESPORTIVOS VIZINHOS AO MARACANÃ

=&0=&

METRÔ, TRENS, BRT, VLT, BARCAS E CICLOVIAS – “RESUMÃO” SOBRE A MOBILIDADE URBANA NO RIO, de Atilio Flegner

=&0=&=&1=&=&0=&A grande imprensa noticiou que a União autorizou o repasse de R$2,9 bilhões ao Estado do Rio de Janeiro, destinados a despesas exclusivamente com segurança pública para a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos na capital do Estado, a Cidade do Rio de Janeiro.

Portanto, a esperada verba para a conclusão da obra do Metrô virá de forma indireta se o governo estadual fizer remanejamento de recursos que seja do seu interesse, por exemplo, para a chamada Linha 4.

PARA LER A NOTÍCIA NA ÍNTEGRA 

“Primeiro VLT do Rio de Janeiro, nos anos 1980. O pré metrô da Linha 2. Hoje os carros estão apodrecendo bem em frente a prefeitura do Rio.” – Atilio Flegner
Nas últimas semanas os problemas com a chamada Linha 4 do Metrô (em verdade um prolongamento da Linha 1 até a Gávea e, apenas a partir daquela Estação, cuja obra está paralisada, respeita o traçado da Linha 4 verdadeira) têm sido divulgados diariamente pela imprensa, seja em relação a atrasos, não conclusão até os Jogos Olímpicos, funcionamento parcial durante o evento ou até mesmo o não funcionamento (já se cogitou até criar um BRT na Zona Sul!). A decretação do ‘estado de Calamidade Pública Financeira’, no Estado do Rio de Janeiro, teve como mote, mais uma vez, garantir a realização dos Jogos a contento, alegando-se que “O RJ está à beira de colapso em segurança, saúde, educação e mobilidade”, conforme noticiário em 18/06. A mesma reportagem explica que “O decreto é para obter, o mais rápido possível, recursos do governo federal”. Parte desses recursos irão para a obra da falsa Linha 4, que seria aberta apenas para  chamada Família Olímpica e aos que têm ingresso para assistir às competições, uma verdadeira ofensa ao carioca! Enquanto o Prefeito do Rio, por sua vez, afirma que “ascontas da cidade vão bem, a crise não afeta os Jogos”, a Newsletter Ex-Blog apresenta outra visão sobre o tema. =&3=&

O PATRIMÔNIO CULTURAL REQUER ATENÇÃO! LISTA INICIAL

PALACETE SÃO CORNÉLIO, GLÓRIA, RIO DE JANEIRO, RJ
Foto: Kiki Simone Reis, do Grupo S.O.S. Patrimônio

No post MEC x MINC x PATRIMÔNIO CULTURAL, publicado no último dia 25, convidamos os leitores para criar um movimento em defesa do Patrimônio Cultural que representa a Memória Urbana viva das cidades e outras ocupações: prédios e construções protegidos ou com valor para preservação quer em âmbito nacional ou de interesse local.[...] Leia mais

VLT DO RIO ATROPELA A LEI E O PATRIMÔNIO CULTURAL DA CIDADE, de Sonia Rabello

A inaceitável destruição do calçamento “pé-de-moleque” encontrado na Rua da Constituição, feita sorrateiramente durante o fim-de-semana – divulgada pelo grupo S.O.S. Patrimônio e por este blog na segunda-feira – ainda repercute através da grande imprensa e em sites importantes, como é o caso de =&0=&. =&1=&

PÉ-DE-MOLEQUE DA RUA DA CONSTITUIÇÃO: DESCOBERTA, DIVULGAÇÃO, MOBILIZAÇÃO, TELEVISÃO, MAS, EM VEZ DA POSSÍVEL PRESERVAÇÃO, DESTRUIÇÃO E INDIGNAÇÃO!



Tudo começou com um passeio pelo Centro.

O historiador Marcus Alves membro do S.O.S. PATRIMÔNIO – grupo de rede social que luta pela preservação de bens culturais antigos – informou que as obras para instalação do VLT no Centro do Rio revelaram o piso de pé-de-moleque, calçamento que pode ter cerca de 200 anos de idade, memória viva do Rio de Janeiro.

Depois da publicação do artigo O PASSADO RESSURGE NO CAMINHO DO VLT, de Marcus Alves em 10/08/2015, da nota publicada no jornal O Globo dois dias depois, e de outras postagens – inclusive sobre o abaixo-assinado que solicita a proteção do calçamento – o assunto ganhou a mídia impressa, a televisão, e a Prefeitura chegou a acenar com a possibilidade de preservar a importante descoberta.


Rua da Constituição, Centro, Rio de Janeiro
Calçamento “pé-de-moleque”
Foto: Marcus Alves, 10/08/2015
Infelizmente, o cenário encontrado hoje à tarde por Marcus Alves e Marconi Andrade, após informação do grupo sobre movimentação de obra na Rua da Constituição, foi devastador:
“… agora à tarde enquanto nos dirigíamos ao IPHAN para entregar a petição [o abaixo-assinado] com as assinaturas, fomos surpreendidos pela notícia postada aqui sobre a Rua da Constituição. Dirigimo-nos imediatamente para lá e… foi o que se viu. Nada mais a declarar, as fotos falam por si.”

“O fim de um sonho. Neste fim de semana, aproveitando da situação de um centro da cidade vazio, foi destruído o calçamento histórico da Rua da Constituição. E com ele a memória de um Rio Colonial. Poderia ter sido um belo exemplo de união entre passado e futuro, as pedras e o VLT, mas preferiu-se, mais uma vez a destruição pura e simples. Resta aos que podem viajar aos países que preservam sua história e admirar os seus monumentos. Porque os nossos se perdem um pouco mais a cada dia.”

Marcus Alves

Abaixo, a lista das postagens neste Urbe CaRioca (inclusive sobre os achados também na Praça XV de Novembro e na Avenida Rio Branco), links para as notícias publicadas na imprensa e noticiário televisivo, e mais imagens do que foi encontrado.

Tudo indica que, dado à repercussão do assunto, a destruição dos achados foi apressada para que a preservação perdesse o sentido. Quem sabe este blog está enganado?

Urbe CaRioca




Fotos: Marcus Alves, 26/10/2015



  

10/08/2015 – O PASSADO RESSURGE NO CAMINHO DO VLT, de Marcus Alves

12/08/2015 – UM PÉ DE MOLEQUE NO CENTRO (Coluna Ancelmo Góis)

28/08/2015 – PÉS-DE-MOLEQUE AGORA NA PRAÇA XV

30/08/2015 – RIO BRANCO x PRIMEIRO DE MARÇO – DOMINGOS NA URBE CARIOCA

28/09/2015 – RUA DA CONSTITUIÇÃO, PÉ-DE-MOLEQUE SOBRE PÉ-DE-MOLEQUE

05/10/2015 – PÉS-DE-MOLEQUE DO RIO ANTIGO – PASSADO REVIVIDO, RIO A PRESERVAR

09/10/2015 – CONSTITUIÇÃO, A DOS PÉS-DE-MOLEQUE, EM ‘PROSPECÇÕES CASUAIS’ de Eduardo Cotrim

18/10/2015 –PÉ-DE-MOLEQUE – MOBILIZAÇÃO COMEÇA A SURTIR EFEITO

Fotos: Paulo Schwartz, 24/10/2015

[...] Leia mais